Skip to main content
Como tratar a Síndrome do Pânico

Como Tratar a Síndrome do Pânico? Descubra Aqui!

Tempo estimado de leitura: 6 minutos

Como tratar a Síndrome do Pânico

Nosso cérebro é um emaranhado de sistemas conectados entre si, que em equilíbrio, funcionam de forma perfeita.

O sistema límbico, responsável pelo controle das nossas emoções, muito sensível à vida da pessoa, necessita estar com todos os neurotransmissores em funcionamento normal.

Quando ocorre uma “falha” nesse sistema ou uma confusão nas ligações dos neurônios que compõem nosso sistema nervoso, ocorre uma queda da serotonina, que é uma substância de efeito sedativo e calmante e que produz o triptofano, que atua como precursor da serotonina, o neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar.

Ocorre que essa diminuição da serotonina provoca os quadros ansiosos como a Síndrome do Pânico que vamos tratar nesse artigo. Como tratar a Síndrome do Pânico

O que é a Síndrome do Pânico? Como tratar a Síndrome do Pânico

Como tratar a Síndrome do Pânico
Como tratar a Síndrome do Pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso ou sinais de perigo iminente. Como tratar a Síndrome do Pânico

Quem sofre do Transtorno de Pânico sofre crises de medo agudo de modo recorrente e inesperado.

A crise de pânico é desencadeada de forma inesperada. A pessoa relata no momento da crise, que se sente calma e mesmo sem perceber, algo a incomoda  embora não saiba definir o que.

Neste momento, o cérebro é ativado de forma inexplicável na forma de um perigo e medo e automaticamente a respiração se modifica, ficando curta e mais acelerada, os batimentos cardíacos disparam e a pessoa sente que alguma coisa ruim possa acontecer.

Uma paciente relatou-me: Como tratar a Síndrome do Pânico

“A sensação é de sufoco, de coração acelerado como se fosse explodir dentro do peito e a vontade de sair correndo. Tento controlar e não consigo! É horrível! Quanto mais eu me esforço para ter controle da situação, pior me sinto. Sinto vontade de chorar com a sensação assustadora de que vou morrer”.

Surgem os sintomas: Como tratar a Síndrome do Pânico

  • – Taquicardia;
  • – Tremores;
  • – Dores no peito;
  • – Medo de morrer;
  • – Medo de enlouquecer;
  • – Tonturas;
  • – Calafrios;
  • – Suor;
  • – Falta de ar. Como tratar a Síndrome do Pânico

Essas sensações ruins acontecem precipitadamente e descontroladamente e a sensação de morte iminente é desesperadora!

A crise gera uma hiperventilação, ou seja, uma respiração rápida demais pela boca, aumentando os níveis de Oxigênio (O2) no sangue e liberando grande quantidade de Monóxido de Carbono (CO2).

Normalmente, pessoas auto exigentes, controladoras, perfeccionistas, que têm fobias, como medo de elevador, medo de andar de avião, medo de metrô, medo de multidão, engarrafamento, shopping center, supermercado lotado, fila de banco, tendem a ser mais propensas a terem o transtorno, uma vez que há um gatilho que dispara o mal-estar.

E, normalmente, a pessoa depois de um ataque de pânico fica em hiperatenção, focando em lugares, pessoas, situações em que tais sensações ocorreram, uma vez que passam a ter medo de sentir tudo outra vez.

Como tratar a Síndrome do Pânico Isso traz inúmeros transtornos para a vida cotidiana da pessoa, que já não consegue sair de casa sozinha, dirigir seu carro, fazer coisas rotineiras, causando uma dependência muito grande de outras pessoas.

Como tratar a Síndrome do Pânico
Como tratar a Síndrome do Pânico

Durante essas crises que duram até meia hora, com intervalos de cinco a dez minutos, o cérebro sinaliza para o corpo fugir ou lutar, no entanto esse alarme está desregulado, conforme falamos acima. Como tratar a Síndrome do Pânico

E isso traz um nível de estresse e desgaste emocional tão grande que você pode imaginar as sensações sentidas como uma montanha russa, em que a ansiedade, a pressão sanguínea e a respiração atinjam picos tão altos que levam a pessoa a completa exaustão física.

Apesar do imenso sofrimento, a pessoa adia muito em procurar um tratamento e na verdade, ainda tem medo do preconceito que a doença mental traz, no seio familiar principalmente e entre as pessoas de seu convívio. Como tratar a Síndrome do Pânico

Então, costuma sofrer em silêncio e isso pode trazer outros transtornos mais graves como a depressão e o risco do suicídio.

E de forma natural temos a tendência de dizer para a pessoa em crise: Fique calma!

Parece inusitado, mas, ouvir isso, pode fazer com que a pessoa se sinta pior!

O que fazer então? Como tratar a Síndrome do Pânico

Demonstre que você está ali, do lado da pessoa, dê um abraço, ou até mesmo silencie, mas faça-a se sentir segura com sua presença e apoio.

Outra situação que incomoda muito a pessoa que está em crise de pânico, o barulho, vozes de pessoas falando sem parar, e se for diretamente com a pessoa em crise pior ainda.

Então, normalmente, a pessoa se afasta, vai para o quarto, quer ficar só até a crise passar e a palavra de ordem é respeito.

A ciência ainda não descobriu a cura para a Síndrome do Pânico, assim como para outras doenças mentais. Como tratar a Síndrome do Pânico

Falamos de alívio dos sintomas, diminuindo o sofrimento e permitindo que as pessoas vivam com qualidade.

Para isso é necessário que a pessoa se comprometa com o tratamento, que será de forma contínua e poderá durar algum tempo.

Esse tratamento é feito de forma medicamentosa, com prescrição e acompanhamento do psiquiatra, assim como de forma complementar com o psicólogo através da abordagem da Terapia Cognitivo Comportamental que têm respondido de forma eficaz.

O processo terapêutico antes de tudo, leva ao autoconhecimento e o paciente aprende a falar de si mesmo, dos seus problemas, dos seus medos, das suas dúvidas e o foco é entender o seu próprio adoecimento.

Como tratar a Síndrome do Pânico Entendendo os seus sintomas, o porquê se sente assim, fará com que esse medo tão arraigado em si mesmo, seja transformado e passará a enfrentá-lo.

Como tratar a Síndrome do Pânico
Como tratar a Síndrome do Pânico

O processo terapêutico promoverá a mudança nos esquemas do pensamento que fazem com que os pacientes se sintam prisioneiros dos seus próprios medos, uma vez que seu funcionamento psíquico está direcionado para crenças disfuncionais e assim promoverá uma mudança nas suas atitudes e comportamentos.

Nós, profissionais da saúde mental, precisamos trabalhar com empenho e persistência, e antes de qualquer coisa deixar fluir a empatia com seu paciente, que a partir daí ele acreditará no tratamento.

Além do mais, o ansioso tem pressa para tudo, pois seu foco está lá na frente, no futuro, e quer ver logo os resultados e benefícios do tratamento.

E é nesse quesito que a Psicologia atua mais profundamente, abaixando a ansiedade do paciente e fazendo com que ele persevere no tratamento também com os remédios.

Mesmo que o psicólogo não possa fazer uso de prescrição de medicação, uma vez que somente o médico pode fazer isso, ele busca ter conhecimento dos medicamentos que seu paciente usa, informa ao paciente que não pode interromper o uso da medicação de forma repentina por causa dos sintomas da abstinência e que aumenta o risco de recaídas e de depressão, agravando mais ainda o seu quadro. Como tratar a Síndrome do Pânico

Assim como o paciente nunca deve tomar remédios por conta própria, a retirada ou mudança de medicação deve ser feita sempre com acompanhamento médico.

Por fim, um exercício bastante eficaz no controle das crises de pânico, decorrente da ansiedade é aprender a respirar de forma correta, uma vez que o principal sintoma é a respiração curta e ofegante.

Como assim? Como tratar a Síndrome do Pânico

Coloque um saco de papel sobre o nariz e a boca e respire somente pela boca.

Em pouco tempo sua respiração ficará normal e o seu corpo relaxado.

Logo após, respire pelo nariz até se sentir tranquilo.

Vamos exercitar!

Até o próximo artigo.

Recomendo que você leia também: Você Sabe o Que é Transtorno de Ansiedade Generalizada?

Rosânia Guimarães 

Rosânia de Fátima Guimarães Coaracy Muniz, psicóloga CRP 01/11302.

Atua na clínica atendendo crianças, adolescentes e adultos e faz avaliação neuropsicológica em Brasília/DF.

Contatos: email: rosania1.muniz@gmail.com

Fanpage: https://www.facebook.com/entendendoaansiedade [1]   

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.