Skip to main content

Transtorno Mental: Saiba Como Não Sustentar Pré-conceitos!

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

 Transtorno Mental

Vamos pensar: como é chamada uma pessoa que tem transtorno mental? Como as pessoas se referem a essas pessoas?

Agora pense: ao ver uma pessoa que tem diabetes na rua, por exemplo, como nos referimos a ela? “Olha! Aquela ali é a diabética!”; ou outro exemplo: “Aquele ali é o cardíaco!”

Não nos referimos a essas pessoas da forma que citei acima, correto? Porque ela é apenas uma pessoa que tem diabetes ou uma pessoa que tem insuficiência cardíaca.

Mas, e aquelas pessoas que tem um transtorno mental, como a esquizofrenia, por exemplo; como geralmente são chamadas? “Olha, aquele ali é o esquizofrênico! ”; “Aquela ali é a louca! ”.

A pessoa que tem um transtorno mental continua sendo uma pessoa como todas nós! Porém, é uma pessoa que tem esquizofrenia! Ou que tem uma deficiência!

A forma como muitos se referem as pessoas que tem uma deficiência ou um transtorno já demonstra um preconceito, uma discriminação, pois rotular as pessoas também é um preconceito.

O transtorno mental ou deficiência não define uma pessoa!

Elas são muito mais do que sua condição física ou mental.  Pois além de ter o transtorno ela continua sendo um ser humano, um cidadão/cidadã, como todos!

Vemos pessoas que tem uma deficiência ou transtorno mental serem rotuladas, discriminadas, tanto na forma como são chamadas quanto nas atitudes para com elas. Muito disso se deve aos costumes, ao que a sociedade “determina normal ou anormal”.

E essa questão deve ser atentamente observada e modificada. Inclusive os profissionais da área precisam saber, pois anteriormente chamava-se as pessoas que tem transtorno mental ou psiquiátrico de “Portadores de Esquizofrenia” por exemplo.

Termos esses que não são aceitos atualmente; entretanto, muitos profissionais ainda não sabem dessa modificação.

Sendo assim qual seria o termo correto a ser utilizado? O correto é dizer: “Pessoa que tem transtorno mental”, ou “pessoa que tem esquizofrenia” ou ainda “pessoa que tem deficiência”?  Por quê?

O significado de portador é: “Pessoa que carrega ou que conduz alguma coisa; carregador”.

Sendo assim se eu disser que eu sou portadora de algo quer dizer que eu posso deixar de portá-lo, deixar de carregar, e o transtorno, a doença, não é algo que eu posso escolher levar ou não.

Quem tem esquizofrenia não escolhe; tem esquizofrenia. Não pode deixar de lado e pegar depois ou trocar de bagagem, infelizmente.

E acima de tudo e o mais importante: continua sendo uma pessoa, um ser humano, que tem sim o transtorno, mas que isso não o define. Ele/ela é muito mais que somente o transtorno! É filho/a; pai, mãe; irmão, irmã; marido, esposa; cidadão, cidadã. Transtorno Mental

É necessário que os profissionais atuantes na área da saúde procurem sempre se atualizar sobre termos, maneiras de lidar com o paciente e seu transtorno, pois assim poderão ajudar e contribuir de forma mais eficaz a pessoa que tem uma deficiência ou transtorno e seus familiares.

Leia Também: Abraço Amigo: Pelo Menos 4 abraços por dia para melhorar sua saúde e bem estar!

O preconceito, discriminação e estigma ainda são os maiores obstáculos a serem enfrentados pelas pessoas com transtorno mental ou deficiências.

E infelizmente sabemos que ele pode vir da própria família, não apenas de pessoas de fora.

Mas, eu acredito que estamos caminhando. Devagar, mas caminhando para um mundo melhor, sem divisões. Cada um contribuindo, fazendo a sua parte, com certeza chegaremos lá!

E para finalizar, após conhecermos o termo certo para nos referirmos as pessoas que tem algum transtorno ou deficiência, convido-os a utilizar o termo “pessoa que tem transtorno mental ou deficiência” e divulgar, para que mais pessoas tenham este conhecimento.

Vamos dar um passo a mais contra o preconceito!

Leia Também: A Relação Entre as Perdas na Infância e os Transtornos Mentais na Vida Adulta

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante. Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: danipsicologa@outlook.com

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva; 

Tel/WhatsApp: 51-84059491; 

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.