Skip to main content
boazinha

Sabe Aquela Pessoa Boazinha? Na Verdade Ela Não Sabe Lidar Com a Raiva!

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Boazinha

Boazinha Você conhece aquela mulher que suporta qualquer coisa para manter um relacionamento? Boazinha

Ou mesmo não sabe dizer não ou quando diz sente uma imensa culpa?

Ou aquela mulher que sempre está disponível para atender as necessidades das pessoas?

Ou sempre faz o que as pessoas desejam ou querem delas?

Se você é assim ou mesmo conhece, saiba que estamos lidando com a boazinha.

Vamos comigo para entender quem é esta pessoa.

Para que você possa conhecer melhor quem é este tipo de pessoa, vou listar abaixo uma série de atitudes e comportamentos que de maneira geral trazem como componente central a necessidade de colocar o outro em primeiro lugar:

  1. Concentra-se muito em atender as necessidades dos outros mesmo que isso seja às custas de suas necessidades e desejos.
  2. Seus desejos sempre vêm depois dos desejos das pessoas que ama.
  3. Necessidade de doação integral do seu tempo para que se sinta realmente merecedora do amor das pessoas.
  4. Está mais propensa a adotar a perspectiva das outras pessoas do que considerar as suas.
  5. Adota como dever a tarefa de fazer o que os outros querem ou esperam dela.
  6. Sua maior necessidade é cuidar das pessoas que fazem parte de sua vida.
  7. Adota as crenças e atitudes de pessoas mais próximas.
  8. Adequa seu comportamento ao ditado de que é muito melhor dar do que receber.
  9. Sente que precisa conquistar o amor dos outros fazendo coisas que os deixam felizes.
  10. Tem extrema dificuldade em pedir ajuda aos outros ou expressar suas necessidades em qualquer situação.

Mas o que será que está por trás destas atitudes e comportamentos?

Boazinha Normalmente as pessoas boazinhas costumam não saber lidar ou mesmo tem medo de uma emoção: a raiva.

Como elas se sentem perdidas ou impotentes para lidar com esta emoção, adotam diferentes maneiras de fazer com que esta emoção seja camuflada.

Associado a esta situação, muitas evitam os confrontos e assim, aceitam fazer qualquer coisa para evita-los. Boazinha

Vamos trazer esta situação para os relacionamentos amorosos.

São estas pessoas que aceitam o amor por qualquer preço.

Irá fazer qualquer coisa para atender a vontade do parceiro ou da parceira e paulatinamente, vai perdendo a sua identidade neste relacionamento.

Agora imagine a magnitude tomada quando estas pessoas estão imersas em um relacionamento abusivo? Boazinha

Tentarão fazer de tudo (tudo mesmo!)

Para tentar adivinhar qual gesto, postura, comportamento ou atitude vai cessar as agressões do(a) companheiro(a).

Como normalmente não vai conseguir ter sucesso em suas investidas, tentará agradar o(a) parceiro(a) de alguma forma.

Uma pessoa boazinha está sempre querendo agradar o parceiro de alguma forma!
Uma pessoa boazinha está sempre querendo agradar o parceiro de alguma forma!

Quando o(a) parceiro(a) se irrita, humilha, zomba ou desqualifica esta pessoa boazinha, como acontece com toda vítima de relacionamento abusivo, ela vai acreditar que realmente é tudo aquilo que o(a) agressor(a) falou.

A partir disso vai aumentar, digamos, a sofisticação de suas atitudes agradadoras.

Como as tentativas de agradar nunca resolvem o problema, a pessoa boazinha entre em um ciclo sem fim.

Tudo isto é para evitar conflitos ou mesmo evitar ser abandonada pelo(a) parceiro(a).

E assim o parceiro(a) abusador(a) sempre vai mantê-la ansiosa e desequilibrada.

Normalmente para manter o controle, o(a) agressor(a) vai modelando a vítima e isto vai ser uma tarefa muito fácil quando ela é uma pessoa boazinha.

Afinal, ela fará de tudo para que o outro se sinta bem e feliz!

Mas os estragos para este tipo de pessoa em um relacionamento abusivo são devastadores.

Recomendo que você leia também: Violência Psicológica: Quando Palavras Machucam

Sua identidade será diluída e esquecida e com isso, suas vontades e desejos vão se tornar peças de museu.

E uma armadilha está feita dentro desta relação: a vítima acredita que o outro a ama ou mesmo a respeita por que se tornou o tipo de pessoa que foi modelada pelo agressor (a).

Mas e agora como posso mudar isto?

Antes de mais nada é preciso descobrir o que te motiva a ser uma pessoa boazinha: medo da raiva, medo do abandono, uma forma de manipulação, entre outras.

Após identificar e assumir as causas, se você está dentro de um relacionamento abusivo, a primeira providência é estabelecer limites e compreender que o outro deve te amar pelo que você é e não por uma imagem de pessoa criada e imposta a você.

E sempre tenha em mente que a melhor fonte de aprovação é VOCÊ MESMA.

Amar a si mesmo é o começo de um romance para toda a vida.

Oscar Wilde

Quando você dispõe sua maneira de ser totalmente a serviço do outro, está dizendo de forma implícita que suas necessidades e desejos não importam.

Quando você faz isto, não será capaz de estabelecer um relacionamento saudável.

Boazinha Para que você se relacione bem com o outro, seja ou não seja um relacionamento amoroso, você precisa ter CLAREZA E CUIDADO com a sua maneira de ser.

Ou seja, o auto respeito induz ao respeito alheio com você.

Este foi o texto da semana! Espero que tenha ajudado!

Grande Abraço!

Karine

karineKarine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/). 

Membro da Cativare (https://www.facebook.com/cativarepsi/). 

Idealizadora do Projeto De Bem com Você em parceria com a psicóloga Eanes Moreira. (Informações via whatsapp (79)99922-8130)

Contatos: E-mail: psimulti@gmail.com; 

Facebook – https://www.facebook.com/KarineAndradepsi/

Instagram –https://www.instagram.com/karine.andrade_psiaju/

YouTube – Psicologia Aracaju

 

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.