Dicas para manter a saúde mental durante a pandemia

Dicas para manter a saúde mental durante a pandemia

Uma das principais recomendações para evitar o contágio e a disseminação do novo coronavírus, o COVID-19, é o isolamento social. Contudo, embora a necessidade do distanciamento, essa medida pode impactar a saúde mental de muitas pessoas, sobretudo dos indivíduos que mudaram radicalmente o estilo de vida.

Além disso, as incertezas sobre a pandemia, em conjunto com a crise econômica e a redução do contato físico e social podem causar estresse, ansiedade, sobrecarga emocional, apreensão, raiva, tédio e, até mesmo, depressão. 

Tudo isso pode, inclusive, ter efeitos negativos na saúde física.

Importante destacar que as pessoas podem ser afetadas de maneiras diferentes em situações de crise. 

Determinadas experiências podem influenciar a saúde mental, porque os indivíduos não conseguem processar direito tudo o que ocorre, algo que depende de organização psíquica.

Os idosos são particularmente afetados pela pandemia do novo coronavírus e pelo isolamento social, já que estão entre o grupo de risco e experimentam, de forma mais agressiva, o distanciamento de outras pessoas.

Ademais, os idosos também estão vulneráveis quanto à saúde mental, ao mesmo tempo em que podem apresentar maior resistência em aderir às medidas preventivas, devido à própria condição do envelhecimento, que impõe limitações de liberdade.

Por isso, o artigo de hoje apresenta algumas dicas para manter a saúde mental durante a pandemia do novo coronavírus.

1 – Use a tecnologia ao seu favor

 

A tecnologia pode ser uma grande aliada em tempos de isolamento social, especialmente para quem está longe de familiares e parentes.

Através da internet, com as redes sociais, é possível manter o contato com outras pessoas, seja por meio de mensagens instantâneas, ligações e videochamadas.

O apoio social é imprescindível em tempos de quarentena, pois ele ajuda na qualidade de vida dos seres humanos. Lembre-se que, apesar do distanciamento físico ser necessário, é possível usar a criatividade para interagir com a família e os amigos.

Não é à toa que várias empresas de tecnologia estão investindo cada vez mais no desenvolvimento de aplicativos mobile, para proporcionar uma comunicação mais direta, mesmo com quem está longe.

Fora isso, a tecnologia também pode ser usada para o encontro de filmes, séries, livros, entre outros conteúdos que podem ser feitos em casa.

2 – Mantenha o corpo e mente ativos

 

O isolamento social pode contribuir para uma rotina mais sedentária. Contudo, uma forma de contribuir em prol da saúde mental é manter a mente e o corpo ativos, buscando novas tarefas que podem ser feitas em casa.

Por exemplo, os equipamentos de pilates podem ser usados como aliados em atividades físicas diferenciadas, bem como no planejamento de alguns exercícios. 

Inclusive, a Organização Mundial da Saúde (OMS), publicou uma série de dicas para se exercitar durante o isolamento social.

Além disso, outras tarefas manuais estimulantes, como artesanato e gastronomia podem ser uma alternativa para quem não gosta de praticar exercícios físicos, mas deseja se manter ativo.

Ter uma rotina que integre o movimento do corpo é uma forma de usar outras formas de percepção, o que ajuda no relaxamento da parte cognitiva, algo importante para a calma.

Vale a pena procurar por alguns estudos novos, em cursos online disponíveis, como um treinamento para tradução técnica, ou adotar novos hábitos de leitura, que ajudam a distrair a mente, contribuindo para o estado de relaxamento.

3 – Busque novas tarefas em casa

 

Se as tarefas rotineiras ocupavam muito do seu tempo, não cedendo espaço para a prática de hobbies, o isolamento social pode ser um bom momento para focar nessas atividades, buscando tarefas que atendam aos seus interesses pessoais.

Realizar ações prazerosas é uma excelente forma de melhorar a qualidade de vida, contribuindo positivamente para a saúde mental, já que atua na sensação de bem-estar, redução da tristeza, estresse e ansiedade.

Por exemplo, é possível cultivar uma estrutura para jardim vertical, principalmente quem gosta de cuidar de plantas. A grande vantagem desse tipo de jardinagem é a adaptação para todos os espaços, incluindo apartamentos e casas menores.

Outros hobbies que podem ser realizados em casa são:

  • Transformação do lixo reciclável;
  • Aprender a tocar um instrumento;
  • Escrever contos, romances e histórias;
  • Fazer pintura de quadros, roupas e tecidos;
  • Entre outros.

