Deficiência Intelectual e a Inclusão Escolar: Como Agilizar o Processo?

Deficiência Intelectual e a Inclusão Escolar: Como Agilizar o Processo?

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Deficiência Intelectual e a Inclusão Escolar

Se eu te perguntasse: Como foi sua vida escolar?

O que você me responderia, honestamente?

Você me falaria, muito provavelmente, sobre suas descobertas e experiências, suas primeiras paixões, sua turma inseparável ou suas decepções, conflitos enfrentados, superados ou não.

Dificilmente falaria sobre o conteúdo que aprendeu, talvez sobre um professor que te marcou e te fez se encantar por alguma matéria específica.

Estou certa?

Esta fase é importantíssima para o desenvolvimento do indivíduo, depois da família é na escola onde vivência-se as relações interpessoais e coloca-se em prática o exercício de regular as emoções e comportamentos, assimila-se as noções de hierarquia (professor, coordenador e diretor que representam figuras de autoridade), de pertencimento e identificação com os amigos e grupos, aprende-se a conviver com as diferenças e a superá-las.

Se tudo o que foi colocado anteriormente provoca muito mais lembranças e marcas afetivo-emocionais do que o conteúdo pedagógico propriamente dito, por que justifica-se a dificuldade da inclusão escolar da pessoa com deficiência intelectual pela sua limitação cognitiva, ou sua dificuldade de alfabetização e/ou assimilação dos conteúdos?

Já ouvi de professores, e até gestores escolares, ao longo da minha carreira, que a escola não está preparada para os alunos com deficiência, seja ela física, visual, auditiva ou intelectual.

E o que sempre respondo quando este questionamento ou justificativa aparece é devolver a pergunta sobre qual preparação seria necessária: Deficiência Intelectual e a Inclusão Escolar

Adaptação física do espaço?

Interprete de libras?

Audio-descrição ou braile?

Cursos sobre desenvolvimento cognitivo e estratégias de ensino?

Qual a preparação é necessário e o mais importante quanto tempo isso leva?

1, 5, 10 anos?

E o que se faz até?

A pessoas com deficiência esperam fora da escola?

Se avaliarmos o avanço na garantia de direitos das pessoas com deficiência, há mais de 20 anos a inclusão escolar é pauta, e nesse tempo houve a tão citada preparação?

Não há políticas públicas afirmativas sem uma demanda formal apresentada, ou seja, se as pessoas com deficiência não estiverem na escola, como essa preparação se dará?

Por isso a LBI – Lei Brasileira da Inclusão garante o direito da inclusão escolar, pois enquanto era facultativo para as escolas: “aceitarem” ou não um aluno com deficiência essa mudança não acontecia, foi necessário a garantia jurídica para o movimento acontecer.

Inclusão Escolar

Inclusão Escolar

Outro ponto importante, um profissional pode ser instruído teoricamente sobre todos os tipos de deficiência existentes, sintomas, características, tratamentos, estratégia de estimulação, entre outras que são de extrema importância, porém cada ser humano é único e tem suas peculiaridades, aptidões, desejos e que vão se manifestar de diferentes formas, então na prática não há uma “preparação ideal”, pois assim como os alunos sem deficiência tem perfis particulares de aprendizado (oral – aprende ouvindo alguém explicar sobre o tema; escrita – precisa anotar e reler os conteúdos pra assimilar; ou sinestésico – precisa de imagens e projeções mais práticas e não teóricas para compreenderem), assim será com a pessoa com deficiência intelectual.

O que desmotiva, na maioria das vezes as intervenções pedagógicas é a comparação dos resultados através de notas de uma prova, por exemplo, é preciso se pensar em diferentes maneiras de avaliação e participação da pessoa com deficiência intelectual no contexto escolar, mas essa mudança só se dará com os alunos matriculados e frequentando a escola e não segregados em casa.

E como no início do artigo foi apontado, por que privar ou limitar o acesso da pessoa com deficiência intelectual a toda essa gama de experiências e vivência escolar? Deficiência Intelectual e a Inclusão Escolar

Já ouvi a justificativa de pais/familiares sobre o medo dos filhos sofrerem com o preconceito, dos professores de que a turma faz “chacota”, que as pessoas com deficiência viram alvo de gozação e só percebem prejuízos e não ganhos neste convívio, porém é preciso analisar todo o contexto e o bulling deve ser combatido nas escolas independente dos alunos terem ou não deficiência, com um trabalho constante, pois o preconceito e a discriminação só diminuirão quando forem encarados abertamente sem tabus e não mantendo as pessoas com deficiência segregadas como há 30 ou 40 anos atrás.

Para os pais/familiares leva-se em consideração a superproteção natural, mas que necessita ser ressignificada, que advém de uma situação delicada que é a criação de um filho com deficiência intelectual, porém como garantir direitos e exercê-los sem se expor (no sentido de experenciar a vida)?

Como garantir uma autonomia e qualidade de vida, sem viver? Deficiência Intelectual e a Inclusão Escolar

Precisamos sempre levar em consideração as potencialidades de uma pessoa com deficiência intelectual e incentivá-las, pois as limitações já são conhecidas e aparentes, muitas vezes é necessário a intervenção profissional para enxergar esse potencial, e para trabalhar com a família a construção de uma vida autônoma para seu filhos.

Ótima temática pra um próximo artigo não acham?

Como desenvolver a autonomia das pessoas com Deficiência Intelectual?

Recomendo que você leia também: Deficiência intelectual: Como Conviver Com Ela

Aguardo vocês, até a próxima!

Priscila Conceição Souza Martins Psicológa – (CRP 06/108485) com pós-graduação em Psicopedagogia Clínica e Institucional,  atua na abordagem psicanalítica, possui ampla experiência no atendimento clínico à adolescentes e adultos, promovendo autoconhecimento e saúde emocional. Atua no processo de inclusão social da pessoa com deficiência Intelectual e/ou Múltiplas, sendo com a orientação familiar ou para profissionais da educação: desmistificando os estigmas e preconceitos, auxiliando no manejo com o indivíduo em questão, trabalhando na construção do empoderamento da pessoa com deficiência e sua família.

Contatos:

Whatsapp: (11) 96557-4895

E-mail: priscila-csm2011@hotmail.com

Facebook: Convivendo com a Deficiência Intelectual-Psicóloga Priscila Martins

Instagram: @psi.priscilamartins

Atendimento Presencial: Rua Padre Estevão Pernet, 160 sala 705 – Tatuapé.

Atendimento psicológico online: https://bit.ly/2LmVBmI

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Seja o primeiro a comentar!