Skip to main content
Câncer de mama

Como o Câncer de Mama, o Filme Aquarius e a Autoestima se Relacionam?

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Autoestima na mulher: um olhar para a luta contra o câncer! Câncer de Mama

Durante o período da faculdade, eu, juntamente com uma amiga, desenvolvi um projeto de pesquisa intitulado “As dores das perdas”Câncer de Mama

Neste trabalho, nosso objetivo era verificar os aspectos psicológicos do paciente após perdas físicas advindas do câncer.

Trabalhamos com mulheres em vários estágios da doença, com vários tipos de perdas físicas, dentre elas, perda dos cabelos, perda parcial ou total das mamas.

Neste projeto, observamos também a angústia frente ao corpo modificado e a elaboração da mudança da imagem corporal. Câncer de Mama

Sabemos que o câncer é uma doença avassaladora que provoca muitas mudanças na vida do indivíduo, entre elas físicas, emocionais e sociais.

Apesar da questão inicial da sobrevivência, os tratamentos muitas vezes, provocam uma desconfiguração e mutilação no corpo da mulher.

As mudanças que antes eram naturais ao corpo, este que é instrumento de prazer, de comunicação essencial e suporte dos laços afetivos, agora são impostos por processos de cuidados e alteram a autoimagem e consequentemente, a autoestima de quem se submete a processos tão invasivos.

Existindo, portanto, uma mudança emocional e real frente às perdas corporais de um corpo modificado advindas do tratamento oncológico.

Vivemos atualmente, uma cultura da hegemonia da aparência, na qual, o indivíduo vale mais pelo que ele aparenta ser.

Isso faz com que cada dia mais, surja a necessidade de negar ou corrigir as insuficiências e imperfeições do corpo real em função de um corpo ideal, imaginário e reflexo de um processo cultural de exposições de corpos perfeitos.

Câncer de Mama Consequentemente, enfrentamos hoje, sérias questões em relação à autoimagem e autoestima.

Recomendo que você leia também: Como Cuidar da Autoestima? Olhando Para Si Mesmo!

Por ser a autoestima um conceito subjetivo, não podemos afirmar que todas as mulheres submetidas a uma doença como o câncer, tem sua autoestima prejudicada ou diminuída.

Mas podemos afirmar que grande parte delas passa por este processo de nova identificação com a imagem que agora, após um tratamento tão invasivo, vê no espelho.

Abrem-se grandes reflexões sobre sua história de vida, suas memórias afetivas, sobre suas lembranças mais genuínas e em relação às identificações e reflexões sobre suas perdas e ganhos durante seu ciclo de vida.

Câncer de Mama E como, num momento tão delicado, de um tratamento tão forte e ao mesmo tempo sutil e visceral (cheio de paradoxos), a mulher mantém a autoestima e o amor por si mesma?

No filme Aquarius, que não por acaso assisti essa semana (Jung diria que foi uma sincronicidade), podemos observar Sonia Braga, como protagonista.

Uma grande protagonista, de uma história delicada e também intensa, sobre a vida de uma mulher, jornalista, esposa, mãe, dona de sua própria história.

Claro venceu o câncer de mama
Claro venceu o câncer de mama

O filme nos brinda com a grande sensibilidade e garra de Clara, que entre tantos desafios em sua vida, venceu também a luta contra um câncer de mama.

Este não é o tema central do filme, mas acaba tornando-se um fio condutor da história, já que através desta força pessoal, Clara pode enfrentar outro grande desafio imposto pela vida.

Há uma cena no filme, em que após muitos anos de viuvez, Clara vai a um clube de dança e encontra um homem interessante, atraente, mas que se assusta ao saber que aquela bela mulher não tem uma de suas mamas.

Tal atitude poderia ser devastadora ou causadora de grande dor para muitas mulheres, mas para Clara não foi.

E ela foi para casa, sozinha, e dançou consigo mesma.

Dançou com seu corpo, com seus cabelos, com seus discos, com sua casa e com suas escolhas.

Clara apresenta um amor próprio muito bonito de se ver e de se inspirar.

Clara poderia ser eu ou você.

Clara dança com sua própria vida.

Câncer de Mama E agora, eu convido a você, a dançar com sua própria vida também. Desta forma, estará cuidando da estima que tem ou poderá desenvolver por si mesma.

Escolha hoje sua música preferida, seu vestido rodado, ou sua calça de moletom, e dance.

Seja seu melhor par.

Com carinho, Suzane.

suzaneSuzane Guedes é Psicóloga (CRP 05/42766), Especialista em Psicologia e Desenvolvimento Humano e atualmente cursa formação clínica em Arteterapia.

Atua nas cidades do Rio de Janeiro e Três Rios-RJ com atendimento clínico à crianças, jovens, adultos e idosos; ministra grupos e oficinas terapêuticas.

Suzane acredita na psicoterapia como grande ferramenta de auxílio ao desenvolvimento pessoal e social.

Contatos profissionais:

(21)96985-4954

suguedes@yahoo.com.br

Facebook:

Instagram: @olharparasi

 

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.