Prefere se isolar ou se apaixonar?

O problema é quando deseja apenas ficar sozinha, longe de tudo e de todos. Deve-se estar atento a para que não se torne um isolamento social.

Você é daquelas pessoas que curte ficar sozinha? Gosta da sua companhia? Ou tem pavor de ficar sozinha?

Quem nunca quis ficar sozinho, longe de todos, pelo menos uma vez na vida? Perdeu as contas?

O fato de ficar sozinha de vez em quando é algo natural e faz um bem danado para refletir na vida, colocar todas as ideias no seu devido lugar.

É muito bom querer e gostar de estar consigo mesma, preservar e curtir esses momentos individuais.

O problema é quando deseja apenas ficar sozinha, longe de tudo e de todos. Deve-se estar atento a essa atitude para que não se torne um isolamento social.

Afinal! O que é isolamento social? É o comportamento no qual a pessoa deixa de participar de atividades sociais, como trabalho e até lazer, podendo ou não ser voluntariamente.

O isolamento social é a falta de interação com as pessoas, sendo até um afastamento físico ou emocional.

Agora que sabe o que é esse isolamento, reveja seu comportamento e como reage diante das dificuldades. Gosta de se isolar? Por que será? Você se isola raramente ou frequentemente?

Tipos de Isolamento

Quando essa vontade de se isolar está sempre presente em sua vida, fique muito atenta, porque existe o isolamento individual, que é aquele quando a pessoa fica sozinha em seu mundo e não deixa as outras pessoas fazerem parte dele. Você está fazendo isso?

 Outro isolamento muito importante é o chamado isolamento emocional ou psicológico, onde existe muito sofrimento e como consequência disso, pode trazer prejuízo a sua saúde.

A pessoa não tem a mínima vontade de conversar com os outros, ou seja, passa a se isolar totalmente.

A pessoa pode estar rodeada de pessoas por perto, mesmo assim tem aquela sensação de estar sozinha, sente-se realmente só e abandonada.

Qual desses isolamentos você se encaixa? Analise suas atitudes e comportamentos.

Com essas atitudes, a pessoa passa a incorporar esses comportamentos e quanto mais ela se isola, vai ficando cada vez mais difícil para fazer novas amizades e ter a possibilidade de novos relacionamentos.

 Então! Você prefere se isolar ou se apaixonar? Vai ficar fechada nesse casulo? Vai perder a chance de conhecer nossas pessoas? Vai deixar passar a oportunidade de se apaixonar?

Cuidado! O isolamento social pode levar a várias consequências como a solidão e o individualismo, além do medo de lidar com as pessoas, passando a se esquivar delas.

A fobia social, o estresse e a depressão são agravantes desse isolamento.

Passa ater crises de ansiedade e de angústia, o que não acontecia antes desse isolamento social.

A falta de ânimo parece que tomou conta de você e até do seu próprio corpo.

 Fora os problemas de aprendizagem e atenção, levando a pessoa a ter cada vez mais dificuldades em tomar suas próprias decisões.

 Imaginou que difícil deve ser viver assim? Percebeu isso? Analise seu comportamento, tenha consciência disso para tomar uma atitude e reverter esse quadro.

Existe também a pessoa que está isolada fisicamente, mas não emocionalmente por opção de vida e se sente bem com isso, sendo assim, não traz prejuízo para ela.

O mais perigoso é o isolamento emocional, porque é a falta de relacionamento afetivo de qualidade, satisfatório com outras pessoas.

Mas quais poderiam ser as causas desse isolamento social? Vou dar algumas dessa causas, mas quero deixar bem claro, que cada caso é muito particular e diferente do outro.

As causas mais comuns são as situações mal resolvidas, aquele em que não conseguimos lidar e enfrentar de frente.

Existem os casos de superproteção dos pais, que ao desejar prometer tanto os filhos, acabam colocando os pés pelas mãos com o exagero dessa proteção.

O bullying é um ponto que leva muitas pessoas ao isolamento, por isso é fundamental manter muito diálogo com os jovens para entender o que está ocorrendo em suas vidas.

A pessoa insegura tende a se isolar por ter receio de enfrentar as situações e de se expor ao mundo.

Os preconceitos são devastadores para as pessoas, qualquer um deles, como o racial, religioso, econômico e aparência física.

A pessoa pode adquirir o Transtorno de Ansiedade Social, quando já não consegue mais lidar com sua ansiedade.

Outro perigo é a Fobia Social, quando o fóbico social foge das situações e se fecha totalmente.

Os traumas anteriores e stress pós-traumático podem levar facilmente ao isolamento.

A timidez pode ser uma característica da sua personalidade, que pode levar essa pessoa tímida se afastar dos outros.

Uma característica muito comum é a repetição de hábitos familiares, ou seja, famílias que tem o hábito de cada ficar viver em seu mundo.

Muitas pessoas confundem a solidão e o isolamento social, mas não são a mesma coisa. Agora que você já sabe o que é o isolamento social, vamos ver o que é a solidão.

A solidão é um estado em que se vive só, uma reação emocional, um sentimento de isolamento. Pode ser por vários motivos como por dificuldades nos relacionamentos e até por uma falta de objetivo na vida. Você sabe qual é o seu objetivo de vida? Já parou para pensar nisso?

Já o isolamento social pode levar a solidão, quando se priva do contexto social.

Você deve estar se perguntando: Mas tem como sair desse isolamento social? Sim, mas tem que ter força de vontade e estar disposta a reverter isso. Como?

Vamos ver algumas estratégias para isso!

Aprenda a encorajar-se para sair disso, mas aos poucos vá em busca do convívio social. Lembre-se que toda mudança requer esforço, mas dê pequenos passos para essa mudança para não desistir.

Faça atividades que lhe dê prazer, não se prive disso. Será necessário ter vontade e querer mudar!

Tenha iniciativa para novas experiencias, não espere os outros para agir.

Um ponto fundamental para sair desse isolamento, é ir em busca de seu autoconhecimento. Mas como? Faça psicoterapia para se encontrar, ir em busca desse autoconhecimento tão necessário e importante para qualquer pessoa.

Incorpore seu autoconhecimento e aproprie-se de si própria e seja feliz!

Leia também: Adolescentes nos relacionamentos virtuais

 

Paula Espíndola é psicóloga clínica CRP 06/50889. Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional. Experiência em atendimentos sobre quaisquer relacionamentos, principalmente os relacionamentos amorosos.

Respondendo dúvidas no Canal do YouTube PAULA ESPÍNDOLA PSICÓLOGA sobre relacionamentos feita através das redes sociais, a seguir:

http://insightpsique.com.br/

https://www.facebook.com/Insightpsique/

https://www.facebook.com/paulaespindolapsicologa/?modal=admin_todo_tour

https://www.instagram.com/paulaespindolapsicologa

https://www.youtube.com/paulaespindolapsicologa 

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn