10 Dicas Para Você Cuidar de Uma Pessoa Com Esquizofrenia

10 Dicas Para Você Cuidar de Uma Pessoa Com Esquizofrenia

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Esquizofrenia

Relacionamentos são um desafio para todos, imagine para pessoas que tem esquizofrenia? Pessoas que tem dificuldade em expressar seus sentimentos, que não demonstram afeto.

Difícil para pessoa que tem o transtorno e para quem convive com ela, seja pai, mãe, irmão, marido, mulher, independente do grau de parentesco, será sempre uma grande luta lidar com essa característica que a esquizofrenia tem.

Dessa forma, cuidadores e familiares de pessoas que tem esquizofrenia precisam aprender a lidar com tudo isso. Mas como? Conhecer o que acontece com seu ente querido é o jeito mais fácil de entendê-lo, certo?

Sendo assim, eu trago hoje 10 dicas para você que ama uma pessoa que tem esquizofrenia. Acompanhe;

1.Cada dia será diferente do anteriorEsquizofrenia

Hoje eles estão bem, amanhã estão mais para baixo, isolados. E você cuidador precisa respeitar o tempo deles.

2.Ter esquizofrenia não significa ser louco

Como falei no artigo anterior, (Transtorno Mental: Saiba Como Não Sustentar Pré-conceitos!) a pessoa que tem esquizofrenia é muito mais que o seu transtorno.

Afinal de “louco cada um tem um pouco”. Evitar utilizar esses termos é muito importante, evita preconceitos e diminui o sofrimento da família.

3.Ter esquizofrenia não é algo que se possa superar facilmente.

Sabemos a gravidade desde transtorno e que infelizmente até hoje não se encontrou a cura, por isso não é um transtorno que pode desaparecer de repente, quem tem é para vida toda.

SIM, pode estabilizar e viver uma vida tranquila. Mas, sempre com medicação e cuidados, pois ela não vai ter ido embora.

4.Eles mudam de humor repentinamente

E saiba que isso não tem nada a ver com você. E mais um sintoma do transtorno, e eles também não podem evitar isso, é incontrolável.

Por isso, episódios de depressão, mania e raiva podem surgir a qualquer momento.

5.Existe chance de controlar a esquizofrenia.

Como já falei anteriormente é um transtorno para vida toda, mas que pode ser controlado: com medicação, terapia, reeducação, participação em grupos, apoio familiar.

A pessoa que tem esquizofrenia pode levar uma vida “normal”, como: poder trabalhar, sair, conviver com outras pessoas, etc.

Claro, que não acontece tudo da noite para o dia, que cada caso é um caso, vai depender da gravidade do transtorno. Mas, é possível sim!!

Leia Também: Como Ajudar Uma Pessoa Com Depressão?

6.Carinho e abraço funcionam muitoEsquizofrenia

Demonstre sempre seu amor. Diga para seu ente querido que sempre estará ao seu lado, essas palavras são muito importantes para eles.

Pode parecer que ele/ela nem ligou, mas no fundo eles sentem sim, gostam e precisam desse afago para seguir em frente.

7.Busque sempre se informar sobre o transtorno

Quanto mais você souber sobre a esquizofrenia melhor você poderá ajudar seu familiar e você. A psicoeducação ensina sobre a doença, medicações, tira dúvidas, acolhe os sentimentos dos cuidadores/familiares e através dela você consegue entender e auxiliar seu ente querido.

8.Paciência, paciência e paciência. 

Obvio que existirá momentos que você cuidador estará cansado, que se sentirá sozinho, mas acredite: passa!

E mesmo que você se zangue com seu familiar, que você tenha que ser mais duro em alguns momentos, eles sabem, reconhecem e agradecem seu amor e apoio. Mesmo que não expressem isso em palavras!

9.Controle suas expectativas.

Atividades, rotinas que seu familiar fazia antes, possivelmente ele não conseguirá mais realizar.

Sendo assim, não peça mais do que ele pode fazer, não exija muitas coisas ao mesmo tempo, uma tarefa de cada vez, e principalmente: NÃO CRIE FALSAS EXPECTATIVAS DE CURA”.

