Skip to main content
Eu Quero Mudar

Que Tipo De Pessoa Você É Nos Seus Relacionamentos Amorosos?

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Ah o amor está no ar! Relacionamentos Amorosos

Estamos bem próximos da Dia dos Namorados e tudo aquilo que remete a condição de enamoramento, paixão, relacionamento amoroso, encantamento, suspiros e leveza estão expressos em verso, prosa e gestos.

E você que está lendo este texto neste exato momento está se relacionando com alguém ou mesmo com aquela boa e romântica sensação de estar ligado a outra pessoa?

Você já se questionou alguma vez quem realmente é esta pessoa com quem você está se relacionando ou mesmo sentindo um algo a mais?

Calma… não quero jogar um balde de água fria em sua relação ou mesmo sentimento.

Mas quero ter uma conversa franca e real com você leitor(a).

Antes de mais nada, gostaria que você repassasse um pouco como foram suas últimas relações amorosas e respondesse para si as seguintes perguntas: Relacionamentos Amorosos

  1. Quais foram os fatos marcantes destas últimas relações?
  2. O que você protagonizou nestes fatos marcantes?
  3. Quem era a outra pessoa nestes fatos marcantes?
  4. Quem era você nestes fatos marcantes?
  5. O que você permitiu acontecer?
  6. O que você pensava e sentia nestas relações?
  7. O que você pensa e sente hoje na atual relação?

Relacionamentos Amorosos São questões feitas para que você perceba qual é o padrão de relacionamento amoroso construído por você e o tipo de parceiro(a) que você se sente atraído ou mobilizada(o) emocionalmente.

Relacionamentos Amorosos
Relacionamentos Amorosos

Pois é. Estamos falando exatamente de você neste momento.

O que você busca nestas relações? Relacionamentos Amorosos

Companheirismo, proteção, apoio incondicional, aventura, dependência, força…?

O que especificamente? Isto tem muito a ver com o seu mundo psíquico.

E como esta coluna tem o objetivo de tratar a violência psicológica, estas questões se tornam cruciais. Relacionamentos Amorosos

Com isso, trarei algumas questões muito comuns encontradas nestas relações:

#1 – “Preciso do amor de alguém para viver” Relacionamentos Amorosos

Esta é uma variante do “Eu não sei viver sozinha(o)!”.

Normalmente são pessoas que não conseguem viver sozinhas também, mas que, principalmente, têm baixa autoestima, não conhecem a si mesmas ou, pior, se odeiam.

Assim, precisam que este sentimento seja emanado pelo outro ou mesmo que ele a valorize, dê atenção, promova uma suposta autoconfiança, enfim, preencha o vazio interior desta pessoa.

#2 – ”Eu sou incapaz de manter um relacionamento amoroso!”

Relacionamentos Amorosos: eu sou capaz de manter um?
Relacionamentos Amorosos: eu sou capaz de manter um?

Por uma questão cultural, neste ponto, irei enfatizar as mulheres.

Mas esta questão pode atravessar o universo masculino também.

Algumas mulheres fazem malabarismos para ficar em um relacionamento por que acreditam que o término dele seria um atestado de incompetência para elas.

Este caso é muito encontrado para aqueles que superestimam o valor de um relacionamento amoroso em suas vidas, ou seja, são mulheres que empreendem toda a sua energia para ter uma pessoa ao seu lado. Relacionamentos Amorosos

Isto é a prioridade da sua vida!

E assim para não “admitir o seu suposto fracasso” elas se contorcem para manter uma relação de aparências ou de fachada.

A situação se agrava se a sua educação foi aquela tradicional voltada para as meninas.

#3 – Autoimagem da pessoa Relacionamentos Amorosos

Quando os pais transmitem aos filhos, de forma direta ou indireta, que eles são valiosos e dignos de respeito pelas outras pessoas, possivelmente, eles vão esperar um tratamento digno por parte das pessoas. 

Mas, caso os pais ensinem que esta criança não tem valor ou é indigna de alguma maneira, então ela vai buscar interações que confirmem de alguma maneira esta imagem negativa.

#4 – Repetição do modelo familiar Relacionamentos Amorosos

Muitas mulheres costumam repetir os padrões de relacionamento familiares mesmo que queiram fazer com que tudo não seja como era em sua família de origem.

Não é incomum encontrar pessoas que lutaram para ter relacionamentos mais saudáveis que os pais mas acabam envolvidas em relações com parceiros(as) muito parecidos.

#5 – “Toda mulher precisa de um homem”

Este é um clássico. Relacionamentos Amorosos

Parte da prerrogativa que é obrigação de toda mulher ter um homem ao seu lado.

Se ela está sozinha ou com uma mulher, há uma nuvem patológica pairando acima desta mulher no olhar de muitas pessoas.

Então, pergunto: a mulher é um ser imperfeito que precisa de peças e acessórios para que se torne um ser humano “normal”?

#6 – O outro é a sua prioridade

Relacionamentos Amorosos
Relacionamentos Amorosos

Por inúmeros motivos, muitas pessoas não priorizam a si mesmos ou suas próprias vidas.

Existem pessoas que que se envolvem em tantos papéis e a prioridades em que envolvem somente as necessidades alheias.

E isto acarreta perder ou mesmo não ter a prioridade com a própria vida.

Quando aponta para isso não é uma questão de vaidade, egoísmo …. Não é bem isso!

É saber que sua vida é valiosa, a necessidade de estabelecer limites, cuidar de si tanto física quanto emocionalmente e entender/sentir que você é responsável pela qualidade que dá a sua própria vida.

E quando isto se aplica ao relacionamento amoroso, tal forma de agir se traduz na doação total e completa, nas renúncias constantes e na busca constante pela satisfação das necessidades do(a) parceiro(a).

O relacionamento é pautado pela sua abnegação com o outro.

Um dos perigos deste tipo de atitude se encontra caso o relacionamento termine.

Possivelmente, você criou muitas expectativas de retribuição da parte da outra pessoa e isto pode não acontecer.

Nesta situação, o impacto emocional para a pessoa abnegada costuma ser alto.

#7 – E a pergunta fundamental: quem é você depois deste relacionamento amoroso?

O que você mudou devido a este relacionamento amoroso?

Você se tornou mais madura, saudável ou aprendeu uma nova maneira de enxergar a si mesmo ou a vida?

Você se sente em plena expansão? Relacionamentos Amorosos

Ou percebe que você regrediu ou mesmo anulou aspectos de si para manter este relacionamento?

Não se sente plena e completa enquanto ser dentro daquele relacionamento?

Acredita que, caso o(a) companheiro(a) termine o relacionamento, você se sentirá perdida ou confusa sem saber como dar seguimento a sua vida?

Percebe que seu contato com o mundo ficou reduzido ou mesmo inexistente?

Estas são questões que precisam ser pontuadas dentro dos relacionamentos amorosos.

Digamos que muitas pessoas se sentem perdidas ou mesmo não reconhecem a si mesmas quando estão dentro da relação ou mesmo mergulhado no mar do enamoramento ou encantamento.

É evidente que o aspecto emocional modifica a maneira como a pessoa reconhece o(a) outro(a).

No entanto, as idealizações e fantasias que caem por terra em algum momento.

Assim, é interessante atentar como cada pessoa se faz nas relações amorosos para que você ame, mas não se esquece de você e nem de quem é você!

Cuide-se! Relacionamentos Amorosos

Recomendo que você leia também: Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam

Karine

Karine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/).

www.karineandradepsi.com.br

www.eporelas.com.br

Facebook: Karine Andrade Psicóloga

Instagram: @Karineandrade_psiaju

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.