Esquizofrenia – Descubra 8 Dicas Para Evitar Conflitos Entre Irmãos

Esquizofrenia

Esquizofrenia

Quem nunca ouviu irmãos reclamando que um é o preferido do pai ou da mãe?

Que o “fulano” é o protegido, que é o filhinho(a) da mamãe, que tem tudo o que quer?

Na maioria das famílias acontece isso, porque não aconteceria com as famílias onde se tem um dos filhos com esquizofrenia?

É comum sabermos de famílias, onde se tem um filho(a) que tem esquizofrenia na família e outro não tem e esse, ou esses, que não tem o transtorno não aceita, não entende o irmão, os comportamentos dele, o que gera muito conflito na família.

Porém, nesses casos a situação é um pouco mais complicada, pois o irmão que tem a esquizofrenia realmente precisa de uma atenção maior, precisa de acompanhamentos, mais orientações e muitas vezes, não fará as coisas sozinho, precisando muito dos pais.

E os irmãos que não tem o transtorno sentem igual essa falta, essa “diferença”.

O que acaba aumentando a implicância, alimentando muitas vezes o sentimento de raiva, rancor pelo irmão acometido pelo transtorno, ou até mesmo brigas.

esquizofrenia Realmente os pais precisam dar essa atenção maior para o filho que tem o transtorno, mas será que isso significa que o outro tem que entender tudo, que o outro filho irá ganhar menos atenção e cuidado?

Não, claro que não!

E não quero de forma alguma dizer que os pais têm preferência pelo filho que tem o transtorno e não amam os outros.

Quero alertar você mãe, você pai e/ou cuidador que o que acaba ocorrendo sem querer é um distanciamento dos outros filhos, para que se possa ajudar melhor o outro que tem o transtorno.

Os pais acabam focando mais no filho com a esquizofrenia, pois percebem os outros mais capazes de lidar com as suas questões, mais fortes para seguir a vida.

Acabam vendo os filhos sem o transtorno como parceiros, mas esquecem que eles também terão seus momentos carentes, de querer atenção, o colo dos pais.

Sim, eles podem e precisam ser parceiros na luta diária da esquizofrenia, a família toda precisa.

Entretanto, se eles não tiverem um espaço, um tempo com os pais, um momento de lazer, de afago com seus pais, o resultado acabará sendo uma revolta, raiva e rancor pelo irmão que tem a esquizofrenia.

Eles até entendem as necessidades do irmão, mas eles também têm as deles, e querem ser ouvidos, acolhidos.

Por exemplo, o filho que foi mal na escola, a menina que levou um fora do namorado, ou ainda não teve um dia bom no trabalho, brigou com sua melhor amiga, ou apenas quer a atenção dos pais.

Todos esses também se sentem carentes e necessitados de atenção, de cuidado, de carinho dos pais.

E como lidar com essa situação?

Com essa dificuldade entre irmãos?

Como lidar com esses conflitos? Esquizofrenia

Sabemos que os pais não fazem por mal e que amam todos os filhos igualmente, mas é preciso ligar esse alerta e olhar para os outros filhos também, antes que o ressentimento tome conta e prejudique a família.

Eu também sei que não é fácil lidar com tantas dificuldades, sentimentos diversos, porém, é necessário prestar atenção a como se está olhando para os outros filhos, até mesmo para vocês pais não ficarem focados em uma situação somente e esquecer do resto, de vocês mesmos.

Vamos conhecer algumas dicas sobre como agir nessa hora?

Esquizofrenia – Descubra 8 Dicas Para Evitar Conflitos Entre Irmãos

Esquizofrenia
Dicas para lidar com os conflitos entre irmãos!

#1 -Reserve um dia, uma hora que seja para seu filho que não tem a esquizofrenia.

Dependendo da idade e do sexo do seu filho, você pode: jogar um vídeo game com ele, uma partida de futebol (assistir, jogar ou ir ao jogo).

Se for uma menina ir ao shopping, ir ao cinema, assistir aquele filme das princesas.

Ou o que o seu filho quiser;

#2 – Se o seu filho já for adulto, saia para um café, um jantar, um cinema, ou comprar um presentinho, um mimo que seja;

#3 – Demonstre interesse pelo dia dele, pelas atividades que ele faz, reserve um tempo para conversar com seu filho, ouvir o que ele tem de novo para contar;

#4 – Se for possível passem o dia fora de casa, para passear, bater papo, fazer compras ou melhor ainda, um final de semana juntos;

#5 – Se o filho for pequeno fica mais fácil ainda.

Brincar com eles, um brinquedinho novo, ler uma história na hora de dormir, fazer um lanche fora, fazer a comida que eles adoram;

#6 – Não faça diferenças.

Principalmente se forem de idades próximas.

Se deu algo para um, compre alguma coisa para o outro também, isso evitará comparações;

#7 – Converse bastante com seu filho.

Explique o que o irmão/ã tem, que você conta com a ajuda dele, que precisa dele ao seu lado, assim como o irmão precisa;

#8 – Demonstre o quanto ele é importante para você.

Que você estará sempre ao lado dele, mas que às vezes pelo transtorno do outro filho, você precisará estar mais focada nele.

Fale sobre como é importante vocês contarem com a ajuda dele.

Não importa o que você vai fazer com o seu filho, o importante é reservar um espaço somente dele.

É fazer alguma atividade com ele, é dar um pouco do seu tempo para esse filho (a) também.

É estar presente no dia dele.

Se você agir dessa forma vai manter o bom relacionamento familiar e ainda vai evitar que o seu filho que tem esquizofrenia se torne muito dependente de você.

Agindo dessa forma as chances são maiores da harmonia familiar perseverar e diminuir as implicâncias, o ciúme, com o familiar que tem o transtorno.

Tenho uma proposta para você!!

  • Reflita sobre as ideias desse artigo. Pense, se coloque no lugar do seu familiar.
  • Procure colocar em prática algumas dessas ideias e eu tenho certeza que sua relação familiar, o ciúme entre os filhos e qualidade de vida irão melhorar e todos sairão ganhando.
  • Faça o teste e tenho certeza que não vai se arrepender!!

Abraço e até logo.

Recomendo que você leia também: A Sobrecarga Vivenciada Por Cuidadores de Pessoas que Tem Esquizofrenia

Psicóloga Daniela

[captura]

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante.

Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: danipsicologa@outlook.com;

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva;

Tel / WhatsApp: 51-84059491;

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes