Skip to main content
avós

Você Tem Tempo Para os Seus Avós?

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

avós

Então é Natal…o que você fez…o ano termina e nasce outra vez….então é natal… (Simone)

Um ano inteiro se passou e doze meses depois ouvimos novamente a mesma música, interpretada na voz da cantora Simone, Então é Natal.

Como assim já é Natal de novo,  mas que bom posso ir na casa da a avó comer um panetone, aquela rabanada que só ela sabe fazer, um peru de natal recheado com farofa, hum, que delícia, depois da meia noite, celebrar, abrir os presentes, falar meia dúzia de palavras, hum mas será que tem wifi?

Puxa ter que aguentar meu tio chato, falando de futebol, contando as mesmas piadas sem graças, que todos riem para não ficar chato, mas que são um tédio, mas é Natal né, vamos lá, vamos celebrar. Avós 

Celebrar o que mesmo? Avós 

A União, a harmonia, a saúde e felicidade da família, dos entes queridos e dos avós que ali estão prontos a nos “mimarem” fazerem nosso prato delicioso, nossa sobremesa gostosa, mas que nós não nos damos conta disso.

Passamos um ano inteiro, doze meses exatos, correndo, justificando a falta de tempo, “que nunca dá”, “eu não posso,” “estou atrasado”, “tenho compromisso” e assim o ano termina mais uma vez e como sempre só visitamos nossos avós no Natal.

Ah, mas se tiver wifi, claro né,  Televisor ligado no mesmo programa de T.V de todos os anos e assistir a mesma programação, né.

Mas o que aconteceu com o espírito de Natal, a celebração, o estar junto, presente rindo conversando em família, celebrando as conquistas e a PRE-sença( estar com)?

Vivemos um tempo tão corrido, contra o relógio que nunca temos tempo para nada e quando temos não suportamos ficar juntos por falta de assunto, porque nossa família é “um estranho para nós”, como se não tivéssemos assunto porque nos vimos uma vez ao ano, somente no Natal!

Mas tem uma pessoa que está ali, pronta para te receber de braços abertos, com carinho e ternura nos olhos, que sabe dos seus gostos mesmo que você já seja um adulto rabugento, “reclamão” e sem tempo e esta ali fazendo seu peru de Natal, sua gelatina colorida e sua farofa com muita uva passa( uva passa nãooooo), tá é Natal, ta perdoado.

Essa pessoa espera você o ano todo, e você com promessas, sempre dando desculpas que irá vê-la nunca aparece, mas ela esta lá a sua espera. Avós 

avós
avós

E assim sempre com a mesma desculpa:

“Alô, que saudade meu neto, quando você vem me ver?

“Alô, oi vó, tudo bem, então estou ocupado no momento, mas assim que puder eu vou, agora preciso desligar tenho reunião as 10h00, tchau!”

E assim passam-se os meses, carnaval, páscoa, festa junina, aniversário da tia, do tio, e mais uma vez: É Natal, oba que ótimo chegou o Natal de novo.

E começa tudo de novo…

Mas será que no ano que vem nossos avós estarão ali prontos a nos receber de braços abertos? Qual a certeza que temos?

Digo-lhes: Nenhuma. Avós 

Não temos certeza de nada, esperamos que isso aconteça, mas não temos certeza que eles estarão bem, com saúde esperando por nós com a mesa farta.

Pois bem se não temos certeza, porque deixamos para vê-los apenas no Natal?

Até quando iremos justificar a falta de tempo como desculpa para tudo, e assim sabotar o encontro com o outro, ou não ter uma nova oportunidade de encontrar o outro, pois a vida é muito curta e efêmera e num piscar de olhos, não estamos mais aqui e o que ficam são as memórias e lembranças.

Mas que lembranças e memórias se você não as cultiva, não cria oportunidades e momentos, ah esqueci, você não tem tempo não é mesmo? Avós 

Trago esta reflexão para que você, leitor reveja suas ações e pare para se questionar, quantas vezes tive tempo e não fiz, não fui ao encontro, deixei para depois com aquela velha mania de procrastinar e deixar para amanha, para semana que vem e assim nunca dá, mas SEMPRE DÁ.

Se quisermos de verdade, mesmo que sejam 30 minutos de qualidade, conseguimos um tempo e vamos ao encontro de nossos familiares em especial nossos avós, que estão ali, carentes, sozinhos  à nossa espera um ano todo para nos abraçar, dar carinho gratuitamente como se fossemos aquele garotinho esperto, cheia de energia, falante e as vezes birrento mas com um afago, abraço e carinho tudo passava e as broncas dos pais pareciam bem menores quando meus avós estavam perto de mim, porque era só ficar agarrado nas pernas deles ou no colo que meus pais paravam de brigar comigo.

Onde está esse garotinho, onde ele se perdeu?

Cresceu e virou um workaholic (sabe aquelas pessoas que trabalham demais e nunca tem tempo para nada, noite e dia trabalhando sem folga, que são escravas modernas do trabalho, mesmo que seja do seu próprio trabalho), pois bem esse nome difícil e complicado é isso ai, gente que nunca pode por causa do trabalho e da mesma justificativa, que virou um mantra moderno “A FALTA DE TEMPO”.

Deixo abaixo o poema de Mario Quintana que fala sobre essa reflexão do que é o tempo:

O Tempo Avós 

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Aproveite o fim do ano e reveja sua falta de tempo, pois sempre há tempo, desde que você se comprometa com seus valores, consigo mesmo e com os outros. Avós 

O tempo quem faz somos nós, mesmo que sejam 30 minutos ao dia sempre é possível, pois no próximo ano talvez não dê mais tempo e seus avós partam e não haverão mais perus de Natal, portanto celebre, celebre a vida, o encontro, a família.

Boas festas a todos, um ano cheio de perus, uvas passas e comemorações a todos e um feliz 2017 cheio de tempo a todos vocês.

Recomendo que você leia também: Síndrome do Ninho Vazio: Uma Oportunidade Para Resgatar Sonhos!

Até o próximo artigo

Roberta Almeida

Roberta  da Costa Almeida – CRP 06/118096

Psicóloga Clínica, palestrante, administra um grupo em rede social sobre infância, visando a reflexão e debate sobre este universo, chamado Mundo da Infancia.

Atende crianças, adolescentes, adultos, idosos e  faz Orientação Profissional, é Pós Graduanda em Psicopedagogia pela UCDB.

Já realizou trabalhos voluntários como psicóloga na cidade de Mogi das Cruzes, na ONG CERENEJMY com pacientes com doenças neurológicas e seus familiares.

E na cidade de São Jose dos Campos, com pacientes com cegueira total e baixa visão e  seus familiares.

Contatos: Página do facebook :www.facebook.com/roberta.almeidapsicologaclinica

celular:  (011) 987046469 whatts app

email: robertaalmeidapsico@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.