Ele/ela vai estabilizar sim, mas a esquizofrenia vai sempre existir.

10.Motivação. 

Vai sempre ter aqueles momentos que eles estão pior e parecem querer desistir de tudo. Nessa hora o seu apoio é crucial. Incentive seu familiar a reagir, convide ele/ela a fazer algo que goste, mostre o que vocês já conquistaram, a importância do tratamento e que você vai estar ali, do seu lado para o que for preciso.

Leia Também: Entre a razão e a ilusão: Desmistificando a Esquizofrenia!

Daniela Silva

[thrive_leads id=’498′]

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante. Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: danipsicologa@outlook.com

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva; 

Tel/WhatsApp: 51-84059491; 

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

5 Comentários

  1. paulina disse:

    Dra Daniela, conheci um rapaz e estou com ele a 5 anos desde que o conheci, sofro com surtos de raiva e ciumes, ele ficou preso por dois anos por se envolver com pessoas erradas e uso de drogas, estive ao lado dele esse tempo todo e a justiça declarou que ele e esquizofrênico. Ele tem histórico de esquizofrenia na família, pai e tio tem essa doença com laudo, a irma suicidou com 17 anos, A mãe abandonou quando criança. Ele já quebrou mais de 20 celulares, já jogou gasolina no carro e ameaçou colocar fogo, ja quebrou toda a minha casa, e já fez muita coisa ruim, ele xinga muito, menospreza e defama mulheres. No natal agora ouviu um áudio meu pelo celular e me acordou aos gritos dizendo que eu estava o traindo, me espancou e me xingou muito, e pegou uma faca enorme dizendo que ia me cortar em pedaços. Penso que estou viva porque o vizinho chamou a policia.
    Estou toda machucada tanto minha alma quanto o meu corpo, e sinceramente, estou sem forças para reagir.
    Não sei que atitude tomar em um momento desses, pois ele realmente entra num estado de ódio e raiva inexplicável, e não permite que eu pegue o celular e nem corra.
    Sinto que ele tem problemas mentais, desvio de caráter como também problemas espirituais.
    Toda vez que penso em desistir e abandona-lo ele faz muita chantagem depois diz que vai mudar e bla bla bla
    minha vida e minha profissão estão ameaçados por não conseguir mais conter os seus surtos

    existe alguma injeção que possa injetar nele em um momento como esse? até que eu consiga resolver toda essa situação?

  2. Ana Lúcia disse:

    Olá, boa tarde, tenho um filho de 19 anos que eu desconfio que tem esquizofrenia, eu já levei em dois psiquiátricas mas não deram o diagnóstico certo, não sei como descobrir se realmente ele sofre dessa doença mental, meus dias tem sido uma luta diária,ele últimamente teve uma enorme piora.

    • Daniela disse:

      Boa tarde Ana Lúcia! Obrigada primeiramente pelo seu contato!

      Infelizmente algumas vezes realmente é difícil o diagnóstico,pois os sintomas dele devem ter deixado os médicos ainda em dúvida quanto à certeza de ser Esquizofrenia, pois eles se assemelham com outros transtornos, como depressão,transtorno Bipolar, por exemplo. Imagino o seu sofrimento e do seu filho também, é uma barra. Nessa hora é preciso muita paciência mesmo.Continue observando ele e buscando sempre ajuda e tratamento, até que os médicos possam definir o diagnóstico dele. Nunca desista!!
      Fico à disposição no que eu possa ajudar.
      Grata e abraço.
      Psicóloga Daniela

  3. Solange disse:

    Linda Dani, muito bom seu texto, adorei suas colocações e isso mesmo, e bom relembrar sempre esses cuidados aos nossos anjos. Quero mais!!!! Solange dos Familiares de esquizofrênicos.

    • Psicóloga Daniela disse:

      Oi Solange! !

      Fico feliz que tenhas gostado!! Faço com carinho!!
      Pode deixar que sempre trago dicas para vocês! !

      Beijos