Essas atividades também ajudam a estimular a criatividade e, com isso, a sua mente se mantém em funcionamento, afastando os sentimentos negativos.

4 – Tenha uma alimentação saudável

 

No período de isolamento social, há pessoas que tendem a se descuidar da alimentação, especialmente quem desconta a ansiedade nos alimentos. Porém, esse hábito costuma prejudicar ainda mais a saúde mental, bem como a saúde física.

Por conta disso, é importante manter uma alimentação saudável, com a ingestão de frutas e legumes, além de evitar excessos de açúcar, sal e alimentos industrializados.

Uma maneira de controlar a compulsão alimentar é fazer um cardápio durante a semana e optar pela compra de produtos naturais atacado, que irão durar muito tempo durante a quarentena, evitando a saída até supermercados.

É importante evitar comer demais antes de dormir, já que essa prática pode prejudicar a qualidade do sono.

5 – Tenha uma rotina de sono

 

Os períodos de descanso são igualmente necessários para a saúde mental. Por conta disso, mais do que as técnicas de relaxamento, é preciso ter um cuidado especial com a rotina do sono, tendo horários definidos para dormir e acordar.

Problemas com o sono podem desencadear o aparecimento de certas condições psicológicas, como o estresse, a ansiedade e depressão. Por isso, quem não tem um sono de boa qualidade costuma ficar irritado e exausto a curto prazo.

Caso tenha problemas para dormir, procure pelo lugar mais calmo da casa e feche todas as portas, janelas e qualquer abertura com luz. Caso tenha feito o envidraçamento de sacada em área próxima ao quarto, uma alternativa pode ser a instalação de blackouts nos vidros.

6 – Cuidado com o excesso de informações

 

Como estamos vivendo uma condição mundial de crise, é comum nos depararmos com muitas notícias e informações sobre a pandemia do coronavírus. 

No entanto, o excesso de conteúdo pode ser prejudicial para a saúde mental, pois o seu organismo pode interpretar tudo isso como uma sobrecarga de estímulos, aumentando os níveis de estresse.

Portanto, o recomendável é evitar a busca por notícias relacionadas à pandemia em vários momentos do dia e, quando realizar a pesquisa, optar por fontes confiáveis de informação, como o site da OMS e o Ministério da Saúde.

Aliás, é possível alternar a leitura de notícias, com materiais mais distrativos, como um conteúdo sobre como instalar puxadores para portas, reportagens de entretenimento, entre outros.

7 – Se necessário, busque ajuda profissional

 

O estresse é um fator de risco para vários transtornos mentais. Além disso, a ansiedade pode acarretar em graves crises de pânico, que acometem a integridade física e podem prejudicar a saúde. 

Por conta disso, pessoas que não estão conseguindo controlar os sentimentos negativos durante o isolamento social devem procurar ajuda médica especializada.

Algumas empresas de medicina do trabalho podem ajudar no atendimento psicológico, pois elas contam com profissionais preparados para lidar com saúde mental e oferecer respaldo necessário para superar os momentos de crise.

Além disso, muitos psicólogos continuam atendendo em modalidade online, respeitando as recomendações da OMS. Mas, vale dizer que o gerenciamento das preocupações e medos é tão importante quanto o cuidado com pacientes individuais.

8 – Pratique a empatia

 

O atual momento não está sendo fácil para todos. Por esse motivo, é preciso praticar a empatia com os outros que moram em conjunto, bem como com as demais pessoas que mantemos contato, nos colocando no lugar deles e percebendo suas necessidades.

Essa é uma forma de se reconectar com o outro e, mais do que isso, colaborar com a sua própria saúde mental e de terceiros. Afinal de contas, todos precisamos de ajuda, ainda mais em um período cheio de incertezas.

Conclusão

 

A pandemia do novo coronavírus mudou a realidade de muitas pessoas. As recomendações de distanciamento e isolamento social, o fechamento de empresas e as novas rotinas adaptadas para o trabalho em casa, fora todos os riscos de contaminação, são fatores que prejudicam a saúde mental e podem gerar inúmeros transtornos psicológicos.

Por conta disso, é necessário buscar formas alternativas para controlar os sentimentos negativos e se adaptar à nova rotina. Vale dizer que a crise do Covid-19 é mundial, portanto, não estamos sozinhos nessa luta.

Mesmo com todos os empecilhos, é importante se concentrar em esforços positivos para proteger quem amamos e usar este período para descobrir novas atividades, refletindo sobre vários aspectos da vida e se reconectando, mesmo que de longe, com outras pessoas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn