Skip to main content
cuidar

Cuidar e Ser Cuidado Não é Para Qualquer Um. Descubra Aqui Por Que!

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Cuidar

O que significa a palavra cuidado? 

Cuidado significa atenção, precaução, cautela, dedicação, carinho, responsabilidade.

O ato de cuidar é servir, oferecer ao outro seu talento! Cuidar é perceber o outro como ele é, com suas limitações, dores e amores.

Cuidar não é só olhar para o corpo físico ou alguma limitação, cuidar envolve questões emocionais, história de vida, sentimento, emoções, de ambos os lados.

Dito isso dá para se ter uma pequena ideia da importância do cuidador não é mesmo?

Não é qualquer pessoa que consegue ser cuidador, é preciso muita paciência, amor e respeito pelo outroCuidar

Cuidar
Cuidar

Quando ser cuidador é uma escolha, como profissão, é diferente de ser um cuidador “escolhido”.

Digo escolhido porque cuidadores de familiares com alguma limitação, como a esquizofrenia, por exemplo, nunca imaginavam que um dia precisariam cuidar de um filho, marido, irmão, conjugue com um transtorno mental.

Mas também digo escolha, pois esses familiares aprendem muito com seu “paciente”, e ouço isso dos próprios familiares! Cuidar

Eles relatam que seu familiar lhes ensinou muitas lições, como: paciência, olhar o outro como um todo, um amor maior do mundo, aprender a respeitar e aceitar o ser humano como ele é, e não como se gostaria que fosse, entre tantas outras maravilhas.

Claro que nem tudo são flores e que existem muitos momentos de turbulência, de crises, de sentimentos diversos, mas o mais importante é aprender a olhar além do transtorno, além das limitações, além da esquizofrenia.

Se o cuidador ficar olhando para o passado, para como poderia ter sido, amargurado, o caminho com certeza será mais pesado e com mais espinhos.

Porém, aquele cuidador, que entende que precisará olhar para frente e aprender a lidar com as limitações de seu familiar, será muito mais leve e feliz. Cuidar

Cuidar
Cuidar

Não, ser cuidador não é fácil.

Haverá momentos em que as dúvidas, os porquês virão a cabeça. Existirão momentos de crises, difíceis, sentimentos de impotência e raiva.

Mas, sobretudo existirá muito aprendizado e trocas. Se descobre que o familiar tem muitas qualidades que não eram percebidas antes. Cuidar

Muitos familiares descobrem o amor, o carinho e o cuidado após o diagnóstico da esquizofrenia.

Existem muitas pessoas que tem esquizofrenia e são extremamente carinhosas e dóceis com seus cuidadores/familiares.

Vejo muitas pessoas que tem esquizofrenia e abraçam e beijam seu cuidador o tempo todo, quando muitos que não tem o diagnostico não conseguem nem chegar perto da família ou dizer eu te amo.

A pessoa que tem esquizofrenia é muito sincera, transparente e se ela perceber que é querida, que o outro está sendo sincero ela vai retribuir o carinho e você terá um amigo para sempre!

Também se ela perceber que não é bem vinda em um local ou por determinada pessoa, nada a fará ser simpática e afetiva com essa pessoa, pois eles demonstraram no rosto seus sentimentos.

Por isso digo que são sinceros e confiáveis. 

Entretanto o ato de cuidar também traz algumas consequências para os cuidadores, como o stress, a sobrecarga, o adoecimento.

É por esses motivos que o cuidador também PRECISA SER CUIDADO! Cuidar

Quem cuida também precisa de atenção, de cuidado e amor. Precisa se cuidar, SABER DIZER NÃO quando preciso.

O ato de cuidar é benéfico para o cuidador, dá prazer, proporciona alegria em ver o outro bem, mas também machuca, fere.

Muitos cuidadores não conseguem se desligar e olhar um pouco para si, dedicando-se 100% do tempo para seu familiar, o que acarreta a sobrecarga e consequências, físicas e psicológicas.

Existem cuidadores que para tentar “fugir dos problemas” se ocupam cada vez mais, parecendo “ser de ferro”! 

Estão sempre disponíveis, ajudam todo mundo, não tiram um tempo para cuidar deles, estão sempre envolvidos com o paciente.

É preciso que os cuidadores cuidem-se, pois para cuidar o outro é preciso estar bem!

E para isso existe uma palavra que chama-se Autocuidado.

Autocuidado significa cuidar de si próprio, são as atitudes, os comportamentos que a pessoa tem em seu próprio benefício, com a finalidade de promover a saúde, preservar, assegurar e manter a vida.

Sim, no início, quando se está aprendendo a lidar com o familiar, é normal que os cuidadores tenham menos tempo para si, porém, com o passar do tempo é FUNDAMENTAL que os cuidadores passem a pensar neles mesmos. 

Eu costumo dizer que eles precisam ser um pouco egoístas e olhar para si mesmos!

O autocuidado tem a finalidade de preservar a saúde e melhorar a qualidade de vida, por isso sua importância.

Quem cuida de si, está cuidando do outro tambémCuidar

Cuidar
Cuidar

Alguns cuidadores além de cuidar do seu familiar doente, ás vezes precisam trabalhar, cuidar da casa, de todos afazeres, quem sabe de outros filhos, dividir sua atenção entre: mãe/pai, cuidador, filho, esposa/o, profissional, etc.

É nessa hora que a sobrecarga e estresse podem surgir, pois se esse cuidador não tiver um apoio, um momento e um olhar para si mesmo ele não aguenta!

Sendo assim, vamos conhecer algumas dicas que podem ajudar você, cuidador a preservar sua saúde e manter sua qualidade de vida:

  • Se possível contar com a ajuda de outras pessoas, como a ajuda da família, amigos ou vizinhos. Essa parceria permite ao cuidador ter um tempo livre para se cuidar, se distrair e recuperar as energias gastas no ato de cuidar do outro;
  • Peça ajuda sempre que algo não estiver bem. Diga não quando for preciso!
  • É fundamental que o cuidador reserve alguns momentos do seu dia para se cuidar, descansar, relaxar e praticar alguma atividade física e de lazer, tais como: caminhar, fazer ginástica, crochê, tricô, pinturas, desenhos, dançar, etc.
  • Sempre que possível, aprenda uma atividade nova ou aprenda mais sobre algum assunto que lhe interessa.
  • Leia, participe de atividades de lazer em seu bairro, faça novos amigos, vá passear, ir ao shopping, cinema ou mesmo tomar um café!
  • Cuidar, não significa fazer tudo pelo seu paciente. Exercite a autonomia deles, permita que eles mesmo façam atividades que podem fazer, como: arrumar a cama, retirar o lixo, colocar e retirar a mesa, talvez ir ao mercadinho da esquina.
  • Não se culpe e viva um dia de cada vez!!

“Tudo que existe e vive precisa ser cuidado para continuar
existindo. Uma planta, uma criança, um idoso, o planeta
Terra. Tudo o que vive precisa ser alimentado. Assim, o cuidado, a essência da vida humana, precisa ser continuamente alimentado. O cuidado vive do amor, da
ternura, da carícia e da convivência”. (BOFF, 1999).

Recomendo que você leia também: Cuidadores de Pessoas Com Esquizofrenia: Cuidado Com as Expectativas!

Abraço,

Daniela

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante.

Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: danipsicologa@outlook.com;

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva;

Tel / WhatsApp: 51-84059491;

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.