Skip to main content
diante da esquizofrenia

O Sentimento dos Cuidadores Diante da Esquizofrenia!

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Diante da Esquizofrenia

Diante da esquizofrenia.

O que será que os cuidadores/familiares sentem, pensam sobre seu familiar que tem esquizofrenia?

Uma mistura de sentimentos, confusão dentro de si, coração apertado e dividido. Cabeça a mil por hora!

A vida dos cuidadores de pessoas com esquizofrenia realmente não é fácil, eternos altos e baixos.

E o que será que se passa na cabeça destes familiares? Diante da Esquizofrenia

Os quais vivenciam sentimentos diversos e variados, um misto de emoções e dúvidas enormes que lhes consomem.

Já falamos sobre as Emoções Expressas (EE), o quanto elas afetam os familiares e o meio em que vivem e hoje falaremos melhor sobre estes sentimentos dos cuidadores diante da esquizofrenia e de seu familiar.

Recomendo que leia também: A Importância da Família Para Pessoas Com Esquizofrenia!

Pois bem, a partir do surgimento do transtorno mental, os cuidadores passam a vivenciar um intenso sofrimento psíquico.

Este sofrimento é decorrente das responsabilidades e os cuidados que aumentam com o familiar, das crises que acontecem, da falta de apoio, do medo do futuro, entre tantos outros motivos.

Alguns dos sentimentos presentes nos cuidadores de quem tem esquizofrenia são: Diante da Esquizofrenia

  • Angústia;
  • Vergonha;
  • Pena;
  • Sentimentos de fracasso;
  • Culpa;
  • Dúvidas;
  • Fragilidade;
  • Frustação;
  • Desespero;
  • Vontade de morrer;
  • Medo;
  • Piedade;
  • Proteção;
  • Impotência;
  • Tristeza;
  • Vazio inexplicável;

São muitos sentimentos, não é mesmo? E como falei no início, os mais variados, pois tem o lado do amor mas também o lado da raiva, e da culpa.

E você pode me perguntar: estes sentimentos são normais?

Diante da Esquizofrenia Sim, são normais, principalmente quando não se aceitou a esquizofrenia e não se entendeu o que é esquizofrenia.

As mães, as quais geralmente são as principais cuidadoras, se culpam pelo transtorno, acreditam que seu familiar tem esquizofrenia por sua causa, por algo errado que fizeram ou deixaram de fazer.

Com o tempo, descobrem que não são as responsáveis pelo transtorno e essa culpa diminui.

Diminui, mas não some, pois elas volta e meia se questionam se realmente não tem culpa.

Com o passar os anos, o medo e a incerteza do futuro assombram estes cuidadores.

Recomendo que leia também: 8 Dicas Importantes Para Te Ajudar a Cuidar de Uma Pessoa Com Esquizofrenia!

Como será o futuro do meu familiar? Quem vai o cuidar quando eu partir? Sentem-se impotentes por não poder “tirar” o transtorno do seu familiar.

Vergonha, desespero, vontade de morrer, são sentimentos comuns. Como vou dizer que meu familiar tem esquizofrenia? O que vão pensar?

E o desespero toma conta nas crises e na hora da insegurança.

Tristeza, dúvidas, angústia e fracasso são outros sentimentos que os cuidadores experienciam. Por que comigo? Por que com ele(a)? Será que fui um fracasso como mãe?

Os sentimentos de proteção, piedade e pena dos cuidadores surgem por verem seu ente querido muitas vezes em surto e saberem que não tem cura.

Ver o que passam e sofrem, os faz sofrer também.

Por isso, muitos cuidadores se sobrecarregam e até adoecem, tamanha carga emocional que vivenciam.

E se não tem o conhecimento do transtorno, de como lidar com seu familiar, esta sobrecarga é pior e mais forte.

Claro que ninguém é de ferro! Vão surgir sentimentos como os que citei em vários momentos.

Vão ter raiva, se culpar, culpar Deus! Em outros momentos, virão sentimentos de pena, piedade e o tal vazio inexplicável vai voltar diversas vezes. E tudo bem!

Diante da Esquizofrenia Sendo assim, o importante é que os cuidadores busquem apoio e orientação profissional para aprender a lidar com esta vasta gama de emoções.

Que participem de grupos de psicoeducação, para aprender sobre o transtorno, aprender estratégias para lidar com seu familiar e formas de viverem melhor.

E que se cuidem também, tenham um tempo pra si, pois como vimos não é pouca coisa não!

Cuidador: não se culpe tanto, levante a cabeça e viva o agora! Aproveite os bons momento com seu familiar! Não desista de vocês e de serem felizes! 

Daniela

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante.

Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: [email protected];

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva;

Tel/WhatsApp: 51-84059491;

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.