Skip to main content
perda de memória

Você Sabe Quais os Principais Motivos da Perda de Memória? Descubra Aqui!

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Perda de Memória

Os adultos normalmente chegam ao consultório com queixas de memória, dependendo da faixa etária há um alvoroço na família achando que é o temido Mal de Alzheimer.

Mas o que muitas pessoas não sabem, é que problemas de saúde como estresse e/ou depressão podem causar um comprometimento da memória, mas por que isso acontece? Perda de Memória

Quando estamos estressados muitas vezes perdemos o foco, não conseguimos nos concentrar de forma adequada nas nossas atividades.

Assim simplesmente fazemos muitas coisas como se estivéssemos ligados no automático, mas o que isso tem a ver com o fato de não conseguir lembrar onde coloquei a chave do carro ou com aquele compromisso importante que tenho marcado no trabalho? Perda de Memória

O problema é que quando não focamos, ou seja, quando não direcionamos nossa atenção ao que estamos fazendo, nosso cérebro também não o faz, o que impede de que as informações necessárias para que lembre onde a chave do carro foi deixada ou até mesmo aquela reunião que era importante quando foi marcada seja armazenada.

No caso de uma reunião ou de qualquer outro compromisso que foi marcado antes do período em que surgiram os “lapsos de memória” o cérebro simplesmente está tão atordoado com as preocupações que causam o quadro de estresse que não consegue buscar a informação onde deveria para trazer à tona na lembrança. Perda de Memória

Perda de Memória Nesses casos é necessário o uso de medicação ou algum outro tipo de intervenção?

perda de memória
Perda de memória o que fazer?

Perda de Memória Não necessariamente será receitado um remédio, mas é bom buscar algum tipo de tratamento paliativo como uma psicoterapia, um treinamento em mindfulness (meditação), enfim algum meio que faça a pessoa reconhecer o estressor e aprender a lidar com ele para que não continue sendo prejudicada.

É fato que todos nós somos expostos a fatores de estresse diariamente, alguns menores e outros maiores e deve ficar claro que não é isso que faz com que tenhamos problemas de memória.

Pequenos fatores, ou situações estressantes, como um congestionamento que nos faz chegar atrasados ao trabalho, uma discussão com alguém que fura a fila no mercado ou ser mal atendido em uma loja (falo destes itens de maneira isolada e não todos acontecendo no mesmo dia e nem de forma consecutiva), podem nos levar a irritação e a perda de paciência.

Mas se não há algo maior acontecendo não o são suficiente, ou não deveriam ser, para causar problemas de memória. Perda de Memória

Então se você se identificou com esse quadro, mas pensou que esse tipo de situação é que está desencadeando sua queixa saiba que não é isso, nesses casos é necessário investigar bem qual é o fator maior que causa o estresse e tratar de forma adequada.

Perda de Memória Mas então qual seria um fator maior por trás de toda essa falta de paciência e memória prejudicada?

Perda de memória!
Perda de memória!

Perda de Memória Bom, cada caso é um caso, mas muitas vezes problemas na vida pessoal, amorosa ou financeira podem estar fazendo você se sentir tenso, nervoso, cansado, fatigado e desconectado, o que já é capaz de nos deixar num estado de alerta e vigilância, como se estivéssemos vulneráveis, expostos ao perigo de maneira quase que constante.

O estresse no cérebro é isso, é como se vivêssemos de forma constante sob ameaça, é o que nos faz liberal cortisol, ele é conhecido como hormônio do estresse, este é responsável pelo nosso quadro de falha na memória, e pode até causar dificuldades na aprendizagem.

Mas calma, não é só o cortisol elevado que nos causa problemas, se ele estiver abaixo do ideal também pode causar sintomas como: depressão, fraqueza, cansaço e fadiga excessiva.

Perda de Memória

Onde entra a psicologia e a neuropsicologia nisso tudo? Perda de Memória

Perda de memória!
Perda de memória!

Perda de Memória Bom, muitas vezes, como disse no início do texto, a queixa chega direto ao nosso consultório, com pessoas buscando uma solução para o “problema de memória”.

Muitas vezes sem correlacionar com qualquer outra possibilidade, as pessoas buscam ajuda por estar esquecendo coisas que consideram importantes ou por não estar com a memória tão boa como era antes.

O dever do psicólogo e/ou do neuropsicólogo nesses casos é orientar de forma adequada, fazer uma boa anamnese para colher todos os dados ligados a queixa e saber o que pode estar causando essas dificuldades.

Se o paciente não passou com um médico é orientado que o paciente busque também passar com o médico para fazer exames de sangue e qualquer outro que possa se fazer necessário, sempre dependendo do caso e das queixas apresentadas.

Mas, se você já passou com o médico e não sabe o motivo dele ter encaminhado para avaliação, talvez seja com o intuito de fazer o que chamamos de diagnóstico diferencial, já que é na avaliação neuropsicológica que iremos saber se tem ou não outras funções do cérebro afetadas além da memória. Perda de Memória

É necessário ter um olhar amplo e aberto, para poder não descartar nenhuma possibilidade, isso deve ser feito tanto pelo médico, quanto pelo psicólogo/neuropsicólogo que for procurado pelo paciente, para não deixar passar nada que possa na verdade estar indicando um caminho diferente.

Por isso é importante saber o que está causando a “perda de memória”, se é estresse ou se tem algo a mais por traz desse quadro. Perda de Memória

Perda de Memória É necessário saber o histórico do paciente, saber se há casos de doenças como Alzheimer na família e saber como está a vida dessa pessoa num aspecto geral, sempre olhando para a parte pessoal, laboral e emocional, pois o ser humano é um todo e não pode ser divido em partes, um fator sempre pode afetar outro.

Se você fizer uma avaliação neuropsicológica, provavelmente fará mais do que testes, também irá responder escalas que vão investigar essa questão do estresse.

E elas são fundamentais, mesmo que você não tenha percebido que pode ser esta a causa da sua dificuldade em lembrar das coisas, pois é o que fará parte de um diagnóstico diferencial e pode indicar o caminho a ser seguido, e o tratamento que será necessário para sanar a queixa trazida pelo paciente.

Então, não se incomode se os profissionais te encaminharem para outros colegas, para fazer exames ou avaliações, pois é fundamental que tudo seja feito de forma cautelar e minuciosa buscando sempre o bem estar para zelar pela saúde mental do paciente.

Recomendo que você leia também: Problemas Neurológicos: Quando Você Deve Procurar Ajuda?

Andréa Luccas Perda de Memória

Andrea Luccas é psicóloga clínica e especialista em neuropsicologia, sua grande paixão.

O foco do seu trabalho é a avaliação e reabilitação de pacientes de todas as faixas etárias, desde crianças de 2 anos e meio até idosos de 89 anos.

Além do trabalho na clínica, desenvolve palestras, workshops, cursos e rodas de conversa sobre os mais variados temas ligados à neuropsicologia.

Contato: (11) 985993281 (WhatsApp)

E-mail: [email protected]

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.