Fases do Luto: Você Sabe Quais e Como São?

fases do luto

Fases do Luto

Olá

Iniciei a coluna falando sobre o processo do luto e o que ele envolve.

Sobre a dor da perda, que não necessariamente é a morte, mas sim a perda significativa de algo para nós.

O processo doloroso chamado luto, passa pela vida de todo indivíduo em algum momento de sua existência e junto com ele vem às fases, fases essas que estão inseridas no processo do luto.

Elisabeth Kubler-Ross, Psiquiatra, nascida na suíça em 1969, fez um estudo com pacientes que haviam recebido diagnósticos terminais, onde conseguiu identificar a reação psíquica de cada indivíduo, elaborando assim as 5 fases do luto.

Cada indivíduo passará pelo processo do luto a sua maneira.

Fases do Luto Nem todas as pessoas passarão ou vivenciarão todas as fases, porém, essas fases aparecerão no decorrer do processo de elaboração do luto.

fases do luto

 

Mas, que fases são essas?

Quais são suas características?

  • NEGAÇÃO Fases do Luto

É um mecanismo de defesa onde o indivíduo enlutado nega o problema, tentando não entrar em contato com a dor, no caso, a realidade da perda.

Fase em que o indivíduo enlutado não quer conversar sobre o assunto.

A pessoa não acredita que aquilo aconteceu, é como se a ficha não tivesse caído. Fase de isolamento, onde o mesmo se afasta do mundo externo.

  • RAIVA Fases do Luto

Fase onde a pessoa sente muita raiva, acredita estar passando por uma grande injustiça, não se conforma que isso esteja acontecendo com ela.

É uma fase de grande inquietação, onde por vezes a pessoa acredita ver a pessoa que morreu ou ter a impressão que viu a pessoa passar de repente pela rua.

  • BARGANHA / NEGOCIAÇÃO Fases do Luto

Nessa fase o indivíduo enlutado começa a negociar, principalmente com ele mesmo, pregando o discurso que a partir do ocorrido será uma pessoa diferente, seus hábitos irão mudar, é a fase em que a pessoa pensa em como poderá mudar o fato da perda ou até mesmo amenizar a dor.

Pensa também em formas de ter evitado aquela situação.

Ex:

“- Se eu não tivesse deixado ele sozinho isso não teria acontecido”

ou 

“- Se eu tivesse sido mais flexível ela não teria terminado comigo.”

Uma fase marcada por diversos questionamentos.

  • DEPRESSÃO Fases do Luto

Fase melancólica, onde o indivíduo enlutado se recolhe para seu mundo interno.

Nesta fase o indivíduo se depara realmente com a perda, se sentindo impotente diante da situação, com isso a pessoa acaba se afastando da vida social cotidiana a qual pertencia, perdendo o interesse por qualquer coisa que antes lhe dava prazer.

É importante salientar a diferença da depressão vivenciada na vida em geral, causando em si uma patologia e a depressão vivenciada no processo do luto.

A depressão quando recorrente no indivíduo não enlutado precisa de tratamento psicológico e em alguns casos também psiquiátricos, no caso fazendo uso de medicamentos, já na depressão decorrente do processo do luto, entende-se que é um período, onde o tratamento psicológico é indicado como suporte e não tratamento contínuo.

  • ACEITAÇÃO Fases do Luto

Fase em que o desespero já não se faz presente e o indivíduo já consegue enxergar a realidade da perda, conseguindo assim enfrentá-la.

Ele entende que perdeu a pessoa ou objeto amado e que não há possibilidade de recuperação do mesmo.

Fase em que a dor não vai embora por completo, mas o indivíduo já consegue voltar as suas rotinas e atividades cotidianas, voltando a ter esperança e sendo capaz de ver e dar um novo sentido ao seu viver.

Importante salientar que nem todos vivenciarão o processo nessa ordem e não passarão necessariamente por todas as fases.

Após vivenciar esse processo o indivíduo é capaz de voltar a ter uma rotina saudável.

Por vezes a pessoa falecida ou o objeto amado voltará em suas lembranças, mas isso não causará mais dor incessante e nem o desespero vivenciado anteriormente.

É importante observarmos a pessoa enlutada que se encontra em nosso ciclo, pois uma parte delas infelizmente não consegue vivenciar e elaborar o luto de forma saudável, podendo então entrar em um estado patológico, onde se faz necessário a intervenção de um psicólogo para que a patologia não se potencialize e venha a desenvolver uma patologia crônica.  

Cada indivíduo vivencia o luto da sua maneira, jamais se esqueçam da importância de respeitar e ter empatia com o momento vivido, certo!?

Até o nosso próximo encontro, um grande abraço!

Leia também o artigo sobre luto e expressão da dor: https://opsicologoonline.com.br/luto/

Fases do Luto

Psicóloga Camila Arruda

[captura]

Camila Arruda – CRP: 05/50212
Psicóloga clínica e organizacional, palestrante.
Pós graduanda em Gestão de Pessoas
Experiência no atendimento clínico à crianças, adolescentes e adultos.
Atua na Cidade de Nova Iguaçu – RJ
Contato: Tel/WhatsApp (21) 97301-4983
e-mail: camilaarrudapsi@yahoo.com.br
Facebook: Camila Arruda – Psicóloga
Instagram: @psicologacamilaarruda
Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes