Skip to main content
Violência Psicológica

Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Existem feridas que são invisíveis. Frases que golpeiam a autoestima, enfraquecem a autoconfiança, ferem a dignidade humana, implantam o medo e a desconfiança e, por fim, anulam a existência do ser humano. Estas são algumas vivências características de quem foi ou está sendo submetido (a) a situações de violência psicológica.

“A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota.”

Jean-Paul Sartre

A violência psicológica é caracterizada por atitudes, comportamentos e expressões que procuram rebaixar e/ou negar a maneira de ser de uma outra pessoa. É normal que tenhamos momentos de irritação, raiva e revolta. Mas a questão na violência psicológica é que isto não é algo eventual. Trata-se de maneira que o (a) agressor (a) costuma estabelecer com uma pessoa que têm como objetivos: manter o controle, o poder e subordinação da pessoa agredida.

Leia Também: Relações Afetivas Conturbadas? Saiba como lidar!

As mais frequentes e conhecidas violências de natureza psicológica são: controle, desqualificação e o isolamento. O controle é exercido por práticas de monitoramento através de perguntas e pesquisas continuas, repetitivas e inquisidoras sobre atitudes, comportamentos, sentimentos, deslocamentos, intenções e interações com mundo realizados pela pessoa controlada.

O controlador (a) precisa ter certeza de que a pessoa não sairá do seu domínio e para isso, adentrará no espaço psíquico e nos objetos pessoais da pessoa controlada (o). A vítima deste tipo de violência se sente invadido (a), sufocado (a) e aprisionado (a).

Para evitar confrontos e divergências, a pessoa controlada aceita as práticas uma vez que este tipo de prática se instala em relações assimétricas em que um detém o poder dentro da relação.

Já a desqualificação se faz através de palavras e atos que visam menosprezar, desqualificar e desconsiderar habilidades, sentimentos, palavras, a maneira de ser e pensar da pessoa controlada.
Este tipo de violência causa prejuízos para autoestima trazendo sentimentos de inutilidade e insegurança em relação ao que você é e/ou faz. Estas consequências fazem com que a pessoa recorra ao juízo de quem desqualifica o que só reforça as consequências deste violento.

Leia também: Resiliência: A Capacidade de SUPERAÇÃO – Como Seus Pensamentos Podem Te Ajudar a Ser Resiliente?

No isolamento, por sua vez, a vítima é afastada do convívio com familiares, amigos, colegas de trabalho e outras pessoas do ambiente familiar, social e profissional. O agressor procura inibir, intimidar, bloquear e dificultar o contato da vítima por diferentes vias e meios.

O agressor inibe a pessoa a fazer uma série de coisas!
Na Violência Psicológica o agressor inibe a pessoa a fazer uma série de coisas!

E dificultar a visita ou contato com familiares e amigos, não permitir que a pessoa exerça atividades extra domiciliares como trabalhar e estudar, inibir e intimidar as mensagens através do telefone celular e demonstrar irritação quando a pessoa está em contato com outra pessoa.

Cabe destacar aqui que os limites para caracterizar este tipo de violência são muito imprecisos e subjetivos.

Então como sei que estou passando por situações de violência psicológica?

Os seus sentimentos são os principais guias para identificar e compreender o que está ocorrendo. Assim, listo aqui uma série de perguntas adaptadas do livro “ Homens que odeiam suas mulheres e as mulheres que os amam. ” da Dra Susan Forward e Joan Torres para te ajudar nesta tarefa:

  1. Sente tristeza durante boa parte do tempo?
  2. Sente medo de alguém com quem você convive ou se relaciona?
  3. Sente desânimo ou opressão?
  4. Sente-se furiosa(o) durante a maior parte do tempo?
  5. Sente confusão e desconcerto( como se estivesse “pisando em ovos) sobre a forma como deveria se comportar com alguém?
  6. Sente-se que está sendo dominado(a) por alguém?
  7. Sente frustração?
  8. Sente ódio de si?
  9. Sente culpa e acredita que está sendo errado(a)?
  10. Sente que está sendo perseguido(a)?

Se você respondeu afirmativo a seis ou mais perguntas do questionário acima, é muito provável que você esteja passando por situações de violência psicológica.

Além desta fonte, preste atenção se você ouve de maneira corriqueira e constante as seguintes frases: “ você está ficando louco (a) ”, “ você não tem senso de humor”, “Quem te perguntou? ’, “Ninguém pediu a sua opinião. ”, “Você está sempre procurando problemas. “Você está fazendo uma tempestade em um copo d´´agua” e tantas outras expressões que procuram negar o que você percebe e sente.

Caso você tenha detectado este tipo de vivência na sua vida, procure ajuda profissional nas áreas da saúde e judiciárias. Toda violência física é precedida por uma série de violências psicológicas. Pense nisso. Cuide-se!

karineKarine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/). Membro da Cativare (https://www.facebook.com/cativarepsi/). Idealizadora do Projeto De Bem com Você em parceria com a psicóloga Eanes Moreira.(Informações via whatsapp (79)99922-8130)

Contatos: E-mail: psimulti@gmail.com; Facebook – https://www.facebook.com/KarineAndradepsi/; Instagram – https://www.instagram.com/karine.andrade_psiaju/; YouTube – Psicologia Aracaju

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.