Respeito às Diferenças e o Fortalecimento da Autoestima Coletiva

Respeito as diferenças

Respeito às diferenças

Carl G. Jung criador da psicologia analítica nos brindou com sua visão de mundo em que ampliou as questões do sofrimento humano para além do individual, ao contrário de Freud que grandiosamente estudou a psique humana com o viés do inconsciente individual, Jung foi além criando, estudando e desenvolvendo o conceito de inconsciente coletivo.

De acordo com o Dicionário Junguiano, no Inconsciente Coletivo estão os fundamentos estruturais e as camadas mais profundas da psique e constitui-se dos materiais que foram herdados da humanidade.

O Inconsciente Coletivo é o resíduo psíquico do desenvolvimento evolutivo humano, um resíduo que se acumula em consequência de repetidas experiências ao longo de muitas gerações.

Jung postula que o ser humano não nasce como uma ‘tábula rasa’. respeito as diferenças

A existência do Inconsciente Coletivo indica que a consciência individual não é absolutamente isenta de pressupostos. Ao contrário: acha-se condicionada em alto grau por fatores herdados, sem falar, evidentemente, das inevitáveis influências que sobre ela exerce o meio ambiente.

(Carl Gustav Jung; A natureza da psique – § 230).

respeito as diferenças Assim como o organismo humano é fruto da evolução de gerações e gerações e que cada ser humano ao nascer herda esta herança biológica, a mesma ideia serve para a psique humana.

Respeito as diferenças
Heranças passadas de geração para geração.

Ou seja, muitas questões que me afetam como indivíduo singular, afetam também o meu próximo, não são questões apenas individuais, são questões coletivas.

Todo início do ano está mais propício para abrirmos espaço para reflexões sobre nossa vida, nosso papel individual, e por que não, social?

E essas questões sociais estão incluídas neste âmbito do inconsciente coletivo.

Levando em conta algumas destas questões, gostaria de pontuar a exclusão, os preconceitos, as diferenças.

Sendo nós seres únicos, todos já passamos por algumas destas questões, em maior ou menor grau.

Todos nós, em algum momento, já nos sentimos diferentes em algum ambiente, rejeitados, excluídos ou desadaptados. respeito as diferenças

E isso pode sim, ter afetado nossa autoestima, fazendo-nos recuar diante da dor, ou lutar para enfrentá-la.  respeito as diferenças

O movimento que cada um faz também tem a ver com suas construções individuais e coletivas.

Leia este artigo sobre como cuidar da sua autoestima olhando para si mesmo: https://opsicologoonline.com.br/como-cuidar-da-autoestima/

respeito as diferenças Da mesma forma que quando conseguimos combater um tipo de preconceito e desrespeito com nossa fala ou atitude, estamos também contribuindo para uma evolução social e da autoestima coletiva.

respeito as diferenças
Falas e atitudes podem combater o desrespeito, colaborando para a evolução social e da autoestima coletiva.

Quando alguém de uma comunidade carente ou pertencente a alguma minoria (negros, mulheres, gays) se torna uma figura pública ou ganha alguma notoriedade, influencia a autoestima e empoderamento de muitos.

O senso de poder alcançar algo é gerado, há uma comoção para além do que esta pessoa conseguiu individualmente.

Recentemente a apresentadora e atriz norte-americana Oprah Winfrey, primeira mulher negra a receber o prêmio Cecil B. DeMille (concedido anualmente pela Associação de Correspondentes Estrangeiros a figuras notáveis da indústria audiovisual americana) fez um discurso inspirador no Globo de Ouro falando sobre assédio e racismo.

Oprah, uma mulher e negra, que quando consegue um destaque ímpar amplia o olhar de tantas mulheres (e porque não de homens) sobre a importância do respeito, da empatia, do amor e da justiça.

Quantas pessoas Oprah não fortaleceu em seu discurso?

Quantas mulheres não se sentiram encorajadas a denunciar um abuso ou assédio moral?

Ou quantas ainda ela inspirou?

Muitas.

O seu papel social e de fortalecimento da autoestima social, para além da individual, foi muito importante em seu discurso.

respeito as diferenças Ter mulheres pensantes e atuantes contra injustiças e violências que as mulheres sofrem todos os dias é de uma força coletiva imensurável.

respeito as diferenças
Mulheres lutando por seus direitos e contra injustiças.

Venho dialogando com vocês sobre a importância da nossa autoestima não por questões de individualismo, egoísmo e narcisismo. respeito as diferenças

Até porque já apontei algumas vezes aqui que a autoestima não á um direito adquirido e imutável.

Circunstâncias da vida real, no real da vida, podem sim desestruturar ao ameaçar construções pessoais, mas é importante fortalecer o quão necessário é para nossa saúde mental e emocional uma autoestima e amor próprios.

Valorizar-nos enquanto seres humanos, enquanto seres criativos, de vida e de possibilidades de atuação na transformação do nosso individual,  nossa sociedade e do nosso coletivo.

O que fazemos de bom para nós, pode sim influenciar e inspirar o próximo, podemos sim nutrir e buscar uma sociedade mais saudável, feliz e com bom fortalecimento social.

Todos nós podemos ser modelos no microcosmo que vivemos, todos podemos sim fazer a diferença.

Comece por você, comece por dentro.  respeito as diferenças

Leia também o artigo que diz como podemos melhorar nossa auto estima através dos processos de mudança: https://opsicologoonline.com.br/como-melhorar-a-autoestima/

Com amor, Suzane.

 respeito as diferenças

[thrive_leads id=’498′]

 

 

Suzane Guedes é Psicóloga (CRP 05/42766), Especialista em Psicologia e Desenvolvimento Humano e Arterapeuta Junguiana.

Atua nas cidades do Rio de Janeiro e Três Rios-RJ com atendimento clínico à crianças, jovens, adultos e idosos; ministra grupos e oficinas terapêuticas. Também trabalha como orientação psicológica online.

Suzane acredita na psicoterapia como grande ferramenta de auxílio ao desenvolvimento pessoal e social.

Contatos profissionais: (21) 96985-4954

Atendimento online: http://www.atendimento.opsicologoonline.com.br/suzane-guedes

Email: suguedes@yahoo.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/olharparasi/

Instagram: @olharparasi

 

 

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes