Skip to main content

Relações Afetivas Conturbadas? Saiba como lidar!

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

*Por Rubens de Mello

Todos sabemos como as relações interpessoais podem comprometer nossas trajetórias de vida. Estabelecemos relações de muitas formas diferentes em toda vida, por exemplo relações das quais temos controle, amigos, sócios, parceiros do time de futebol, parceiros em duplas de jogo de cartas, vendedores, garçons etc.

Algumas relações não temos o menor controle, pais, irmãos, e toda espécie de parente. Algumas outras acreditamos que temos algum controle governos, políticos e alguns cargos públicos aos quais estamos submetidos.

Em meio a tantas diferenças, é claro que ocorrem muitos conflitos e que por vezes não fazemos a menor ideia do porque esses conflitos ocorrem e como resolve-los de forma adequada e satisfatória. É para falar desses conflitos e de algumas formas de resolvê-los que estamos escrevendo esta matéria.

“O conflito não é entre o bem e o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância.”

Buda

Em primeiro lugar vamos pensar um pouco em como as relações se estabelecem

Quando damos algo, inconscientemente esperamos receber de volta, como um acordo inconsciente que fazermos sema visar a outra parte.
Quando damos, esperamos receber de volta, como um acordo inconsciente que fazermos sem avisar a outra parte e nos decepcionamos quando a outra parte não cumpre o “acordo”.

Todas as relações implicam em complementariedade, o que quer dizer cada parte da relação tem “atributos” que exigem uma resposta a contento, se uma parte “DÁ” a outra parte deverá “RECEBER” e assim se fecha uma relação, contudo, em nossas relações interpessoais, na maioria das vezes ficamos esperando uma retribuição compatível e se essa retribuição não vem, ficamos decepcionados.

É exatamente essa decepção que forma a base do conflito, quer dizer, eu dou um presente para alguém e esse alguém não retribui com outro presente, ficamos frustrados e essa frustração, com certeza provocará uma série de emoções que não temos controle.

Leia Também: Como Eliminar Pensamentos Negativos? Conheça 7 Dicas que Podem te Auxiliar!

Como disse acima, a relação se encerra num ciclo de Dar – Receber, não implica em retribuição, mas culturalmente achamos que o outro, se não retribuir, ficará devedor e vamos cobrar por isso enquanto durar a relação.

Então, começamos a perceber que a conturbação das relações começa exatamente pelas expectativas colocadas pelos seus componentes. É importante lembrar que o DAR é uma característica do ser humano, pense em si mesmo:

Em que situação você se sente melhor? Quando você dá um presente para alguém e esse alguém gosta do presente; ou quando você recebe um presente de que gosta?

Ninguém dá alguma coisa se não precisar dar, ou seja “DAR” faz parte da vida, e solidariedade é uma das melhores sensações que vivemos na vida.

Leia Também: 7 Dicas Para Confortar Alguém que Precisa de Apoio Emocional!

É uma sensação de pertencer a, de ser importante, de ser valioso, de ser necessário, de ter poder, enfim atingir a grande meta da vida que é fazer parte de algo grandioso e fundamental.

Então, voltando às expectativas vamos encontrar uma série de vivências conturbadas que atrapalham nossas relações e muitas vezes provocam rompimentos irreconciliáveis.

O ser humano tem uma imaginação fertilíssima e o imaginário coletivo produz sonhos que parecem inatingíveis, mas que se tivermos foco iremos conseguir atingi-los.

Se olharmos com atenção para os detalhes mais sutis das relações iremos perceber nossas expectativas e se conseguirmos lidar com elas, isto é, coloca-las no seu devido lugar, com certeza os conflitos relacionais poderão ser tratados com maior clareza e frequentemente resolvidos a contento.

Pensemos em relações amorosas, como escolhemos nossos parceiros, como reagimos a parceiros que se interessam por nós e nós não nos interessamos por eles?

dedo podre

Como respondemos a essas propostas relacionais?

E quantas pessoas relatam que tem “o dedo podre”, expressão usada para dizer que fazemos escolhas erradas.

Atenção, não existe “dedo podre”, existem escolhas que fazemos à luz dos nossos valores e princípios, escolhemos com critérios que não dominamos, apenas repetimos aquilo que nos foi ensinado e com o que construímos com nossas experiências pessoais.

Se olharmos mulheres que com frequência estabelecem relações onde o parceiro trai e abandona, o tal “dedo podre”, se retrocedermos a trajetória de vida dessa mulher, com certeza iremos encontrar diferentes experiências de abandono, de traição a que, mesmo com todo sofrimento vivido, foi aparentemente superado e vencido e a mulher sai dessa experiência com a sensação de “mais forte”.

