Skip to main content
Violência Psicológica

Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Existem feridas que são invisíveis. Frases que golpeiam a autoestima, enfraquecem a autoconfiança, ferem a dignidade humana, implantam o medo e a desconfiança e, por fim, anulam a existência do ser humano. Estas são algumas vivências características de quem foi ou está sendo submetido (a) a situações de violência psicológica.

“A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota.”

Jean-Paul Sartre

A violência psicológica é caracterizada por atitudes, comportamentos e expressões que procuram rebaixar e/ou negar a maneira de ser de uma outra pessoa. É normal que tenhamos momentos de irritação, raiva e revolta. Mas a questão na violência psicológica é que isto não é algo eventual. Trata-se de maneira que o (a) agressor (a) costuma estabelecer com uma pessoa que têm como objetivos: manter o controle, o poder e subordinação da pessoa agredida.

Leia Também: Relações Afetivas Conturbadas? Saiba como lidar!

As mais frequentes e conhecidas violências de natureza psicológica são: controle, desqualificação e o isolamento. O controle é exercido por práticas de monitoramento através de perguntas e pesquisas continuas, repetitivas e inquisidoras sobre atitudes, comportamentos, sentimentos, deslocamentos, intenções e interações com mundo realizados pela pessoa controlada.

O controlador (a) precisa ter certeza de que a pessoa não sairá do seu domínio e para isso, adentrará no espaço psíquico e nos objetos pessoais da pessoa controlada (o). A vítima deste tipo de violência se sente invadido (a), sufocado (a) e aprisionado (a).

Para evitar confrontos e divergências, a pessoa controlada aceita as práticas uma vez que este tipo de prática se instala em relações assimétricas em que um detém o poder dentro da relação.

Já a desqualificação se faz através de palavras e atos que visam menosprezar, desqualificar e desconsiderar habilidades, sentimentos, palavras, a maneira de ser e pensar da pessoa controlada.
Este tipo de violência causa prejuízos para autoestima trazendo sentimentos de inutilidade e insegurança em relação ao que você é e/ou faz. Estas consequências fazem com que a pessoa recorra ao juízo de quem desqualifica o que só reforça as consequências deste violento.

Leia também: Resiliência: A Capacidade de SUPERAÇÃO – Como Seus Pensamentos Podem Te Ajudar a Ser Resiliente?

No isolamento, por sua vez, a vítima é afastada do convívio com familiares, amigos, colegas de trabalho e outras pessoas do ambiente familiar, social e profissional. O agressor procura inibir, intimidar, bloquear e dificultar o contato da vítima por diferentes vias e meios.

O agressor inibe a pessoa a fazer uma série de coisas!
Na Violência Psicológica o agressor inibe a pessoa a fazer uma série de coisas!

E dificultar a visita ou contato com familiares e amigos, não permitir que a pessoa exerça atividades extra domiciliares como trabalhar e estudar, inibir e intimidar as mensagens através do telefone celular e demonstrar irritação quando a pessoa está em contato com outra pessoa.

Cabe destacar aqui que os limites para caracterizar este tipo de violência são muito imprecisos e subjetivos.

Então como sei que estou passando por situações de violência psicológica?

Os seus sentimentos são os principais guias para identificar e compreender o que está ocorrendo. Assim, listo aqui uma série de perguntas adaptadas do livro “ Homens que odeiam suas mulheres e as mulheres que os amam. ” da Dra Susan Forward e Joan Torres para te ajudar nesta tarefa:

  1. Sente tristeza durante boa parte do tempo?
  2. Sente medo de alguém com quem você convive ou se relaciona?
  3. Sente desânimo ou opressão?
  4. Sente-se furiosa(o) durante a maior parte do tempo?
  5. Sente confusão e desconcerto( como se estivesse “pisando em ovos) sobre a forma como deveria se comportar com alguém?
  6. Sente-se que está sendo dominado(a) por alguém?
  7. Sente frustração?
  8. Sente ódio de si?
  9. Sente culpa e acredita que está sendo errado(a)?
  10. Sente que está sendo perseguido(a)?

Se você respondeu afirmativo a seis ou mais perguntas do questionário acima, é muito provável que você esteja passando por situações de violência psicológica.

Além desta fonte, preste atenção se você ouve de maneira corriqueira e constante as seguintes frases: “ você está ficando louco (a) ”, “ você não tem senso de humor”, “Quem te perguntou? ’, “Ninguém pediu a sua opinião. ”, “Você está sempre procurando problemas. “Você está fazendo uma tempestade em um copo d´´agua” e tantas outras expressões que procuram negar o que você percebe e sente.

Caso você tenha detectado este tipo de vivência na sua vida, procure ajuda profissional nas áreas da saúde e judiciárias. Toda violência física é precedida por uma série de violências psicológicas. Pense nisso. Cuide-se!

karineKarine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/). Membro da Cativare (https://www.facebook.com/cativarepsi/). Idealizadora do Projeto De Bem com Você em parceria com a psicóloga Eanes Moreira.(Informações via whatsapp (79)99922-8130)

Contatos: E-mail: psimulti@gmail.com; Facebook – https://www.facebook.com/KarineAndradepsi/; Instagram – https://www.instagram.com/karine.andrade_psiaju/; YouTube – Psicologia Aracaju

13 thoughts to “Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam”

  1. Parabéns pelo brog , sensacional, que Deus continue lhe abençoando, aqui foi possível encontrar tantas respostas, que as vezes buscamos dentro de nós, parabéns pelo seu trabalho.

  2. Se palavras, atitudes, caras e bocas são formas de violencia psicologica, imaginem quantos homens não sofrem esse tipo de violencia vindo de mulheres que não lhes acham interessante ou de namoradas e esposas “que estão enjoadas da relação” criam situações que geram uma discussão para terminar a relação sem que ela saia como a culpada e sim como a vitima, quando mulheres no circulo social falam mal “queimam o filme” de determinado homem tambem não é uma forma de isolamento social? Quando sua capacidade em lidar com o sexo oposto é questionada não abala a auto-estima não é uma forma de violencia psicologica, palavras destrutivas como “frouxo”, “pega-ninguem”, “corninho”, “p…pequeno”, “broxa” não são com o intuito de diminuir a pessoa? E a pior agressão de todas usada pelas mulheres como ultima consequencia, apelação pura, a invenção de assedios para prejudicar determinado homem.

    1. Paul, tudo bem? A violência psicológica atinge homens e mulheres, ou seja, ambos podem ser vítimas deste prática. Como elas costumam aparecer normalmente em relações de poder, sabemos que, em boa parte delas, o poder é socialmente atribuído ao homem e por isso, as mulheres compõem boa parte das vítimas desta prática. Também esclareço que somos suscetíveis a ter comportamentos de ira, atitudes raivosas e falar algo que causem desconforto emocional para outra pessoa seja como homem, seja como mulher em qualquer tipo de relação. O problema é quando isto se torna uma constante na relação.E nada melhor que os sentimentos da vítima para avaliar a sua situação. Como você se sente nesta relação? Está sempre na expectativa de como a outra pessoa vai agir e se comportar com você?

  3. Texto excelente. Tudo isso que está aí, inclusive as perguntas do questionário são exatamente o que eu vivo.
    Vou correndo procurar um profisssional para me ajudar, pq excesso de passado causa depressao.
    Sou uma pessoa tão saudadavel, mas esse relacionamento está me deixando doente.
    Me transformei em uma pessoa amarga e infeliz.
    Só Jesus me ajuda a seguir em frente.
    Obga pela ajuda

  4. Eu passo por isso com meu marido,é possível ele fazer isso inconscientemente? e é possível fazer ele enxerga isso e mudar de atitude? ou a unica opção é a separação

    1. Olá Débora, não diria que ele faz isso inconscientemente, mas que talvez ele não saiba o quanto isso faz você sofrer. Para saber se é possível ele enxergar isso, você tem que começar conversando com ele, e tentando mostrar o quanto isso faz você sofrer, é possível sim fazer um tratamento para ele se conscientizar de suas ações, porém ele tem que querer fazer isso.

      1. O difícil é ele aceitar q é uma pessoa dessa. Que nos faz infeliz e q se for a um psicólogo vai ser melhor para o casal. Nenhum louco admite q é doente e precisa de ajuda, portanto permanece assim a vida toda.
        A gente que tem q fazer a diferença, pq se não iremos tem um futuro frustado e depressivo.

  5. Um dos fatores que dificultam perceber a violência psicológica é a sua sutileza.
    Ela vem mascarada de cuidado, atenção, zelo, ironia etc. A ideia do agressor é transmitir a mensagem que não há violência ali. Entretanto, a violência está ali, da forma mais perversa e desumana possível.
    Necessita-se de perspicácia, pois sempre existe sinais por parte dos agressores, por eles serem desprovidos de sentimentos nobres, empatia, compaixão etc.
    Interessante seu texto!

    1. Sim Antônia, tudo o que você disse tem relação com a violência psicológica, que bom que gostou do texto, a cada 15 dias a colunista Karine ira trazer um texto sobre esse tema! 🙂

    2. Isso mesmo. Sutileza e a característica principal do agressor. É tão sutil que demoramos para entender que vivemos aprisionados por ele.
      O livro do pr FABIO de melo, quem me roubou de mim, relata bem esse comportamento do agredido.
      Só peço q Deus me ajude a remover essa pedra do meu caminho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.