Redes sociais para psicólogos: como usá-las sem quebrar nenhuma regra?

Muitos profissionais já fazem isso sem prejuízo, muito pelo contrário, pois basta respeitar o que diz o Conselho Federal de Psicologia.
Redes sociais para psicólogos

As redes sociais são um modo de interação frequente entre as pessoas, pelo fato de serem práticas e dinâmicas.

É possível que psicólogos utilizem as redes sociais como forma de atendimento a seus pacientes, contudo deve ser feito uso conforme as permissões e proibições do Conselho Federal de Psicologia, para que regras não sejam quebradas.

Leia o artigo abaixo para saber como proceder.

 

O que diz o Conselho Federal de Psicologia

Segundo o Conselho Federal de Psicologia, é proibido que o profissional utilize o preço do serviço como forma de propaganda.

 

O psicólogo também não pode utilizar-se de quaisquer atividades pelos meios de comunicação, com apenas o intuito de autopromover-se.

 

Está vetado o uso das redes sociais para o psicólogo para fins de previsão taxativa do resultado, bem como para propor atividades e recursos relativos a técnicas psicológicas não reconhecidas pela prática profissional.

 

Contudo, pela Resolução do Conselho Federal de Psicologia nº 010/97, primeiro artigo, o profissional de psicologia pode fazer uso das redes sociais para divulgação, publicidade e associação do seu título e/ou exercício profissional a técnicas psicológicas reconhecidas como próprias do psicólogo e que estejam de acordo com os critérios estabelecidos pelo campo da Psicologia.

 

Psicólogos utilizam as redes sociais com sucesso

 

As redes sociais não são vilãs do atendimento psicológico online ou presencial, muito pelo contrário.

Como você pode perceber, é possível utilizá-las sem quebrar nenhuma regra.

Abaixo, especificaremos o que mencionamos acima, para esclarecer ainda mais as permissões e proibições do CFP.

 

É permitido:

 

-apresentar o nome completo do profissional, seu registro no Conselho Regional de Psicologia e registro do psicólogo;

 

-especificar os títulos e qualificações obtidas em sua formação profissional;

 

-divulgar qualificações, atividades e recursos relativos às técnicas e práticas psicológicas reconhecidas ou regulamentadas pela sua profissão.

 

É proibido:

 

-citar o valor de seus honorários como forma de propaganda (exemplo: mais em conta do que outros psicólogos ou clínicas);

 

-prometer ou prever taxativamente os resultados de um tratamento iniciado ou em curso;

 

-autopromover-se, denegrindo ou não a imagem de seus colegas de profissão;

 

-propor atribuições referentes a outras categorias profissionais;

 

-fazer propaganda de outras atividades exercidas pelo psicólogo, que não sejam ligadas ao campo da psicologia;

 

-divulgar suas atividades de forma sensacionalista.

 

Sendo assim, psicólogos não só podem como devem utilizar as redes sociais, seja para fazer atendimento quanto para divulgar sua clínica.

 

Muitos profissionais já fazem isso sem prejuízo, muito pelo contrário, pois basta respeitar o que diz o Conselho Federal de Psicologia.

 

A utilização das redes sociais é altamente recomenda para todas as profissões, assim como o marketing digital em geral.

 

Se você fizer uma busca rápida na ferramenta de pesquisa, perceberá que muitos psicólogos e clínicas já fazem uso da internet para divulgar o seu trabalho.

 

A publicidade, a propaganda o marketing e o empreendedorismo podem fazer a diferença para o seu consultório, já que permitem colocar você mais próximo do seu paciente, podendo melhorar seus resultados financeiros e profissionais, aprimorando a sua carreira.

 

Um psicólogo pode utilizar as redes sociais para publicar conteúdo de interesse a seus pacientes, fornecendo aprendizado gratuito e de qualidade a eles.

 

Também pode conscientizar a audiência sobre a importância de consultar um psicólogo e da psicoterapia, e pode reforçar a sua “marca” e identidade pessoal.

 

As redes sociais podem estreitar o relacionamento entre paciente e profissional, sem que haja quebra de regras no código de ética.

 

Elas são importantes para agregar valor à profissão, ao profissional e às pessoas, portanto não somente é permitido como é recomendável.

 

Apenas, atente-se às proibições.

 

Se quiser aprender mais sobre como divulgar o seu trabalho de forma ética e profissional, eu gravei uma aula, rápida e objetiva para você entender melhor como isso pode ser feito, basta acessar no link abaixo.

 

Aula Gratuita – Como usar a internet para divulgar seu trabalho de forma ética e conquistar clientes online ou presenciais: https://pages.opsicologoonline.com.br/mini-curso-como-usar-a-internet-entrega/

 

Há Braços

Carlos Costa

 

Leia também: 7 Dicas Importantes de Marketing Pessoal Nas Redes Sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 5 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura e Co-Fundador do Instituto de Terapia Online, que capacita e certifica profissionais para atuarem online de acordo como o CFP.

Artigos recentes