Skip to main content
relacionamentos abusivos

Relacionamentos Abusivos: 6 Dicas Primordiais Para Abandoná-los!

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Relacionamentos Abusivos

Relacionamentos Abusivos

Talvez eu esteja enganada(o). Talvez eu esteja exagerando. Pode ser que ele(ela) estava muito estressado(a) e falou todas aquelas grosserias.

Acho que estou com os nervos à flor da pele. Isto vai passar é só uma fase. Eu acho que ele(ela) tem razão em algumas coisas que fala. Relacionamentos Abusivos

Talvez eu seja mesma chata, louca e desequilibrada como ele(ela) fala. É melhor que eu não fale mais nada para não aborrecê-lo(la).

Se eu ficar calada e não emitir minha opinião, eu acredito que ele(ela) vai mudar de atitude. Aliás ele (ela) sempre está certo(a) por que sou eu que estou sempre falando besteiras.

Bom, poderia escrever vários e vários pensamentos que surgem em uma pessoa que vivencia um relacionamento abusivo.

Mas, de uma maneira geral, podemos perceber que a pessoa abusada vai desaparecendo psiquicamente aos poucos na tentativa de lidar com o(a) abusador(a) …, mas nada disso resolve.

Recomendo ler também: Violência Psicológica: Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam

Os relacionamentos abusivos costumam internalizar a culpa na vítima, destroem a autoestima, traz desconcerto e dúvidas para a pessoa abusada sobre o que pensa e sente e, aos poucos, vai aniquilando o lado saudável da vida psíquica da vítima.

Com isso, muitas acreditam que não são capazes de sair daquele relacionamento e dar continuidade à vida e outros projetos fora daquela relação. Relacionamentos Abusivos

Então a pergunta que não quer calar: como fazemos para sair de relacionamentos abusivos?

Recomendo ler também: Os 8 Motivos Que Prendem Alguém a Um Relacionamento Abusivo!

E sobre isto que vou falar nas próximas linhas. Então continue aqui comigo!

6 Dicas Primordiais Para Você Sair Relacionamentos Abusivos

relacionamentos abusivos
Relacionamentos abusivos: Saiba como sair deles!

#1 – Identifique e nomeie o abuso

Muitas pessoas negam que estão em relacionamentos abusivos.

Caso você tenha percebido que está em um relacionamento abusivo, o(a) agressor(a) não vai alterar o comportamento em razão de mudanças e cuidados que você faz para agir com ele(ela).

Quando você identifica e nomeia, já foi dado o primeiro passo. Caso você tenha dificuldade em realizar isto por conta própria, procure ajuda profissional de um psicólogo.

#2 – Você não está louca (a) e ele (ela) não tem razão!

Seus sentimentos e pensamentos são válidos. Você não provocou as agressões verbais ou mesmo físicas e você tem DIREITO de sentir e pensar.

Esta é a etapa que muitas vítimas de relacionamentos abusivos têm mais dificuldades e o grau de dificuldade está relacionado com os prejuízos deixados pelo(a) agressor(a) na vida psíquica da vítima. Relacionamentos Abusivos

#3 – Você não vai mudá-lo(la)!

Os(as) agressores(as) costumam ter necessidade de poder, controle e manipulação sobre a vítima, mas, em alguns momentos, eles podem demonstrar atitudes que fortalecem a esperança de mudança por parte das vítimas. Relacionamentos Abusivos

Lembre-se que a violência é cíclica e pessoas com perfis abusivos costumam percorrer etapas até provocar a violência. O desejo de mudança que você quer no outro, direcione para si

#4 – Reconheça o perfil do abuso

Após dar nome ao que está acontecendo e entender que você precisa mudar, chega o momento de reconhecer o perfil do abuso.

O perfil se refere ao padrão de comportamento e expressão abusivo do(a) agressor(a).

Este padrão será referência para a construção de recursos e estratégias emocionais, materiais e sociais para fazer frente ao relacionamento abusivo.

#5 – Restabeleça seus contatos sociais

O restabelecimento dos contatos sociais permite que a vítima saia de um único padrão de relacionamento.

Tenha outros parâmetros para avaliar o relacionamento em que se encontra, desenvolva e retome projetos esquecidos e oprimidos pelo relacionamento e possua um suporte social que a ajuda a sair deste tipo de relação. Relacionamentos Abusivos

#6 – Planeje a saída do relacionamento abusivo

Caso você precise sair de casa, é necessário que você faça um planejamento e para isso é fundamental que você conte com a ajuda de amigos e familiares para auxiliá-la(lo).

Assim, procure um local temporário que possa ficar ou mesmo um abrigo para mulheres vítimas de violência.

Um dos problemas das vítimas de violência psicológica é que elas(eles) possuem a crença de que não sofrerão nenhum tipo de agressão física.

Por sua vez, algumas vítimas de violência física acreditam que o(a) agressor(a) não é capaz de cometer algo mais grave contra a integridade física da vítima.

Mas quando elas(eles) reconhecem os abusos e não querem vivenciar mais aquela relação, traçar um plano de saída é fundamental. Relacionamentos Abusivos

Quando já existe um local para saída e apoio social, também são necessárias as seguintes providências:

  • tenha sempre uma quantia em dinheiro guardada,
  • separe algumas roupas,
  • faça cópias de seus documentos pessoais e profissionais
  • e combine algum sinal de comunicação com outra pessoa que possa te apoiar na saída.
  • Coloque o dinheiro, as cópias e as roupas em um local seguro e de fácil acesso.
  • Mesmo que você não conviva na mesma casa que o agressor e tema alguma retaliação ou reação mais agressiva por parte do(a) parceiro(a), planeje o local para comunicar o fim do relacionamento.
  • Tenha por perto pessoas de sua confiança (amigos e/ou familiares) para te apoiar em caso de eventualidades.

Estas são as etapas vividas por quem sai de um relacionamento abusivo, mas o caminho até a saída é de autoconhecimento e empoderamento e o tempo para que isto aconteça varia de um caso para outro.

Você pode estar pensando: “Mas é muito difícil sair do meu casamento, namoro,”

Caso você não consiga realizar isto sozinho(a), procure ajuda profissional de um psicólogo. Estou à disposição! Relacionamentos Abusivos

Grande Abraço!

Karine

karineKarine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/). Membro da Cativare (https://www.facebook.com/cativarepsi/). Idealizadora do Projeto De Bem com Você em parceria com a psicóloga Eanes Moreira.(Informações via whatsapp (79)99922-8130)

Contatos: E-mail: psimulti@gmail.com; Facebook – https://www.facebook.com/KarineAndradepsi/

Instagram –https://www.instagram.com/karine.andrade_psiaju/; YouTube – Psicologia Aracaju

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.