Skip to main content
curtindo a vida adoidado

Você Está Curtindo a Vida Adoidado? Inspire-se Nesse Clássico!

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Curtindo a Vida Adoidado

O mundo de Ferris Bueller Curtindo a Vida Adoidado

No mês passado, junho, o filme “Ferris Bueller’s day off” (“Curtindo a vida adoidado”, como foi chamado no Brasil) completou 30 anos de sua estreia nos cinemas.

É provável que você já tenha visto esse filme, mesmo que tenha nascido depois de 1986, ano de seu lançamento.

Ele fez (e ainda faz) um sucesso enorme, e passa regularmente em sessões da tarde, da noite, da madrugada…

E influenciou e foi citado em muitos filmes, o mais recente tendo sido o “Deadpool”.

Aliás, é provável que você tenha visto mais de uma vez esse sucesso.

Resumindo para quem não viu: o filme mostra um dia na vida de Ferris Bueller, interpretado por Matthew Broderick, garoto popular na escola, extrovertido, engraçado, e que sempre consegue o que quer, mesmo indo contra todas as possibilidades.

Nesse dia que o filme mostra, um belo dia de sol, ele resolve que não quer ir à escola, quer se divertir.

Então, vemos como ele consegue enganar os pais simulando uma febre;

Como consegue limpar suas faltas na escola, que já estão acima do permitido;

Como consegue um carro de luxo para passear na cidade;

Como consegue vaga num restaurante chique que precisa de um longo tempo de reserva, etc. etc.

Curtindo a Vida Adoidado

O personagem é bastante simpático, e é fácil nos identificarmos com ele.

E esse é o ponto em que quero chegar nesse texto.

As relações entre os personagens, e também a relação entre o espectador e os personagens.

Muita gente assistiu e se identificou com Ferris.

Não porque tenham a mesma facilidade do personagem para conseguir fazer o que quer sem sofrer as consequências.

Mas porque gostariam de ter, e talvez sintam, lá no fundo, que dentro deles há um Ferris Bueller emaranhado no meio dos compromissos da vida real.

Ele representa a rebeldia, o espírito de “Carpe diem”, aproveite a vida enquanto pode.

Recomendo que leia também: Como Ter Amor Próprio? Respeite a Ti Mesmo!

Inclusive, uma das frases mais famosas do protagonista do filme é justamente sobre isso:

“A vida passa muito depressa; se você não parar e olhar em volta de vez em quando, pode acabar perdendo”. Bom conselho, Ferris!

Há também os que se identificaram com Cameron, o amigo tímido, travado, que apesar de fazer tudo certinho, vive assustado, morre de medo de se soltar, se sente alienado dos próprios pais, morre de medo do pai…

E que inveja a liberdade do Ferris, que tem tudo o que quer, inclusive uma namorada bonita que ele, Cameron, não tem.

Cameron olha pro seu futuro com tristeza e desânimo, ao contrário de Ferris, que parece não ter preocupação alguma.

No final do filme, ao acidentalmente destruir a Ferrari caríssima e amada pelo pai (mais amada do que ele, seu filho?), sabemos que Cameron terá uma grande conversa com o pai, sem vermos o resultado da mesma.

Falando em namorada, teve quem se identificou com a bela Sloane, namorada do Ferris, que não se sente incluída na vida dele.

E parece nutrir mais uma admiração por ele do que qualquer outra coisa.

Curtindo a Vida Adoidado

Ela se deixa levar pra lá e pra cá, simplesmente acompanhando o namorado, sem saber ao certo qual seu lugar.

E também muita gente se identificou com Jeannie, irmã de Ferris, que está sempre ressentida de como seu irmão consegue escapar ileso de tudo, mas ela não.

Inclusive, ao chamar a polícia para denunciar um intruso na casa, ela acaba presa.

Apenas no final ela consegue se reconciliar com a ideia de que ela não precisa ter raiva do sucesso do irmão, e que ele não tem culpa em suas próprias questões.

No máximo, ele revela o que ela gostaria de ser, mas não consegue.

Ela, no fundo, põe a culpa em Ferris (e sua habilidade de se virar pela vida) por suas próprias inseguranças.

Obviamente, tudo no filme gira em torno de Ferris, já que o filme é sobre ele.

Sua personalidade o torna o centro de atenção onde passa, inclusive virando atração num carro alegórico de uma parada comemorativa alemã!

Podemos ver, também, como Cameron, seu amigo, e Sloane, sua namorada, estão juntos na admiração por ele.

E você, com quem se identificou na primeira vez que viu “Curtindo a vida adoidado”?

Arthur Engel

ArthurArthur Gustavo Muniz Engel é Psicólogo (CRP: 05/32234) e psicanalista, pós-graduado em “Psicanálise e Laço Social”.

Atua nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói, além de fazer atendimentos on-line.

É também palestrante, supervisor clínico, orientador de grupos de estudo e consultor para jovens psicólogos.

Email: arthur@lacosocial.com.br
Skype: engelnit
Periscope: arthurengel
WhatsApp: 21-98112-8139
Facebook: http://on.fb.me/1ON3FNk – http://on.fb.me/1Lkb43H

Compartilhe esse artigo!

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.