Compreendendo a Esquizofrenia: Descubra Nos Primeiros Sinais.

compreendendo a esquizofrenia

Compreendendo a esquizofrenia

Só podemos compreender aquilo que realmente sabemos, o que entendemos.

Eu penso que essa frase vale para muitas ocasiões.

Por exemplo, uma matéria, um luto, um emprego novo, um termino de relacionamento.

Ou ainda uma doença, um transtorno como a esquizofrenia.

Por isso eu sempre digo que para poder ajudar a pessoa que tem esquizofrenia é preciso realmente entender o que é a esquizofrenia.

Compreendendo a esquizofrenia É preciso saber como ela funciona, seus sintomas.

A mudança que passa a pessoa que tem o transtorno.

Saber que muitos comportamentos e pensamentos dessas pessoas não podem ser controlados, pois fazem parte do transtorno e são muito mais fortes do que se possa imaginar.

Sendo assim, quanto mais entendermos da esquizofrenia, melhor poderemos ajudar quem tanto sofre com esse transtorno.

Melhor os cuidadores saberão lidar e entender o seu familiar.

É imprescindível que a família possa compreender o transtorno e como pode ajudar o seu familiar para poder fazer essa tarefa, pois ele sozinho, ou, dar o primeiro passo não irá acontecer.

Compreendendo a esquizofrenia E não irá acontecer por quê?

Pois os sintomas são muito fortes, suas crenças também.

Eles precisam desse apoio, de pessoas que possam puxá-los para a realidade, para o mundo real.

E geralmente essas pessoas são a família, os cuidadores.

Então vamos entender um pouco mais sobre a esquizofrenia, sobre seus sintomas e o seu início.

Atenção!

Tenha sempre em mente que nunca é igual para todos!

Que cada caso é um caso.

Compreendendo a esquizofrenia Cada pessoa é única e tem suas características, sua personalidade.

compreendendo a esquizofrenia
Personalidades únicas.

Cada um tem suas particuliaridades no transtorno e isso se modifica de pessoa para pessoa.

Alguns tem um grau maior, um tipo de esquizofrenia, nenhuma pessoa é igual.

Nem todos vivenciam da mesma forma e intensidade.

Nem todos demoram o mesmo tempo para estabilizar, ou em crises.

Reforçando:

CADA CASO É UM CASO!

Sintomas da esquizofrenia

Os sintomas positivos:

São exacerbações de fenômenos normais.

Incluindo delírios, alucinações e outro tipo de distorção da realidade.

Podem ocorrer diferentes tipos de delírios e alucinações afetando qualquer um dos 5 sentidos e ademais em diferentes graus de persistência ou sistematização.

Estes tipos de sintomas são o que melhor resposta tem frente as medicações.

Sintomas negativos:

Implicam uma redução ou perda de uma gama de afetividades e da função conativa.

Aqui inclui-se a incapacidade para experiências afetivas e Expressões, apatia (falta de motivação), falta de empatia, empobrecimento da linguagem, Anedonia (incapacidade de experimentar o prazer), falta de iniciativa e conduta social reduzida.

Sintomas cognitivos:

são uma diminuição da capacidade de inferir e interpretar sentimentos dos outros, uma tendência a atribuir emoções negativas a outras pessoas e a distorção dá atenção, processando informação, alteração de processamento da fala e a fluência verbal.

Sintomas de desorganização do pensamento e comportamento:

Refere-se a fragmentação da natureza lógica e pensamento normal, podendo variar em gravidade, desde a circunstancialidade e tangencialidade relativamente leves até a incoerência mais grave e mistura de palavras.

Incluindo tanto ou descarrilamento e neologismo (transtorno do pensamento formal positivo) como uma pobreza do pensamento (transtorno do pensamento negativo formal).

Os sintomas psicomotores:

Os doentes geralmente manifestam anomalias tanto na extensão como na natureza da atividade psicomotora.

As desordens da atividade psicomotora abrangem desde movimentos de postura simples ou maneirismos até padrões de movimento, como observado em vários estados catatônicos.

Sintomas de conduta:

  • Hostilidade;
  • Impulsividade;
  • Isolamento
  • Conduta antissocial.

E como se dá o início da esquizofrenia?

O transtorno se inicia de repente ou já existem sinais precoces?

Vamos conhecer o ANTES da esquizofrenia.

A esquizofrenia é um transtorno mental grave, crônico e recorrente que gera um grande fardo social e familiar, tendo uma prevalência na população de 0,72% (McGrath et al. 2008).

Compreendendo a esquizofrenia O transtorno pode ter uma trajetória sequencial que começa com a fase pré-mórbida onde os indivíduos vão demonstrar mudanças, como:

Ter problemas cognitivos, emocionais e do desenvolvimento comportamento, acompanhados de deficiências em funções sociais e acadêmicas.

Entre anormalidades destacam-se o atraso no desenvolvimento motor, disfunção da atenção, déficit na linguagem receptiva, resultados académicos pobres, isolamento social e empobrecimento emocional.

A fase seguinte, é chamada de fase prodrômica que corresponde à fase anterior ao surgimento dá doença.

É caracterizada por sintomas positivos atenuados (sintomas básicos e decadentes) e funções decadentes, junto com uma serie de sinais clínicos:

  • Déficits cognitivos;
  • Sintomas negativos;
  • Sintomas de humor;
  • Diminuição da função.

Os sintomas cognitivos, negativos e depressivos aparecem, em média, acima de 5 anos, antes do primeiro contato clínico e incapacidade social e aproximadamente de 1 a 3 anos antes.

Por outro lado, os sintomas positivos se manifestam um ano antes do primeiro contato clínico.

O aparecimento dos primeiros episódios psicóticos marca o início da fase psicótica, que é quando realmente aparece o transtorno.

O início dessa fase é difícil de estimar devido o processo continuo de evolução da doença desde a fase prodrômica até a psicose e também devido às diferentes definições existentes na fase atual de início, entre as quais destacam-se:

  • O surgimento dos primeiros sinais de transtornos mentais;
  • Primeiros sintomas positivos;
  • Primeiras evidências de disfunção social;
  • Primeiro contato clínico;
  • Ou primeira hospitalização.

Segundo ou DSM-5 considera-se que a doença inicia-se no individuo, quando ao longo de um mês, pelo menos dois destes cinco sintomas estão presentes:

Alucinações, delírios, comportamento ou fala desorganizada ou negativos.

Compreendendo a esquizofrenia Para confirmação do diagnóstico, é necessário que se manifeste, pelo menos, um dos três primeiros.

Nesta fase acentuasse os sintomas positivos e negativos mais proeminentes a medida que o transtorno vai evoluindo.

A esquizofrenia tipicamente se manifesta na adolescência ou no início da idade Adulta.

Finalmente, o transtorno entra numa fase estável, onde os sintomas positivos tendem a ser menos severos e os sintomas negativos e o déficit cognitivo são cada vez mais predominantes.

Esta fase é caracterizada pela remissão do transtorno ou por uma cronicidade, ainda que possam existir exacerbações posteriores.

Compreendendo a esquizofrenia Ainda que essas fases sejam divididas classicamente, a evolução da esquizofrenia varia amplamente entre os pacientes e a separação dessas fases muitas vezes é imprecisa devido à grande heterogeneidade do curso do transtorno.

 Além disso os sintomas prodrômicos e pré-mórbidos não tem valor para dar um diagnóstico ou pré-diagnostico, já que aparecem numa grande variedade de alterações do comportamento em indivíduos que posteriormente não sofrem de doença.

Cabe salientar que nem sempre essas fases são percebidas, sendo vistas somente quando surgem os sintomas psicóticos.

Claro que isso dificulta o tratamento, mas temos que saber que não é fácil identifica-las, pois se confundem com outros transtornos.

Compreendendo a esquizofrenia Porém, se já existem casos na família, será mais fácil perceber os sinais e buscar ajuda o mais cedo possível.

Caso você perceba alguns sinais, mudanças repentinas em você ou em um familiar, busque uma avaliação médica para que você possa ser orientado, pois quanto mais cedo o diagnóstico, melhor serão as chances de um bom tratamento e estabilização.

P.S. também pode ser que seja outro transtorno ou outra questão, mas somente uma avaliação médica vai lhe dar essa certeza.

Leia também que nos diz como ajudar pessoas com esquizofrenia: https://opsicologoonline.com.br/como-ajudar-pessoas-com-esquizofrenia/

Abraço e até logo!

Psicóloga Daniela da Silva

[captura]

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante.

Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: danipsicologa@outlook.com;

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva;

Tel / WhatsApp: 51-84059491;

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

 

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes