Skip to main content
igualdade de gênero

Igualdade de Gênero: Como Extinguir os Relacionamentos Violentos ?

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Igualdade de Gênero

A relação entre educação para igualdade de gênero e o fim dos relacionamentos violentos!

Ei você que acessa este artigo. Lembra-se de algumas destas frases na sua infância ou mesmo adolescência como as citadas a seguir?: Igualdade de Gênero

  • Homem que é homem não chora!
  • Esta brincadeira não é para menina!
  • comporte-se! Você já é uma mocinha.
  • Ah!Menino é mais agitado que menina.
  • Você é um homem ou um rato?
  • Menino não pode brincar de boneca!

E tantas e tantas frases, mensagens e símbolos que demarcam e impõem claramente comportamentos e atitudes tipicamente masculinos e femininos.

Mas até onde podemos perceber quais os efeitos desta educação tradicional para meninos e meninas?

Não precisamos ir muito distante para perceber como os relacionamentos violentos transparecem estes lugares demarcados para homens e mulheres. Igualdade de Gênero

Leia Também: Violência Psicológica: Conhecendo os Limites Entre Brincadeiras e Ofensas

Estes relacionamentos são sustentados e justificados em suas práticas por estereótipos de gênero que, muito provavelmente, foram construídos e aprendidos ao longo da infância.

Quantos homens não justificam seus atos abusivos e de violência através das frases como “Eu sou homem e quem manda nesta relação sou eu!” ou “Mulher não manda em mim”, ou “Sou eu que mando aqui!” ou mesmo quantas mulheres acreditam que é seu dever como mulher contornar, minimizar ou se culpar perante práticas abusivas do companheiro ou companheira?

Pois é. Este tipo de compreensão do que DEVE OU NÃO DEVE por parte de homens e mulheres estão registradas em vivências familiares, na escola e outros ambientes de socialização desde a sua infância.

Então a pergunta que não quer calar: o que fazer diante desta realidade?

É sobre isso que vou conversar com você nas próximas linhas. Igualdade de Gênero

Antes de qualquer coisa, gostaria de iniciar esta discussão naquilo que é mais visível: a sobrecarga de tarefas domésticas na vida das mulheres.

Esta sobrecarga e a multiplicidade de papéis assumidos pela mulher hoje estão interligadas aos ensinamentos de que é dever da mulher cuidar da casa, mulher é capaz de realizar várias atividades (um dom ou algo imposto? Eis a questão!), somente a mulher consegue organizar uma casa, mulher precisa aguentar tudo calada, etc.

É justamente perante esta dura realidade que devemos enfatizar ações que busquem esta igualdade. Igualdade de Gênero

Assim, é de suma importância que tanto na escola como em casa, pais e professores realizem rodízio de atividades tais como: os meninos aprendem a servir o outro em alguma atividade enquanto as meninas aprendem a consertar ou se envolvem em uma atividade com maior estimulação física.

Em casa, os pais precisam dividir tarefas domésticas de maneira igualitária entre meninos e meninas no que se refere à quantidade, complexidade e responsabilidades envolvidas na tarefa.

igualdade de gênero
Igualdade de gênero: As tarefas devem ser divididas de forma igualitária!

Outra ação que contribui de maneira substancial para uma relação mais igualitária entre meninos e meninas é discutir, eliminar e desencorajar piadas e preconceitos relacionados a homens e mulheres.

Estas ações são aspectos fundamentais para o surgimento da igualdade nas relações de gênero.

Esta prática pode ser implementada nos jogos, brincadeiras e outras interações que envolvam meninos e meninas. Igualdade de Gênero

Além disso, é preciso ensinar o respeito às diferentes orientações sexuais. Igualdade de Gênero

E por falar em respeito e igualdade, precisamos permitir que meninos e meninas tenham a mesma oportunidade da expressão dos seus afetos.

Com isso, os professores e pais precisam encorajar meninos e meninas na expressão de seus afetos relacionados aos colegas do mesmo sexo e do sexo oposto sem fazer uso de piadas maliciosas.

É preciso que as crianças entendam que estas manifestações não são erradas e por isso, não devem ser reprimidas. Igualdade de Gênero

Mas não basta realizarmos estas ações se os modelos de pai e mãe não dão exemplos desta prática. Assim os pais precisam aplicar em casa e em seu relacionamento aquilo que fala.

Também é preciso que o pai participe da vida escolar das crianças através da presença em reuniões, conversa com professores e ajudando os filhos nas tarefas escolares.

Além disso, as brincadeiras representam uma ótima oportunidade para a prática deste tipo da educação.

Serão nestes momentos lúdicos que os pais e professores podem fornecer as mesmas oportunidades para meninos e meninas. Igualdade de Gênero

Dar um carrinho para uma menina e uma boneca para um menino quando eles pedem não serão atitudes que vão determinar a orientação sexual da criança, mas que vão influenciar na qualidade dos relacionamentos construídos com homens e mulheres por esta criança ao longo da vida.

São com pequenas atitudes que podemos contribuir para futuros relacionamentos mais saudáveis entre homens e mulheres. Igualdade de Gênero

Quando anulamos, negamos, menosprezamos, humilhamos e desdenhamos do outro, estamos praticando a violência.

Como podemos conviver com a diversidade se estamos assentando as nossas relações em compartimentos estanques e limitados desde a infância?

Coloco este questionamento para as relações de gênero, mas isto pode ser estendido para outras formas de convivência. Igualdade de Gênero

E você, leitor (a), têm outras ideias de como podemos contribuir para a mudança desta realidade? Compartilhe aqui nos comentários! 😉

 Abraços

Leia Também: Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam

 

violência no relacionamentoKarine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/). Membro da Cativare (https://www.facebook.com/cativarepsi/). Idealizadora do Projeto De Bem com Você em parceria com a psicóloga Eanes Moreira.(Informações via whatsapp (79)99922-8130)

Contatos: E-mail: psimulti@gmail.com; Facebook – https://www.facebook.com/KarineAndradepsi/

Instagram –https://www.instagram.com/karine.andrade_psiaju/; YouTube – Psicologia Aracaju

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.