Skip to main content

(Re)descobrindo os Contos de Fadas

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Se quiser falar ao coração dos homens, há que se contar uma história. Dessas onde não faltem animais, ou deuses e muita fantasia. Porque é assim – suave e docemente que se despertam consciências.

Jean de La Fontaine

Sabe aquele ditado famoso: Quem conta um conto sempre aumenta um ponto? Pois bem, a história é mais ou menos assim mesmo. Quando se ouve falar a respeito dos Contos de Fadas rapidamente esses enredos são associados ao público infantil. E bom, a grande verdade é que as histórias de fadas são para todos.

Marie-Louise von Franz, analista junguiana e uma das maiores estudiosas dos contos no campo da Psicologia Analítica, menciona que o mais maravilhoso é a capacidade que os Contos de Fadas têm de encantar a todos, independente da idade, raça e cultura.

Isso porque os Contos de Fadas são atemporais, eles perpassam as gerações, transitam no tempo, ou seja, são de domínio público. Na Psicologia Analítica, ou também chamada Psicologia Junguiana, essa ideia representa o conceito de inconsciente coletivo, mas isso é assunto para outro texto.

Leia Também: Os 7 Benefícios Da Gratidão Que Podem Deixar Sua Vida Mais Significativa!

Os Contos espelham a psique humana, isto é, eles são o nosso autorretrato. Ao ler um conto nos deparamos com elementos profundos e ao mesmo tempo muito simples. Mergulhamos em seu universo e nos encantamos por suas paisagens fantásticas, personagens cativantes e conteúdo mágico. Tudo porque um conto conta muito da gente, por mais redundante que isso possa parecer.

Podemos nos identificar com a heroína/o herói, por exemplo, ou podemos ser seduzimos pelo vilão. Podemos escolher o lado do bem ou o lado do mal. Podemos dialogar com animais falantes e personagens encantados. Podemos…podemos tudo e nada nessas histórias, as quais, na verdade, são as NOSSAS HISTÓRIAS.

Somos um compilado de histórias, um compilado de Contos de Fadas

E a cada dia escrevemos uma nova página desse conto: O Conto da Vida. Se pararmos para pensar, no nosso dia a dia não optamos por seguir na direção que estamos? Ou escolhemos desviar o caminho? Ou ainda voltar alguns passos? As histórias de fadas se dão exatamente dessa maneira, elas nos convidam a nos aventurar na imensidão de nós mesmos e a escolher tomar as nossas próprias decisões.

Leia Também: Resiliência: A Capacidade de SUPERAÇÃO – Como Seus Pensamentos Podem Te Ajudar a Ser Resiliente?

Somos um compilado de histórias e os contos de fadas são os contos da vida!
Somos um compilado de histórias e os contos de fadas são os contos da vida!

Eu sei, talvez não deva ter ficado claro o que são os Contos de Fadas e quais suas relações com a Psicologia. Mas, calma, querido leitor, tudo ao seu tempo. Você já deve ter ouvido aquela frase: “Um passo de cada vez”, não é? Vamos, agora, transformá-la um pouquinho, que tal: “Um conto de cada vez?”.

Foi pensando nisso que o nome da coluna surgiu e será desse modo que ela irá funcionar, um conto por vez, uma aventura por vez, um local maravilhoso a ser desbravado por vez. Para que possamos, assim, degustar as histórias, apreciá-las e simbolizá-las.

A proposta da coluna é compartilhar mais a respeito dos Contos de Fadas, desmistificar algumas ideias sobre o tema, analisar contos, sugerir filmes e o que mais eu encontrar na minha caixinha de tesouros para mostrar a vocês.

Encontraremos-nos uma vez por mês ou, às vezes, um pouco antes se o Coelho Branco aparecer e despertar a minha curiosidade; se o tapete mágico me levar a novos lugares; se o gênio da lâmpada me conceder um quarto desejo; se a minha fada madrinha me deixar ficar um pouco mais que as 12 badaladas do relógio à meia noite.

Encerro meu primeiro contato com vocês retomando a frase inicial do poeta e fabulista francês Jean de La Fontaine, que possamos tecer aqui um diálogo de muito despertar. E que a cada novo texto os Contos sejam (re)descobertos dentro de cada um que por aqui passar.

Um beijo e uma (re)descoberta,

Juliana. 

julianaJuliana Ruda – Psicóloga de Orientação Junguiana (CRP 08/18575). Tem Especialização em Psicologia Analítica. Atua na área clínica atendendo jovens e adultos. Ministra cursos, palestras, workshops e grupos de estudos com temas relacionados à Psicologia, Psicologia Junguiana e Contos de Fadas. É uma das colaboradoras da Comissão Temática de Psicologia Clínica do Conselho Regional de Psicologia do Paraná. Além de eterna aventureira dos Contos de Fadas!

Contatos – E-mail: psicologa.julianaruda@gmail.com 

Facebook: https://www.facebook.com/PsicologaJulianaRuda/

One thought to “(Re)descobrindo os Contos de Fadas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.