Skip to main content

Atividades Físicas Ajudam a Controlar a Ansiedade Por Esses Motivos!

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Controlar a Ansiedade. De que maneira a atividade física pode ajudar a pessoa ansiosa? 

Estamos acostumados a ouvir dos médicos: você precisa fazer atividade física!

Médicos de qualquer especialidade nos dão essa recomendação. 

Nós já sabemos disso, porém resistimos em colocar a atividade física em nossas vidas.

Uma característica do ser humano é a teimosia e querer sempre o caminho do menor esforço, cuja funcionalidade é a acomodação.

Já falamos em outros artigos que a ansiedade é uma característica que possibilitou o ser humano a sobreviver na terra, uma vez que a resposta biológica de lutar ou fugir fez com que a criatura humana sobrevivesse.

Como assim? Ora, você está diante de uma onça por exemplo, o que você faz? Controlar a Ansiedade.

Seu corpo o alerta para procurar um abrigo o mais rápido possível, fazendo com que, mesmo sem habilidades para isso, você suba numa árvore para se proteger.

Outro exemplo: Você está dirigindo e diante de você ocorre um acidente.

Imediatamente sua mente e seu corpo em milésimos de segundos, age no sentido também de se proteger de um acidente. Controlar a Ansiedade.

Para saber mais leia: Como a Ansiedade Pode Te Salvar? Descubra Aqui!

Voltando ao nosso objetivo de demonstrar a importância da atividade física para o ansioso.

Nosso cérebro é composto de um emaranhado de neurotransmissores que trabalham para o funcionamento do corpo físico e mental.

Controlar a Ansiedade O que ocorre no cérebro de um ansioso é que os neurotransmissores dopamina, noradrenalina, serotonina, entre outros, estão em desequilíbrio e por isso afetam todo o nosso organismo.

Nesse sentido os medicamentos que os psiquiatras prescrevem vão atuar diretamente no nosso cérebro, fazendo com que os neurotransmissores funcionem adequadamente.

E o psiquiatra então recomenda: não basta tomar a medicação é necessário também fazer a psicoterapia e a atividade física.

Em qualquer transtorno mental o tratamento adequado envolve três pilares: medicação, psicoterapia e atividade física, sendo que a medicação só é indicada nos casos mais graves.

Porque há casos que somente a psicoterapia e a atividade física resolvem. Controlar a Ansiedade

Os psiquiatras falam para o paciente: se você não procurar fazer a psicoterapia, você não ficará bem!

Na psicoterapia você vai falar das suas dores, de como se sente, falar da sua vida, do seu trabalho e aos poucos vai ressignificando as coisas e enxergando os fatos de outra forma.

Vai se sentindo finalmente melhor e mais leve, ou seja,  a psicoterapia vai fundo nas causas do adoecimento.

E a atividade física? Controlar a Ansiedade

Controlar a Ansiedade
Controlar a Ansiedade

Quando você se dispõe a sair da sua zona de conforto, do sofá, da cama e ir para um parque ou para uma academia se exercitar, já está acontecendo uma transformação interna, beneficiada pela medicação e pela psicoterapia, em que a motivação fica mais forte em você do que o mal-estar que antes te deixava mole, sem ânimo, sem vontade e sem ação.

E, quando seu corpo começa a se mexer, ocorre uma transformação e os neurotransmissores começam também a exercer o seu papel, ativando dentro do seu cérebro as zonas do prazer, da motivação e do conforto.

Estudos comprovam que a dopamina é o neurotransmissor que é ativado no nosso organismo através da atividade física.

Daí você escuta do seu paciente/cliente: Mas eu não aguento, me sinto desanimada, sem estímulo!

E então você o orienta a começar devagar.

Uma caminhada de 15 minutos para começar e ir aumentando o tempo lentamente, aguardando a resposta do seu organismo.

Não precisa exigir demais do seu corpo. Primeiro ocorre a mudança mental e depois a corporal.

Você começa a perceber que a saúde é tudo!

Que acreditar que o tratamento medicamentoso e a psicoterapia estão ajudando são fatores importantes nesse processo.

E a psicoterapia vai atuar no sentido de incentivar a mudança de postura diante da vida, aprender a fazer o exercício mental para que os pensamentos catastróficos e negativos sejam substituídos por pensamentos elevados de auto estima, de confiança, de positividade diante da vida e das circunstâncias.

Sim, uma mudança de postura de menos valia para mais valia.

De olhar-se no espelho e dizer para si mesma: Sou bonita! Sou saudável! Sou alegre! Sou feliz!

Essas palavras ditas assim para você mesma, fazem com que você ouça sua própria voz frente à sua imagem e haja uma reorganização cognitiva que faz com que você acredite na vida e na sua saúde.

De acordo com a abordagem da Terapia Cognitivo Comportamental, tudo tem início nos nossos pensamentos e esses influenciam nossos sentimentos e consequentemente os nossos comportamentos.

Um exemplo corriqueiro na vida de qualquer pessoa: Você acorda e automaticamente pensa: Ah! Hoje não vou fazer a caminhada. Não estou bem! Estou desanimada!

São os seus sentimentos naquele momento.

Diante desse estado de humor, que consideramos baixo e com pouca energia que vem o comportamento de continuar deitada na cama, ou no sofá totalmente apática e sem vontade de fazer nada.

E esse ciclo vicioso, se você permitir, vai acontecer dia após dia.

Aí você pensa: tomo tantos medicamentos para ficar bem e não vejo resultado nenhum!

E pensa também: Não vou mais à psicoterapia porque não vejo mudança alguma!

O processo terapêutico envolve ambas as partes, terapeuta e paciente.

Não é uma via de mão única.

Controlar a Ansiedade A responsabilidade pelo processo é de ambas as partes, que envolvem entre outras coisas: empatia, comprometimento, assiduidade, pontualidade e vontade.

Querer ficar bem, acreditar no processo.

Não se promete cura, mas mudança efetiva na maneira de enxergar suas dificuldades e abrir sua mente para as mudanças.

E então prontos para a mudança de comportamento?

Até o próximo artigo.

Psicóloga Rosânia Guimarães

Rosânia de Fátima Guimarães Coaracy Muniz, psicóloga CRP 01/11302.

Atua na clínica atendendo crianças, adolescentes e adultos e faz avaliação neuropsicológica em Brasília/DF.

Contatos: email: rosania1.muniz@gmail.com

Fanpage: https://www.facebook.com/entendendoaansiedade 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.