Skip to main content
aventura sexual

Aventura Sexual: Será Que a Grama Do Vizinho é Sempre Mais Verde?

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Aventura Sexual

Aventura Sexual Costumo elucidar meus escritos com base em minha prática profissional e dentro das demandas do dia-a-dia, como Psicólogo e sexólogo clínico.

Nesses anos de prática clínica, ajudando pessoas a superarem suas maiores peripécias existenciais, por diversas vezes ouvi de pessoas desdenharem a maneira como são e/ou o que possuem, a partir da supervalorização daquilo que é do outro, mas afinal: a grama do vizinho é “sempre” mais verde?

Esse é o tema central do nosso texto, todavia, abarcando a sexualidade humana. Aventura Sexual

Leia Também: Corpo Sexual: Lugar de Aprisionamento ou Prazer?

Não foram poucas as vezes que encontrei pessoas desejando outras que possuem ou não relacionamentos e até mesmo, se submetendo a novas experiências sexuais, até mesmo extraconjugais, por projetar no outro aquilo que já não tem mais em seus relacionamentos ou até mesmo, não encontram mais dentro de si, ainda assim, muitas dessas pessoas retornam às suas realidades com sentimentos de culpa, autopunição e diversos outros.

É claro que todas as experiências não se dão apenas com consequências negativas, muitas vezes o novo vem carregado de expectativas, prazer, euforia, descobertas, novidades e muita satisfação.

Entretanto, quando entramos em uma aventura sexual, precisamos ter noção dos riscos que envolvem: gravidez, doenças, orgasmo, alegria e comparação.

Sempre encontrei no sexo uma grande virtude consoladora, e nada adoça mais as minhas aflições vindas dos meus problemas do que sentir que uma pessoa amável se interessa por ele.

Jean-Jacques Rousseau

Ao comparar o novo com a rotina, essa tende a perder, visto que o novo, indica sempre uma experiência intensa, no qual não perdemos tempo, aproveitamos o momento, a reciprocidade no segredo e nunca esquecemos de valorizar as oportunidades, visto que elas, podem não aparecer outra vez. Aventura Sexual

Em contra partida, temos uma discrepância entre as novas possibilidades do novo com a rotina do sexo cotidiano, todavia o sexo cotidiano, nos deixam mais calmos, mais seguros, sendo que, se não der para ser feito hoje, faremos em outro dia, pois acreditamos que o parceiro estará sempre “ali”, diferentemente do sexo com o parceiro novo, que não elucida segurança da disponibilidade.

Cabe ressaltar que, esse novo só é bom enquanto ainda é novidade, mas, em breve vira rotina, como qualquer outro. 

Precisamos nos perguntar: Estamos em busca de segurança ou de fortes emoções? Aventura Sexual

aventura sexual
Aventura sexual, uma busca por fortes emoções?

O cotidiano “comum”, cheio de obrigações, filhos, emprego, lar, contas… Acabam por nortear a vida dos indivíduos, por muitas vezes, deixando ou até mesmo trocando a energia criativa do sexo pela segurança da sobrevivência pessoal e da família.

Essas pessoas acabam contentando com uma “vida sexual mais comum”, menos intensa e frequente.

Todo novo abarca ganhos e perdas, portanto não podemos encarar uma aventura sexual como a possibilidade de um novo encontro, obstante que em um dado momento, esse novo também sendo em frequência, se tornará uma rotina como qualquer outra relação. Aventura Sexual

Leia Também: Sexo Virtual: Do Prazer à Compulsão!

Algumas pessoas conseguem separar sexo e afetividade, todavia, o mais comum é encontrar pessoas que se submetem a relacionamentos extraconjugais, porém, posterior à prática prazerosa, são tocados pela culpa, autopunição moral e religiosa, e por muitas vezes, entram em conflitos emocionais por projetar no outro e acreditar que a grama do vizinho é sempre mais verde do que a sua, sendo assim, quando a novidade vira rotina, percebe que a grama tem a mesma textura e cor, apenas as projeções e percepções embutidas no processo, que foram equivocadas.

É nesse momento que tomamos consciência que estamos totalmente fora da realidade. Aventura Sexual

Somos livres! É claro que podemos variar… mas nunca devemos esquecer que: somos os únicos responsáveis por nossas escolhas, afinal, tudo tem um preço e consequência.

Será que tudo o que é lícito nos convém? Aventura Sexual

Juliano Coimbra

julianoJuliano Coimbra dos Santos – CRP 16/3680. Psicólogo, Especialista em Sexualidade Humana, Especialista em Gestão Empresarial e de Recursos Humanos, Graduado no Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos. Atua como Psicólogo Clínico e como Psicólogo na Execução da Medida de Internação Socioeducativa no Instituto de Atendimento Socioeducativo do Estado do Espírito Santo – IASES. Diretor da JCSPSIC – Treinamento & Desenvolvimento Humano e atua como Professor do Centro de Pós Graduações – CESAP.

Contato: [email protected]

69 Aventuras Sexuais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.