Skip to main content
Lipofobia

Lipofobia e os Transtornos Alimentares

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Lipo significa gordura. Fobia, significa medo. Medo de ser gordo ou medo da gordura. Lipofobia é uma aversão patológica à gordura.

Vivemos em tempos em que a valorização da magreza tem contribuído para a formação de sujeitos lipofóbicos (leia-se também, gordofóbicos). Há muitas décadas vem aumentando consideravelmente as expectativas sociais em relação à silhueta perfeita.

Um culto à magreza se fez ao longo dos anos, estimulados através de vários veículos de comunicação, onde se pautam à uma super valorização da beleza corporal nas culturas ocidentais.

As pessoas têm uma ilusão de que ser magro é a expressão de saúde, beleza e produtividade. Contudo, magreza não é sinônimo de saúde. Uma pessoa magra pode ter um colesterol nas alturas, enquanto que uma pessoa obesa, pode sim ter um colesterol normal. Somos ensinados desde cedo a achar que gordura é a única causadora de doenças em um ser e não é!

Leia Também: Transtornos Alimentares: A Conturbada Relação com a Comida e Com a Imagem Corporal!

O sujeito lipofóbico considera a magreza como uma via de destaque, porque ele foi exposto desde cedo à ditadura da beleza, um regime situado pela nossa sociedade, como a aparência de uma pessoa.

Para atender às expectativas sociais construídas sobre a lógica de que ser gordo é feio e ser magro é bonito, os transtornos alimentares vêm aumentando de maneira assustadora, principalmente entre os jovens-adolescentes.

Uma equipe de mestrandos da USP, fizeram uma pesquisa entre as mulheres que frequentam academia. Para coletar o discurso delas, eles se utilizaram de imagens de pessoas obesas e magras, de vários estilos. O objetivo dessa pesquisa, era coletar as impressões e pensamentos das mulheres sobre o corpo gordo e foi revelado três manifestações da lipofobia:

  1. Medo da gordura;
  2. Medo de engordar;
  3. Medo de ser inútil ou improdutiva.

Os discursos emitidos sobre as práticas de modificação corporal, permitiram verificar que o grupo investigado valorizava o uso de tecnologias voltadas ao emagrecimento.

Hoje em dia, na internet, através de páginas e instas de nutricionistas, nutrólogos e blogueiros da temática de saúde, o discurso reproduz preconceito contra gordo e incitam práticas que desencadeiam efeitos sociais de lipofobia.

Existe uma necessidade de conscientização em relação a lipofobia!

As mensagens subliminares geralmente têm por trás, um discurso de ódio ao corpo. Veja a imagem abaixo e entenda as entrelinhas:Dieta de Nutricionista!

Deu para perceber o terrorismo nutricional ao qual estamos expostos? Ainda não? Então assista esse vídeo:

Percebeu quantas coisas as pessoas fazem sem perceber? Perceberam quantas crenças equivocadas há?

Desenvolver ações de prevenção e promoção de saúde é tanto ou mais importante quanto identificar e lidar com os casos já estabelecidos de insatisfação corporal.

A sociedade é uma geradora de preocupações com as medidas corporais. Essa preocupação exacerbada, está gerando comportamentos inadequados para o controle do peso.

Mulher Magra
É símbolo de competência, sucesso, controle e atrativos sexuais…

 Mulher Gorda

Preguiça, indulgência pessoal, falta de controle e força de vontade.

Essa eterna luta para ser magra e estar de acordo com os padrões estabelecidos como correto, gera um esforço mental e corporal. Gera estresse e ansiedade. A falta de resultados, ou tentativas mal sucedidas de curar uma obesidade, geram doenças relacionadas à auto imagem como Anorexia Nervosa, Bulimia Nervosa ou Compulsão Alimentar, devido ao excesso de restrição alimentar.

A Lipofobia é um agravante que vem crescendo e, é necessário que você, caro(a) leitor(a), se conscientize que, a família é o maior estímulo social de um jovem em formação. Porque é você, mãe, pai, tia, avó, avô… que ensina os valores para as suas crianças.

Comportamentos e atitudes serão reproduzidos e a única coisa que você pode fazer é ser exemplo.

Repense as suas críticas, elogios e censuras. Lembrem-se sempre de que vocês são os primeiros e mais relevantes influenciadores na construção de autoestima dos seus  adolescentes.

Se acha difícil fazer isso sozinho, um psicólogo pode te ajudar, orientar…

Gratidão à todos que leram até aqui…

Para o alto e avante!

Com amor, Cintia Milanese 

Cíntia MilaneseCíntia Milanese é Empreendedora Digital, Consultora de Negócios e Graduanda em Psicologia. Adora dividir seus aprendizados e trocar experiências à respeito de autoconhecimento

Blog: www.cintiamilanese.com.br |Canal:http://goo.gl/lo9P5m
Instagram >> Twitter >> Facebook >> Snapchat: @cintiamilanese

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.