Skip to main content
Depressão e Suicídio

Depressão e Suicídio: A Depressão Pode Levar ao Suicídio?

Tempo estimado de leitura: 6 minutos

Depressão e Suicídio.

Você já teve a experiência de dividir um assunto importante com alguém que não deu a mínima para você ou ao que você estava sentindo?

Uma conquista, a conclusão de um trabalho que tenha exigido o seu máximo, a boa execução de uma tarefa bem difícil, a realização de um sonho tão almejado, enfrentar o medo de falar em público e muitas outras situações envolvem preparo, esforço e dedicação, não é mesmo?

E nada mais natural do que querer compartilhar todo este sentimento de alegria e realização com as pessoas mais próximas de você. Depressão e Suicídio

Mas já aconteceu de você compartilhar algo com alguém que não deu importância ao tamanho da sua alegria ou que tenha minimizado a sua conquista?

Isso parece ser bem ruim ou no mínimo inquietante, pois quando dividimos um sentimento com uma pessoa, desejamos que ela expresse alguma forma de empatia verdadeira e que, em situações melhores, ela possa se alegrar junto, não é?

E quando isso não acontece, normalmente gera um incômodo regado com o sentimento de frustração, raiva ou injustiça pela não reciprocidade, uma sensação de ser desprezado.

Logo pensamos: “mas porque será que ‘fulano’ não se alegrou com tudo aquilo de bom que me aconteceu? Será que fiz algo de mal à ele(a)?”

E o sentimento de culpa surge junto com todos os outros já citados.

E quando você tenta dividir uma dor emocional que você está vivendo?

Depressão e Suicídio

E quando tentamos dividir uma dor...
E quando tentamos dividir uma dor…

Seja por não atingir algum resultado esperado, por não ter conseguido realizar uma atividade, pelo término de um relacionamento, pela separação de uma pessoa amada, pelo desemprego, pela perda um ente querido, por uma doença mental ou física… O que normalmente você ouve?

Palavras de acolhimento ou palavras que minimizam seu sofrimento?

Palavras de apoio ou de comparação?

Falar de uma dor emocional também envolvem preparo, esforço, dedicação e ainda mais CORAGEM.

Sim, coragem!

Depressão e Suicídio Somos diariamente compelidos a ignorar nossos sentimentos e emoções, como se eles não fossem importantes, mas principalmente aquelas emoções tidas como negativas. Sim!

Por que o mundo é do mais “forte”! Daquele que não teme, que não esmorece e nem se cansa! Uau!!

Quem não gostaria de ser assim?!

Mas felizmente este é um ideal que ninguém, digo, ninguém consegue manter 24 horas por dia e nem 365 dias do ano, ao longo de uma vida, porque essa imagem produz e reproduz adoecimento psíquico.

É uma exigência sem fim a um ser humano completamente finito e limitado no tempo e no espaço físico.

Expressar as emoções positivas, como a alegria, o amor, a gratidão, a satisfação, a esperança, o interesse, é sempre muito bem vindo e produtivo nas rodas de conversa, no trabalho, na escola, na família, em qualquer ocasião social, porque ela demonstra o que há de mais bonito, aceitável e desejável nas pessoas. Depressão e Suicídio

Mas, por outro lado, falar sobre o medo, a raiva, a insegurança, o ressentimento, sobre a angústia e a tristeza que muitas vezes dilacera a alma.

Sobre a apatia e o desânimo que insiste em estar presente, sobre o ódio, o ciúme, e muitos outros sentimentos e emoções negativas, são assuntos pelos quais as pessoas tendem a se desviar, pois expressar sentimentos assim na maioria das vezes denota despreparo, fragilidade, imaturidade, etc.

Depressão e Suicídio E quem busca espaço de escuta, acaba por encontrar poucos ou nenhum que possa lhe auxiliar e compreender seu momento.

Decidir compartilhar os sentimentos originados de um sofrimento real ou imaginário com alguém que não age de maneira empática com você, também gera sentimento de frustração, raiva, vergonha e injustiça, mas neste caso, a tendência é que esta situação contribua para a piora do quadro de tristeza ou de um quadro depressivo, se ele está presente.

Neste casos, a sensação de incompreensão e não pertencimento se intensifica, agravando ainda mais o sentimento de desamparo e desesperança.