Se sentir mais forte é sinônimo de sucesso, de êxito, e é claro, uma experiência de sucesso tende a se repetir frequentemente. Para entender melhor leia: Resiliência: A Capacidade de SUPERAÇÃO – Como Seus Pensamentos Podem Te Ajudar a Ser Resiliente?

Quando fazemos sucesso em uma empreitada, temos a formação de nossa sabedoria, acreditamos que estamos habilitados a lidar com essas situações, e que somos capazes.

Contudo, temos a tendência de repetir comportamentos que se tornam automáticos mesmo que se sofra com os resultados e isso acontece porque inconscientemente constatamos que permanecemos vivos mesmo passando pelo sofrimento.

“A lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos.”

Mahatma Gandhi

A mudança desse comportamento é possível a partir do reconhecimento de nossos talentos que ainda não foram colocados em ação, ou seja, é preciso que nos arrisquemos com experiências novas, a vivência de momentos de insegurança e a busca da aventura em direção ao desconhecido.

O novo sempre assusta e arriscar comportamentos nos faz parecer adolescentes em aprendizagem, e tememos parecer imaturos, mas é sempre bom lembrar que ainda não chegamos nem ao começo da caminhada humana, somos seres em eterna aprendizagem, em evolução e mais do que nunca é necessário participar da aventura de descobrir e se descobrir.

Para encerrar, gostaria de deixar uma mensagem de otimismo:

            “Viva como se não houvesse amanhã,

              Preste atenção a tudo que acontece à sua volta,

              Aproveite cada amanhecer e cada anoitecer,

              E permita que seus sonhos se revelem em todo seu esplendor. ”

            “Experimente fazer parte da vida de alguém e permita que alguém faça parte de sua vida. ”

Leia Também: Abraço Amigo – Pelo Menos 4 Abraços Por Dia Para Melhorar Sua Saúde e Bem Estar!

Para Orientação Psicológica Online Clique Aqui!

Rubens de Mello

Rubens de Mello é Psicólogo (CRP 02/2779) com especialização em Psicodrama e atua na clínica atendendo adolescentes, adultos, terceira idade, terapia de casal e grupos. Consultor em Recursos Humanos há mais de 20 anos em empresas nacionais e multinacionais, estatais e da iniciativa privada. Na academia trabalha como professor Supervisor e Terapeuta Didata em Psicodrama no IPP – Recife PE; Professor e Supervisor em Psicodrama Aplicado às organizações no IPP. Recife PE; Professor Universitário pela FAFIRE – Recife – PE; Professor do MBA em Gestão de Pessoas pelo CEDEPE Business School e pela KM Consultores.

CONTATOS: Rubens de Mello Psicologo – Av. Cons. Aguiar, 1205 Cjto. 102 Boa Viagem – Recife – PE

Telefone: (81) 944946311; Email: rubenspsicologo@gmail.com; Fanpage Facebook: http://bit.ly/FortalecendoRelações

Twiter: @RubensdeMello1; Instagram: fortalecendo_relacoes; Youtube: Rubens de Mello

3 thoughts to “Relações Afetivas Conturbadas? Saiba como lidar!”

  1. Sempre tive uma fascinação por essa área do conhecimento humano. Pena que, por falta de chances, recursos e devido às atribuições do meu cargo público, não pude e tive que escolher o Direito, matéria mais próxima da minha área, a tributária.
    Vou seguir seus artigos e aprender um pouco mais sobre o comportamento humano.
    Obrigado

    1. Olá Gilberto, a psicologia é realmente um área muito fascinante, e tem o poder de nos fazer crescer muito como pessoa e ampliar nossa forma de ver o mundo, conhecer mais nossa relações. Nunca é tarde para começar algo novo, quem sabe você não possa fazer psicologia ainda?
      Muito obrigado pelo apoio, fico muito feliz em saber que vai acompanhar o trabalho do blog.
      Abraço 🙂

    2. Obrigado Gilberto, seu interesse parece bastante genuíno e com certeza, os conteúdos que tenho publicado não se restringem aos Psicólogos, afinal Relações Humanas são base de todo tipo de trabalho e o aprimoramento nesses conhecimentos pode ajudar em todos os sentidos.
      Vamos interagindo e por favor, se quiser sugerir algum tema para que eu escreva a respeito, as portas estarão sempre abertas.

      Obrigado pela atenção

      Abraços
      Rubens de Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.