Skip to main content

Você já Parou Para Pensar Qual é o Seu Conto de Fadas?

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Você já parou para pensar sobre qual é o seu Conto de Fadas? Todos nós temos um conto, além, claro, do conto que estamos tecendo a cada dia a respeito das nossas vidas. O conto ao que me refiro pode ser uma história que te acompanha desde a infância ou que tem lhe chamado atenção agora, na vida adulta.

Que é a literatura senão experiências humanas

transformadas em linguagem?

Nelly Novaes Coelho

Os contos de fadas são antigos, dos primórdios, dos primórdios. Alguns estudiosos apontam que o primeiro conto data de 1.200 a.C., sendo um conto egípcio intitulado de “Irmãos”.

Com o tempo, os contos foram sendo criados e, mais tarde, reproduzidos. As histórias eram contadas pelos adultos durante o trabalho agrícola ou ao redor da fogueira. Depois, quem passou a compartilhar esses enredos fantásticos foram as fiandeiras.

De um sopro ao outro, os contos de fadas transitaram e continuam a transitar pelo tempo e no tempo. Os bons ventos trazem esses enredos a cada dia para mais perto de nós, culminando nas histórias que conhecemos na atualidade.

Leia Também: (Re)descobrindo os Contos de Fadas

Hoje em dia, o universo maravilhoso dos contos está mais presente do que nunca, e as novas adaptações cinematográficas e até mesmo literárias estão aí para comprovar isso. Quem não se emocionou assistindo Frozen? Não se identificou com as travessuras, elegância e certa malícia de Malévola? Ou se sentiu mais “valente”, igual à personagem Merida no desenho Valente?

Enfim, são infinitos exemplos. E todos eles carregados de simbolismos. Aliás, pela perspectiva da Psicologia Analítica, os contos de fadas estão repletos de símbolos, e estes terão um significado diferente para cada pessoa. Por isso, torno a repetir o questionamento que fiz no primeiro parágrafo:

Você já parou para pensar sobre qual é o seu Conto de Fadas?

Qual o seu conto de fadas?
Qual o seu conto de fadas?

Feche os olhos e respire fundo. Se preferir, coloque uma música suave de fundo. Respire e inspire algumas vezes. Relembre das histórias que gostava de ouvir quando criança. Havia uma preferida? Ou uma que lhe causava medo, ansiedade, insegurança?

Com qual personagem você costumava se identificar mais, com o mocinho/a mocinha ou o vilão/a vilã? Após essas reflexões, medite novamente sobre a pergunta que lhe fiz.

Então, já sabe qual é o seu Conto de Fadas? Senão souber, não tem problema. Em algum momento, de forma leve, fluída, suave, você irá se reconectar com essa história. É importante saber que, não temos apenas UM Conto de Fadas, mas sim VÁRIOS.

Durante nosso caminhar pela estrada de tijolos amarelos da vida nos (re)encontramos com vários contos, ora somos os heróis, outrora os vilões; ora sabemos que caminho seguir, outrora não; ora transbordamos em coragem e determinação, outrora temos pavor e receio de dar mais um passo à frente. 

Leia também? A Nossa Vida (não) é Um Conto de Fadas?

Como expressou Nelly Novaes Coelho, a literatura, e nesta categoria entra os contos de fadas, é um compilado de experiências humanas transformadas em linguagem. Os contos são experiências humanas eternizadas, primeiramente na oralidade e, agora, em palavras no papel.

O seu conto particular está eternizado em você, no seu interior, na sua essência. Apenas basta você fechar os olhos e encontrar a chave escondida que abre o portão das histórias de fadas. Logo, você sentirá a brisa suave tocar seu rosto e seu coração, e por meio de um sussurro escutará o nome do seu conto dito pelos seres fantásticos em meio às árvores da floresta encantada.

E, ei, psiu! Depois me conta qual é o seu conto, que eu também compartilho o meu!

Um beijo e uma (re)descoberta,

Juliana. 

juliana

Juliana Ruda – Psicóloga de Orientação Junguiana (CRP 08/18575). Tem Especialização em Psicologia Analítica. Atua na área clínica atendendo jovens e adultos. Ministra cursos, palestras, workshops e grupos de estudos com temas relacionados à Psicologia, Psicologia Junguiana e Contos de Fadas. É uma das colaboradoras da Comissão Temática de Psicologia Clínica do Conselho Regional de Psicologia do Paraná. Além de eterna aventureira dos Contos de Fadas! 

Contatos – E-mail: [email protected]

Facebook: https://www.facebook.com/PsicologaJulianaRuda/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.