Sem medo de ser quem eu sou

Bullying existe, não é lenda inventada pela nova geração, existe, fere a alma e muitas vezes o corpo também.
Boy student getting bullied in school

Que ser adolescente não é fácil todos já sabemos, eu mesma ainda já abordei isso por aqui inúmeras vezes e em todas elas justificando com afinco que não concordo que tenha que ser assim, afinal, ser adolescente já traz mudanças significativas que bagunçam o suficiente nossa mente, agora imagina precisar viver com medo.

Isso mesmo, a realidade de muitos adolescentes a partir dos 12 anos é experimentar diariamente a sensação de medo, de insegurança, de vulnerabilidade, o que ninguém deveria experimentar.

Alguns acabam até mesmo criando personagens para si de forma que não haja necessidade de se expor e ficarem suscetíveis a agressões gratuitas ou serem vítimas de bullying.

Sim, bullying existe, não é lenda inventada pela nova geração, existe, fere a alma e muitas vezes o corpo também, afinal se não agridem o adolescente fisicamente, muitas vezes o mesmo o faz na tentativa desesperada de fazer sumir uma dor emocional tão intensa que parece mesmo ser física.

Mas a questão aqui não é o bullying em si, mas a necessidade de se forçar a ser alguém que não é na tentativa cruel de ser aceito em determinado grupo onde, em condições normais, você jamais se encaixaria. Chega disso!

Chega de precisarmos nos forçar para caber em formas sociais que não contemplam nossas vontades, prioridades e nem mesmo personalidades. Chega de criarmos máscaras e fantasias que justifiquem uma falsa aceitação, falsa sim, pois se não aceitam quem você é por essência, então não o aceitam de verdade.

É preciso lembrar que nem sempre nossos padrões, vestimentas ou gostos musicais serão compatíveis com os de nossos colegas, mas por que seria isso um motivo para exclusão?

Pode parecer bobagem, mas depois de alguns anos nada disso vai importar, simplesmente se alguém ouvir algo que você não gosta, em seguida o outro ouvira algo que não gosta também, pois te respeita o suficiente para saber que a vida é via de mão dupla e não são de iguais que o mundo é feito, a magia em viver está justamente em aceitar o diferente.

Então que tal se despir de seus personagens inventados e assumir quem de fato você é?

Deixo aqui a reflexão, um grande abraço e até o próximo texto.

Leia também: O adolescente que vi e vivi…

 

Ellen de Oliveira Moraes Senra – CRP 05/42764

Psicóloga especialista em Terapia  Cognitivo Comportamental, autora do livro digital Adolescer sem Vacilo: Compreendendo o Universo Adolescente

Experiência no atendimento clínico a Crianças e Adolescentes individual ou em grupo.

Contatos: Tel/Whatsapp (21)97502-4033

Email: ellenmsenra@gmail.com

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn