Skip to main content
como se comunicar

Saiba Como se Comunicar e Evitar Conflitos Emocionais

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Como se Comunicar

Há muitas formas de conversar que tornam a comunicação alienante, como:

  • negar a sua responsabilidade,
  • fazer comparações e julgamentos moralizadores,
  • mostrar critérios de merecimento para algumas atitudes da pessoa
  • e fazer exigências.

Isso nos desconecta mais do outro e de nós mesmos.

As pessoas se mostram desconectadas quando não estão junto as outras, quando sua atenção não está voltada para ela, ou não a observam melhor e permanecem desinteressadas aos seus sentimentos.

A desconexão cria suposições, julgamentos, culpa, raiva, e vários outros sentimentos que afastam as pessoas umas das outras.

E quando esta ligação se quebra, torna-se difícil perceber, ou relembrar, o que te conectava a ela e recuperar os laços que fortaleciam esta relação.

Como se Comunicar Muitos dos nossos desentendimentos acontecem com quem mais amamos, com quem, em algum momento, já tivemos um vínculo que consideramos importante: nossa família, namorados, amigos, etc.

E mesmo assim nos afastamos deles, permitimos que momentos de raiva e orgulho tomem conta destes acontecimentos.

É claro que há situações em que os outros fazem comentários com os quais ficamos chateados, tristes, decepcionados e não somos capazes de nos conectar a eles e procurar entender o que os levou a falarem isso.

Aí, caro leitor, você poderia me perguntar: Como se Comunicar

-Ah! Mas você quer que eu me conecte com quem está brigando comigo?!

Se os dois se desconectam, mais difícil será para recuperar a ligação que existia.

Se você sabe como refazer este laço, o que lhe impede de se aproximar das pessoas e tentar diminuir esses conflitos.

Ah! Quantas brigas e desentendimentos acontecem por essa desconexão.

Ao procurarmos nos atentar ao que casou tais sentimentos na pessoa, sejam eles de alegria, entusiasmo, aborrecimento ou vergonha, ela se abre pra nós e entendemos melhor a situação sem julgá-la. Como se Comunicar

Como se Comunicar A partir desse momento, a comunicação tende a se tornar compassiva, ou seja, não-violenta.

como se comunicar
como se comunicar

Por exemplo: imagine que Pedro vai para uma festa com os amigos, e sua mãe, muito preocupada, pede para que ele ligue assim que chegar lá e atender aos telefonemas quando ela ligar.

Pedro vai embora e esquece de retornar para a sua mãe.

Curte a festa enquanto está com o seu celular no bolso, mas mesmo assim não percebe quando ela liga.

No outro dia, em casa, a mãe o olha com muita raiva e decepção e diz:

– Você é um irresponsável! Não tem medo que sua mãe tenha um troço e morra de preocupação?!

Não consigo imaginar alguém que receba essa crítica sem se sentir incomodado.

No entanto, se o filho a recebe com desconexão, provavelmente ele vai falar:

– Como você é exagerada! É lógico que eu não quero isso!

E aí a discussão continuaria, cada um querendo se defender e contra-atacar.

No entanto, caso o filho procurasse estabelecer uma comunicação compassiva com a mãe, ele poderia agir mais ou menos assim:

– Mãe, eu não consigo entender porque você está falando assim comigo. Eu fiz alguma coisa?

-Claro! Você sai e não se preocupa em me avisar se já chegou, com quem está e não atende as minhas ligações!

-Ah! Então você está falando assim comigo porque eu não liguei e nem atendi as suas ligações?

É claro! Eu pedi isso para você porque fico preocupada quando você sai e volta muito tarde – e assim a mãe fala sobre o que a incomodou.

-Mãe, eu realmente não me atentei a fazer o que você pediu. Agora que eu sei que para você é muito importante que eu faça isso, eu me comprometo a mandar algumas mensagens avisando que eu estou bem.

Desta forma o filho procurou restabelecer o vínculo com a sua mãe.

Ambos estavam chateados, a mãe com o que aconteceu, o filho com a forma que ela chamou a sua atenção.

Observar a fala e os sentimentos da mãe aproximou-os de novo, permitindo que o seu relacionamento se fortaleça, evitando algum tipo de rompimento.

Pode até parecer um conflito que é resolvido facilmente.

Nem tanto, já que não é tão fácil se aproximar do outro quando este briga com a gente.

Porém, quando há aproximação e um acordo para que esse desejo seja cumprido, a partir de uma comunicação não violenta, a resolução dessa briga torna-se mais simples de ser resolvida.

Este foi um exemplo clássico que já deve ter acontecido com muitos de vocês e suas mães.

Mas e em outros momentos nos quais você nota que seu namorado está te criticando, ou que a sua amiga não fala mais contigo.

Você já procurou entender o motivo ou pensa da seguinte forma:

-Ah! Se ela tá incomodada, ela que me procure.

Você quer recuperar a conexão, a amizade desta forma?

Como se Comunicar Cada um precisa de um tempo para esfriar a cabeça e assimilar a situação, mas mesmo assim, é importante se conectar mais com a pessoa que a gente gosta. 

Às vezes amizades vão em vão.

A prática da conexão é um exercício diário.

Não fomos acostumados a observar o outro e seus sentimentos, mas sim, a criticá-los, rebatê-los e impor nossas ideias.

Cabe a você pensar o que quer fazer com os laços que construiu.

Grande abraço!

tamires-mascarenhasPsicóloga Clínica. Atendimento psicoterápico a adolescentes adultos e grupos. E atendimento voluntário a pessoas vítimas de violência. Faz curso de Hipnose Ericksoniana pelo Instituto Milton Hyland Erickson (IMHE) de Brasília – DF.

Contatos:

Telefone: (61)983750326

E-mail: tamiresfmm.psicologa@gmail.com

página no Facebook: Sinta, se expresse e comunique.

Página no Instagram: https://www.instagram.com/tamiresfmm.psicologa/

 

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.