Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia? Descubra Aqui

Como ajudar pessoas com esquizofrenia

Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia

Uma das grandes dificuldades que o cuidador tem com o seu familiar é a enorme dependência que a pessoa que tem o transtorno vivencia.

As pessoas que têm esquizofrenia sofrem muito, tem grandes dificuldades nas relações sociais e acabam se acomodando e dependendo do seu familiar/cuidador para tudo, o que com certeza traz consequências, para ambos os lados.

O paciente, após o seu diagnóstico, acaba precisando muito do seu cuidador e com o passar do tempo, se acostuma com isso e em alguns casos, até se aproveita dessa situação.

Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia Vamos conhecer alguns exemplos da dependência que a pessoa que tem esquizofrenia tem do seu cuidador:

  • 1. Muitos familiares de pacientes precisam de ajuda na realização das atividades diárias, como tomar banho, vestir-se, cuidados de higiene em geral, etc.;
  • 2. O fato de precisar sempre lembrar ou dar pessoalmente o remédio ao familiar é uma dependência. Inclusive em alguns momentos, cansa e irrita muito os cuidadores, devido à sobrecarga do dia a dia;
  • 3. A dependência financeira. Muitos não conseguem voltar a trabalhar ou não conseguem assistência do governo, o que diminui a renda familiar e aumenta os gastos com médicos, remédios, hospitalizações, etc.;
  • 4. O fato de muitos não poderem ou conseguirem ficar sozinhos, nem para o cuidador trabalhar, é uma grande dependência do seu cuidador;
  • 5. Precisar do cuidador para ir junto as consultas médicas, buscar remédios e administrar os remédios;
  • 6. A falta de motivação. Nesses casos o cuidador acaba sempre incentivando o familiar a realizar atividades, mesmo que simples, em casa. Alguns sabem o que fazer, mas esperam que o cuidador sempre diga antes o que deve ser feito.
  • 7.Entre outras questões de dependência com o seu cuidador.

Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia Essa dependência é muito em função do transtorno sim, mas também acaba virando um costume, uma mania ou até mesmo se aproveitar da situação.

E é isso que não pode ocorrer! Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia

Sim, entendo que é muito difícil para o familiar que tem diversas dificuldades e medos e para o cuidador que não sabe como agir. Que tem medo do que pode acontecer com seu familiar.

Ou ainda de que ele possa entrar em surto. Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia

Entretanto, o fato do familiar depender do seu cuidador para tudo influenciará no seu futuro e na sobrecarga do seu cuidador.

No familiar/ paciente, pois ele vai se acomodando cada vez mais ou se aproveitando da situação.

Ou ainda, depender do cuidador para tudo fará que o familiar se sinta cada vez mais incapaz, inútil, facilitando o isolamento social.

Para o cuidador, fatores como os citados acima de dependência do familiar que tem esquizofrenia com seu cuidador elevam o nível de sobrecarga nos cuidadores. Essa sobrecarga pode ser emocional e/ou física, o que ocasionará problemas na saúde física e mental do cuidador.

Para que se possa ajudar o familiar que tem esquizofrenia é necessário que se trabalhe a independência da pessoa que tem esse transtorno.

Esse é o melhor caminho para todos, paciente e família.

Através da independência vemos benefícios para o paciente, como por exemplo: a melhora da autoestima, a expectativa de futuro aumentar e o sofrimento familiar diminuir.

Sendo assim, a pergunta é: Como trabalhar a independência do familiar que tem esquizofrenia?

Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia 10 Dicas para trabalhar a independência do seu familiar que tem esquizofrenia

  • 1. Não faça pelo seu familiar o que ele mesmo pode fazer.

Como por exemplo: arrumar o quarto, ajudar nas tarefas de casa, colocar a mesa, estender a toalha, se servir, se arrumar;

  • 2. Com o tempo e estabilização do seu familiar deixe que ele aprenda a controlar as medicações.

Claro, dando uma conferida de vez em quando para ver se está tudo sob controle.