Recomendo que você leia também: 7 Dicas Para Confortar Alguém que Precisa de Apoio Emocional!

Da mesma forma, uma pessoa que tende a guardar todo e qualquer sentimento para si, na tentativa de se manter “forte”, equilibrado, racional, preparado, realista e com controle sobre as situações, pode chegar a um colapso emocional, pelo gasto de energia mental envolvido na necessidade de manter o equilíbrio entre a realidade interna de sofrimento com a realidade externa que exige perfeição e felicidade plena.

Problemas todos temos e o que diferencia é a forma e os recursos que cada um dispõe para lidar com eles. Depressão e Suicídio

Problemas todos temos
Problemas todos temos

Estamos no “Setembro Amarelo”, mês de prevenção ao suicídio, onde o objetivo é levar o máximo de informações possíveis para toda a população a respeito deste tema que ainda é um grande tabu para a sociedade e envolve muitos mitos.

Infelizmente a negação e o desmerecimento dos sentimentos e da subjetividade própria de cada pessoa, e do sofrimento do outro, tem gerado prejuízos irreparáveis em muitas vidas.

Por outro lado, sabe-se que 90% dos casos tem prevenção, se esta pessoa recebe o auxílio necessário e adequado para a situação.

O suicídio não acontece de uma hora para outra, mas o seu processo pode ser rápido, ainda mais se a pessoa estiver em crise.

É uma forma definitiva de acabar com um sofrimento que está latente e gritante por dentro da pessoa.

A dor emocional e a desesperança são tão intensas que por muitas vezes a pessoa não consegue visualizar, sozinha, outras possibilidades de resolução para uma situação ou problema.

É a dor mais profunda da alma, e não o desejo pela morte propriamente dita, que leva uma pessoa às tentativas ou ao ato em si.

Depressão e Suicídio A Depressão não é um passaporte carimbado para o Suicídio, mas a junção de vários fatores e contextos, que englobam as experiências mais tenras de uma pessoa até o momento atual de sua vida e desenvolvimento, a levam a pensar no comportamento suicida como uma alternativa.

Leia também: Como Sair Da Depressão? Vamos Conversar, Compreender e Saber Como Tratar!

Existem várias formas de aumentar a chances de prevenção seja do adoecimento psíquico e emocional, ou do suicídio, e uma delas é simplesmente falar sobre o que está se passando internamente com você, os pensamento que circundam sua mente, os desejos e preocupações existentes.

E não importa o tamanho que você percebe o problema que está vivendo, mas a disposição em aceitar e buscar uma ajuda acolhedora.

Se você ou alguém que você conheça precisar de atendimento psicológico, ele pode ser feito online, clique aqui para saber como se consultar com um psicólogo online. 

Fique Bem!

Com carinho,

Gracy Ramos.

Gracy Ramos da S. Nakakura | CRP 01/17360.

Psicóloga Clínica, palestrante, atua com atendimento infantil, de adultos e idosos, com base na Terapia Cognitivo-Comportamental e atendimento Psicopedagógico.

Realiza acompanhamento e Orientação para Pais e Educadores.

Avaliação psicológica e para Cirurgia Bariátrica (pré e pós-operatório).

Já atuou com grupo de pré-adoção em parceria com a 1ª VIJ/DF e com grupo de pais agressores em cumprimento de medidas alternativas pelo MPDFT/TJDF em Samambaia/DF.

Idealizadora do Projeto Conversações Psi –  www.facebook.com/conversacoespsi

Contatos: Consultório – C1 lote 1/13,  8º andar – Sala 810 –  ED. Taguatinga Trade Center – Taguatinga Centro/DF

Telefone: 61 – 981151928 (Whatsapp)

Instagram: @psigracy.rsnakakura

E-mail: gracyrsn.psi@gmail.com

One thought to “Depressão e Suicídio: A Depressão Pode Levar ao Suicídio?”

  1. Eu me sinto muito sozinho, e é bem difícil de compartilhar o meus sentimentos, por que?eu sei que eles não vai ligar a mínima pra o que eu sinto, eu já me cortei com faca e eles só saber me jugar, sem saber de nada, eu penso em me marta, e eles me chama de idiota, por que eu quero morrer pra não senti essa dor dentro de mim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.