Skip to main content
Problemas neurológicos

Problemas Neurológicos: Quando Você Deve Procurar Ajuda?

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Problemas Neurológicos

Problemas Neurológicos

Vivemos atualmente em uma sociedade onde as pessoas se acostumaram a escutar e dizer que tudo é normal e faz parte daquela determinada faixa etária.

Tanto no que diz respeito ao desenvolvimento de uma criança, quanto as falhas de atenção e memória de um adulto ou de um idoso.

Posso afirmar que esse habito está se tornando perigoso, pois as pessoas têm procurado ajuda quando a dificuldade já está muito avançada.

Sempre acreditando que o quadro já começou assim, e com dificuldade de assimilar que poderiam ter tomado providências muito antes e isso acaba prejudicando o paciente.

Pois uma intervenção precoce poderia ter ajudado a sanar ou diminuir os prejuízos. Problemas Neurológicos

Claro que não devemos criar alardes por algo que realmente é muito esporádico.

Ou seja, algo que acontece vez ou outra, por exemplo, se em um ano a pessoa esqueceu onde colocou as chaves 2 vezes não quer dizer que ele tem Alzheimer ou algum outro tipo de demência.

Porém, se isso tem se tornado constante e ocorre semanal ou diariamente é um sinal de que algo errado está acontecendo.

Esquecer o nome de uma pessoa conhecida, mas que não vemos há muito tempo, também não precisa ser motivo de desespero.

Problemas Neurológicos Porém se alguém esquece ou confunde nomes de pessoas que são de seu convívio diário pode ser preocupante e indica que está na hora de buscar orientação de um profissional.

Quando falamos de crianças pensamos nos marcos de desenvolvimento, pois apesar de “cada criança ter seu tempo”, há sim um tempo máximo para uma criança fazer determinadas coisas de acordo a sua faixa etária.

Por exemplo, uma criança de 3 anos se ainda não falar não pode ser considerado normal e não devemos pensar que “ainda não chegou seu tempo” e sim de que há algo acontecendo com ela e é hora de buscar ajuda.

Em qualquer caso, seja criança, adulto ou idoso o fato de ser percebida uma possível deficiência logo em seu início fará com que o profissional consultado faça uma investigação sobre as possíveis causas da dificuldade. Problemas Neurológicos

É provável que sejam solicitados exames, médicos, ou que seja orientado a busca de outros profissionais para uma avaliação clínica em determinada área dependendo de cada caso, seja uma avaliação neuropsicológica, fonoaudiológica, psicológica ou até mesmo pedagógica.

Problemas Neurológicos É bom reforçar também, que mesmo em casos onde não haja uma patologia em si como responsável de um possível comprometimento é importante estimular o funcionamento do nosso cérebro, da mesma forma que exercitamos o nosso corpo para não sermos sedentários.

 

Devemos exercitar a mente, e não é somente com leitura ou estudos, mas sim com exercícios específicos que estimulam áreas específicas do nosso cérebro e que são responsáveis por funções determinadas, como memória, atenção, linguagem escrita, linguagem falada, planejamento, organização, impulsividade, etc…

Essa prática é importante como medida preventiva para que nosso cérebro sofra um desgaste menor ou menos agressivo.

Falo isso, pois ao contrário do que muitos pensam nosso cérebro nunca para de fazer novas conexões, mesmo na idade adulta.

Então quanto mais estimularmos, seja uma criança, um adulto ou um idoso melhor será o funcionamento da sua mente.

Para isso não basta comprar revistas de Sudoku, palavras cruzadas, caça palavras ou essas milhares de revistas que tem surgido com exercícios para nosso cérebro.

Não desmerecendo, pois tudo isso tem seu valor, mas é necessário saber usar, saber para o que serve cada coisa e saber se realmente esse exercício é o mais importante no seu caso.

Problemas Neurológicos Para isso o melhor sempre é buscar a orientação de um profissional qualificado, que irá esclarecer o real efeito de cada exercício.

 

Também é animador saber que essa prática não necessita ser solitária, pois hoje em dia há locais que oferecem oficinas de memória, oficinas de estimulação cerebral ou de uma forma mais descontraída, encontros de ginástica mental.

andrea-luccasAndrea Luccas é psicóloga clínica e especialista em neuropsicologia, sua grande paixão.

O foco do seu trabalho é a avaliação e reabilitação de pacientes de todas as faixas etárias, desde crianças de 2 anos e meio até idosos de 89 anos.

Além do trabalho na clínica, desenvolve palestras, workshops, cursos e rodas de conversa sobre os mais variados temas ligados à neuropsicologia.

Contato: (11) 985993281 (WhatsApp)

E-mail: contato@psicoandrealuccas.com.br

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.