Como Lidar Com Pessoas Depressivas: Descubra A Melhor Forma

Como Lidar Com Pessoas Depressivas

Como lidar com pessoas depressivas

A convivência diária com uma pessoa deprimida traz algumas exigências, e dentre elas, a compreensão talvez seja a mais importante durante todo o processo.

Mas muitas das vezes sem que haja qualquer intenção ou desejo de magoar, as pessoas acabam tecendo comentários que demonstram exatamente o contrário: a incompreensão.

Talvez isso possa se dar por falta de informação a respeito do transtorno, mas a verdade é que de fato precisamos ter cuidado com o que falamos e na forma como falamos com alguém que esteja com Depressão, para não ativarmos “gatilhos” que servirão para manter ou piorar qualquer dos sintomas, e principalmente o aumento da sensação de incompreensão e o não pertencimento.

Como lidar com pessoas depressivas É importante dar atenção ao que pode parecer positivo ou até mesmo um incentivo, mas que na verdade por agravar o estado emocional da pessoa deprimida.

Diariamente lido com pacientes deprimidos (em diferentes fases e graus de intensidade) e é muito recorrente ouvir seus relatos sobre o quanto se sentem mal por não serem compreendidos ou por não se sentirem validados em suas emoções e sofrimento.

Ou seja, muitas das vezes são desacreditados de suas próprias dores, fazendo com que aumente o isolamento social, por exemplo, por se verem como inadequados.

O mais difícil é vê-los sofrendo por se perceberem obrigados a esconder o que sentem ou ter que investir energia (que já é pouca) para “convencer” ou justificar seu comportamentos e sintomas aos outros, principalmente os mais próximos.

Mas o que não devo falar para uma pessoa com Depressão?

Quais comentários corroboram para a piora dos sintomas e da sua autopercepção?

Como ele compreende meus comentários?

Como Lidar Com Pessoas Depressivas
Como?

Vamos lá!

  • “Mas porque você está deprimido?” Como lidar com pessoas depressivas

Seria bem interessante que a pergunta realmente tivesse o objetivo de entender sobre o transtorno, já que não existe uma causa definida.

São fatores genéticos, sociais, ambientais, vivências e experiência pessoais, etc., que culminam em um quadro depressivo.

O motivos e a causas são diversas, apesar dos sintomas serem basicamente os mesmos, porém cada pessoa com suas especificidades e em diferentes graus de intensidade.

  • “Você tem tudo que uma pessoa poderia ter…” Como lidar com pessoas depressivas

Não é sobre ter, não é sobre não dar o devido valor ao que se tem de material, não é sobre não reconhecer sua condição financeira, por exemplo.

Nessa fase o material já não ocupa o primeiro lugar; é uma questão bem mais profunda e envolve o seu próprio sentido de vida e existência.

As comparações não são bem vindas.

Talvez você possa se mostrar mais interessado nas experiências e histórias dessa pessoa destinando tempo para apenas escutá-la.

  • “Você não faz nada para mudar…” Como lidar com pessoas depressivas

Acredite! A pessoa com depressão percebe que precisa e quer sair desse lugar, mas ela não consegue visualizar estratégias.

A perda da capacidade de sentir prazer pelas coisas, pessoas e até por si própria atrapalham qualquer movimento de mudança que ela possa pensar em fazer, e acabam parecendo indiferentes consigo e com os outros.

A anedonia associado ao rebaixamento de energia contribuem para a piora progressiva do quadro.

Demonstrar aceitação e disponibilidade pode ser mais positivo do que cobrar uma postura.

Ligue, envie mensagem, demonstre sua preocupação e disposição para ajudá-la.

  • “Isso é falta do que fazer!”

Poderia colocar muitas outras frases que também expressam esse Desmerecimento.

Fazer muitas coisas, assumir vários compromissos não é necessariamente sinal de saúde física e emocional.

A pessoa com Depressão sente-se sem força para qualquer atividade que seja e precisa de muito apoio e incentivo (sem críticas e cobranças) para realizar atividades, até a mais simples.

Seja apoio, proponha algo que você possa estar junto! Podes dizer:

– “Vamos fazer juntos?”

–  “O que acha de realizarmos tal atividade ou ir a tal lugar?”

  • “Você não está melhorando..”

Os ganhos que uma pessoa deprimida tem em seu processo de tratamento ou até mesmo no processo que leva até que ela consiga buscar tratamento, é louvável!

Não há que se definir ou exigir um prazo para melhora.

A depressão não funciona assim e não depende exclusivamente da pessoa, como se ela ligasse/desligasse um botão.

Dizer que ela não está melhorando é desvalorizar seu esforço (o mínimo que seja, já é grande demais para ela) e dizer que é incapaz.

Se mostre paciente, se disponha a diminuir os impedimentos desse processo.

Assim você será mais útil!

Poderia dizer apenas:

– “eu tenho percebido o seu esforço em melhorar”

– “o que posso fazer nesse momento para contribuir com sua melhora?”

  • “Porque não sai um pouco de casa?”

O isolamento social é um sintoma bem característico na depressão e seu surgimento pode ser sutil.

Uma saída de casa ao comércio próximo, por exemplo, pode exigir um esforço tremendo dessa pessoa e não é tão simples quanto se parece.

A depressão é pesada.

Pesa no corpo e na alma, debilita e retira a cor e a satisfação de realizar qualquer coisa.

  • “Você é muito negativo”

A convivência com uma pessoa depressiva não é fácil e por diversas vezes seu estado de humor e energia rebaixada acabam por influenciar o clima e os relacionamentos interpessoais nos ambientes em que e está inserida, fazendo com que as pessoas evitem sua presença.

Isso faz com que ela se sinta ainda mais sozinha e isolada, aumenta sensação de incapacidade e inadequação.

Mostrar-se compreensível e incluir esta pessoa nas atividades e no processos de decisão podem ser benéficos para a melhora de sua autoestima e autoconfiança.

  • “Você está ficando doida(o)”

O conceito de loucura ainda está bastante atrelado ao adoecimento mental/emocional e nós que trabalhamos com Saúde Mental nos dedicamos arduamente para quebrar esse estigma social que impede muitas pessoas de buscarem ajuda profissional adequada e viverem mais plenamente apesar de um transtorno.

Uma pessoa que vem sofrendo com depressão pode deixar de buscar tratamento simplesmente por vergonha ou pelo receio de ser taxada como “doida”.

Além disso, a recusa ou a resistência em realizar um tratamento podem favorecer a piora do quadro clínico da depressão, podendo chegar ao suicídio.

Menosprezar a dor, o sofrimento e as perdas que a Depressão gera para a pessoa, pode revelar que você pode não estar tão interessado em ajudar!

Como lidar com pessoas depressivas Você quer ajudar seu amigo ou familiar que está com Depressão?

Reveja seus conceitos, se disponha primeiro a escutá-lo e acolher seu sofrimento sem julgá-lo.

Busque informações, aprenda sobre o assunto, tire suas dúvidas, procure profissionais que possam esclarecer e acompanha-lo.

Quanto mais bem informado estiver, mais capacitado estará para ser o melhor apoio!

Com carinho,

Leia também o artigo que nos diz qual a importância do cuidador para a pessoa com depressão: https://opsicologoonline.com.br/pessoa-com-depressao/

Gracy Ramos.

[captura]

Gracy Ramos da S. Nakakura | CRP 01/17360.

Psicóloga Clínica, palestrante, atua com atendimento infantil, de adultos e idosos, com base na Terapia Cognitivo-Comportamental e atendimento Psicopedagógico.

Realiza acompanhamento e Orientação para Pais e Educadores.

Avaliação psicológica e para Cirurgia Bariátrica (pré e pós-operatório).

Já atuou com grupo de pré-adoção em parceria com a 1ª VIJ/DF e com grupo de pais agressores em cumprimento de medidas alternativas pelo MPDFT/TJDF em Samambaia/DF.

Idealizadora do Projeto Conversações Psi –  www.facebook.com/conversacoespsi

Contatos: Consultório – C1 lote 1/13,  8º andar – Sala 810 –  ED. Taguatinga Trade Center – Taguatinga Centro/DF

Telefone: 61 – 981151928 (Whatsapp)

Instagram: @psigracy.rsnakakura

E-mail: gracyrsn.psi@gmail.com

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes