Skip to main content
CID-10 Ansiedade

CID – Ansiedade

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Saiba como é feito um diagnóstico de Ansiedade. Este artigo tratará sobre o Código Internacional de Doenças (CID), mais especificamente a CID 10 – F 41 que está relacionado com a Ansiedade. Tentaremos fazer isso de maneira simples para maior compreensão de todos.

CID – Ansiedade

A  CID está em sua décima versão e é uma publicação da Organização Mundial de Saúde (OMS)

O código de nosso interesse aqui é o F 41, que classifica os Outros Transtornos Ansiosos e está associada a Ansiedade.

Mas qual a importância da CID -10?

Sus
Sistema Único de Saúde

CID – 10 é o critério diagnóstico adotado no Brasil pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e tem por objetivo listar e classificar os transtornos mentais.

Para os profissionais que atuam na área da saúde e mais especificamente na saúde mental o uso da CID -10 é de suma importância.

Pois possibilita e facilita a comunicação por meio de uma linguagem comum entre os médicos, psiquiatras, psicólogos, etc. 

CID – 10 constitui-se na principal ferramenta para aumentar a precisão diagnóstica e definir o tratamento mais adequado para cada caso.

Agora que você conheceu um pouco sobre a importância da CID -10 vamos falar sobre os códigos que nos interessam aqui. Explanaremos sobre cada código e o que cada um quer dizer. 

F41. – Outros Transtornos Ansiosos

Transtornos caracterizados essencialmente pela presença de manifestações ansiosas que não são desencadeadas exclusivamente pela exposição a uma situação determinada. Podem ser acompanhadas de sintomas depressivos ou obsessivos, assim como de certas manifestações que traduzem uma ansiedade fóbica, desde que estas manifestações sejam, contudo, claramente secundárias ou pouco graves.

Mulher coma taque de ansiedade
Transtorno de Ansiedade

F41.0 – Transtorno de pânico [ansiedade paroxística episódica]

A característica essencial deste transtorno são os ataques recorrentes de uma ansiedade grave (ataques de pânico), que não ocorrem exclusivamente numa situação ou em circunstâncias determinadas, mas de fato são imprevisíveis.

Como em outros transtornos ansiosos, os sintomas essenciais comportam a ocorrência brutal de palpitação e dores torácicas, sensações de asfixia, tonturas e sentimentos de irrealidade (despersonalização ou desrealização). Existe, além disso, frequentemente um medo secundário de morrer, de perder o autocontrole ou de ficar louco.

Não se deve fazer um diagnóstico principal de transtorno de pânico quando o sujeito apresenta um transtorno depressivo no momento da ocorrência de um ataque de pânico, uma vez que os ataques de pânico são provavelmente secundários à depressão neste caso.

Inclui:

  • Ataque de Pânico
  • Estado de Pânico
  • Síndrome de Pânico

Exclui:

  • Transtorno de pânico com agorafobia (F40.0)

F41.1 – Ansiedade generalizada

Ansiedade generalizada e persistente que não ocorre exclusivamente nem mesmo de modo preferencial numa situação determinada (a ansiedade é “flutuante”). Os sintomas essenciais são variáveis, mas compreendem nervosismo persistente, tremores, tensão muscular, transpiração, sensação de vazio na cabeça, palpitações, tonturas e desconforto epigástrico. Medos de que um seus próximos irá brevemente ficar doente ou sofrer um acidente são frequentemente expressos.

Inclui:

  • Estado Ansiosa(o)
  • Neurose Ansiosa(o)
  • Reação de angústia

Exclui:

  • Neurastenia (F48.0)

F41.2 – Transtorno misto ansioso e depressivo

Esta categoria deve ser utilizada quando o sujeito apresenta ao mesmo tempo sintomas ansiosos e sintomas depressivos, sem predominância nítida de uns ou de outros, e sem que a intensidade de uns ou de outros seja suficiente para justificar um diagnóstico isolado. Quando os sintomas ansiosos e depressivos estão presentes simultaneamente com uma intensidade suficiente para justificar diagnósticos isolados, os dois diagnósticos devem ser anotados e não se faz um diagnóstico de transtorno misto ansioso e depressivo.

Inclui: 

  • Depressão ansiosa (leve ou não-persistente)

Leia Também: CID – Dependência Química

F41.3 – Outros transtornos ansiosos mistos

Sintomas ansiosos mistos se acompanham de características de outros transtornos citados em F42-F48. Nenhum tipo de sintoma é suficientemente grave para justificar diagnósticos isolados.

F41.8 – Outros transtornos ansiosos especificados

  • Histeria de angústia

F41.9 – Transtorno ansioso não especificado

  • Ansiedade SOE 

Espero que este artigo tenha sido útil para uma maior compreensão sobre o CID -10 e mais especificamente o código F.41 que trata dos transtornos relacionados a Ansiedade

É importante salientar que este artigo trouxe uma explanação para breve compreensão sobre o CID-10 e o código F-41, mas de forma alguma substitui a consulta ou orientação com um profissional capacitado.

Para Atendimento Psicológico Online Clique Aqui!

Veja Também: CID – Dependência Química

O DIAGNÓSTICO DEVE SER FEITO SEMPRE POR UM PROFISSIONAL CAPACITADO!

12 thoughts to “CID – Ansiedade”

  1. To fazendo acompanhamento psiquiátrico de F41.0 porém tenho como disse na descrição que tenho medo de morrer não se encaixa na minha situação , bem pelo contrario gostaria de morrer para acabar com tudo … só não quero tentar o suídio por enquanto mas se algo ou alguém me matar será um favor …

    1. Oi Kátia, compreendo sua situação e o quanto é difícil, porém a vida é sempre a melhor opção. É ideal que junto ao seu tratamento psiquiátrico, você tenha o acompanhamento psicológico para trabalhar essas questões.

  2. Olá, tenho 39 anos e desde nova tenho apresentado sintomas de depressão e ansiedade. Fiz tratamento algumas vezes e mais não tenho comprovações, pois foram tratamentos esporádicos com alguns psiquiatras… Tomava a medicação, melhorava um pouco e deixava de lado o tratamento, porém agora se agravou muito. Tenho crises de ansiedade na rua de ficar sem ar e a vista escurecer com sensação de desmaio. Choro o tempo todo e penso em suicídio… Moro no sexto andar e fico toda hora pensando que se não tivesse grades nas janelas poderia pular, que poderia tomar alguma coisa ou ficar na frente de um carro… Passa noites acordadas só pq tenho algo para fazer no dia seguinte. Vou trabalhar por pura pressão, mas quero chorar e voltar para casa, qd chego em casa não suporto ficar lá. Quero voltar a fazer tratamento, mas não tenho forças nem para começar…

  3. Tenho quadros de ansiedade e depressão devido a transtornos depressivos obecessivos decorrente de violência doméstica. Não fiz nenhum tratamento e não usei até hoje (tenho 40 anos). Me sinto muito prejudicada em minha qualidade de vida pois minha tendência é o isolamento social. No entanto, acredito que a melhora deverá partir exclusivamente de minha força de vontade.

  4. Meu filho foi diagnósticado com CID F41.2 , eu estou muito preocupado pois ele esta na faculdade, será k isso pode interromper os estudos por favor me ajude não sei o k fazer.

    1. Olá Silvia, se ele fizer o tratamento pode levar uma vida comum como qualquer outra pessoa, então isso não chega a atrapalhar na faculdade ou na vida como um todo, desde que faça o tratamento indicado> o mais indicado é o psiquiatra e um acompanhamento psicológico. Se precisar de um psicólogo online estmaos a disposição, o atendimento é feito via skype.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.