Estimule o seu familiar a cuidar das suas medicações, pois lembre-se que um dia ele precisará fazer isso sozinho;

  • 3. Coloque limites e regras.

Não trate o seu familiar como inválido, incapaz.

Ele pode fazer muitas coisas e quanto mais ele fizer MENOR será a sensação de não ser útil, MELHOR será a autoestima dele.

Ser visto e tratado como alguém “normal” é para eles uma grande vitória;

  • 4. Peça opinião dele sobre atividades de casa, sobre aspectos relacionados a ele.

Como por exemplo, comprar roupas, ir a passeios, festas, mudanças em casa, etc.;

  • 5. Incentive sempre ele a fazer atividades em casa.

Ajudar na limpeza, cozinhar, fazer compras, mudanças, e o que mais ele gostar e for capaz de fazer;

  • 6. Mostre o que ele pode e faz bem.

 Isso irá motivá-lo. Incentive-o a continuar fazendo essa atividade.

Por exemplo, se ele sabe cozinhar elogie como é boa a comida dele, peça que faça mais vezes;

  • 7. Se ele pode e consegue sair, não é tão comprometido, deixe que ele vá a lugares sozinhos.

 Como:

– Pagar alguma conta;

– Fazer compras;

– Buscar os remédios dele;

– Ir a consultas.

  • 8. Explique sobre o tratamento dele, o que ele precisa fazer.

Como proceder com consultas, remédios, valores, onde procurar ajuda.

Claro que casos mais graves será difícil esse entendimento.

É importante e o paciente esteja a par de todo o seu tratamento, de como proceder um dia caso precise ir sozinho. 

Isso também faz com que o paciente se sinta capaz e no controle da sua vida;

  • 9. NUNCA desvalorize o que ele fizer, mesmo que não seja do seu jeito, respeite.

Elogie.

Em último caso, depois refaça, longe dele para incentivar o comportamento dele;

  • 10. Lembre-se que você, cuidador, também precisa se cuidar, ter seus momentos.

Ter o cuidado consigo mesmo mostra para o familiar que ele não é o centro. Faz ele se virar sozinho e não esperar tudo pelo cuidador.

Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia Resumindo, é essencial incentivar o seu familiar a ser independente.

Como ajudar pessoas com esquizofrenia
Como ajudar pessoas com esquizofrenia

Motivá-lo a fazer sempre as suas atividades, não ter a visão de que ter o transtorno o torna incapaz, ele pode sim fazer muitas coisas.

Lembre-se que ele precisa de regras e limites e isso facilita a sua independência.

Quanto mais independente o seu familiar for de você, melhor será para ele, no presente e no futuro. Fazer as atividades referentes a vida dele o motiva, o faz se ver como todos a sua volta.

Além de que, ser independente irá contribuir para o dia que o seu familiar precisar se cuidar sozinho, pois assim ele saberá o que fazer e não ficará tão perdido.

Como Ajudar Pessoas Com Esquizofrenia Trabalhe a independência do seu familiar e a sua também, pois muitos cuidadores se anulam para viver a vida do seu familiar, o que não é bom e muito menos indicado, para nenhum dos dois!

Abraço,

Leia também o artigo que diz o que é esquizofrenia refratária: https://opsicologoonline.com.br/esquizofrenia-refrataria/

Psicóloga Daniela da Silva

[captura]

Transtorno mentalDaniela da Silva – Psicóloga com Orientação Psicanalítica (CRP 07/23218). Atua nas cidades de Cachoeirinha e Gravataí/RS, como Psicóloga Clínica e também palestrante.

Atendimento direcionado para familiares de pessoas que tem esquizofrenia; relações familiares- pais e filhos.

Email: danipsicologa@outlook.com;

Facebook: Psicóloga Daniela da Silva

Instagram: psicologa_danieladasilva;

Tel / WhatsApp: 51-84059491;

Blog: www.alemdaesquizofrenia.com

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes