Skip to main content
Autoestima na Adolescência

Um Olhar Para a Autoestima na Adolescência!

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Autoestima na Adolescência

Penso que a adolescência seja um desafio.

Desafio para o próprio adolescente que passa por inúmeras transformações, desafio para os pais que acompanham essas transformações, e consequentemente precisam se transformar também, e para mim, particularmente, cuidar, acolher e acompanhar um adolescente em psicoterapia, muitas vezes também é um desafio.

O adolescente pode ser um turbilhão de agitações ou um excesso de calmaria beirando apatia. Opostos. Autoestima na Adolescência

E em muitos momentos essa dualidade, instabilidade emocional e comportamental é frequente.

E há que se cuidar desse tempo, olhar para esse momento de transição de infância para a vida adulta com amor, com respeito e paciência.

A definição de adolescência varia conforme a cultura em que se vive, sendo que no Brasil o Estatuto da Criança e do Adolescente define esta fase como característica dos 12 aos 18 anos de idade.

Autoestima na Adolescência Porém a adolescência, assim como todas as fases de desenvolvimento, pode ser antecipada ou tardia, pois o ser humano é também, inconsciente e subjetivo, podendo seu desenvolvimento oscilar de acordo também com suas vivências pessoais, parentais, relacionais e também, genéticas.

Autoestima na Adolescência
Autoestima na Adolescência

A adolescência é uma fase vulnerável, precisa-se lidar com o luto da infância perdida, do corpo infantil, dos pais idealizados, da fantasia de bissexualidade e ainda lidar com uma nova visão de sociedade, esta não mais protegida pelo mundo infantil, e agora questionada por indivíduos com seus hormônios em ebulição.

Além de estar formando sua identidade pessoal e busca de si mesmo. O que fazer com isso tudo?

O que fazer com todas essas mudanças? Autoestima na Adolescência

É bem compreensível que a autoestima nessa fase esteja sofrendo também transformações, e muitas das vezes sofrendo um impacto muito mais negativo do que positivo.

Nesta fase, um pouco diferente da infância, na qual a autoestima está ligada muito diretamente com as relações parentais ou com aqueles que fazem este papel, na adolescência a construção da identidade e autoestima estará muito ligada às relações sociais e de amizade que o adolescente construiu e vem construindo.

Isso acontece, pois o adolescente neste momento se distancia dos pais não mais idealizados e precisa buscar novas referencias, além de surgir uma forte tendência grupal, proporcionada por esta nova etapa de vida. Autoestima na Adolescência

De acordo com Grimberg (2003), na adolescência os arquétipos do Pai e da Mãe ou arquétipos parentais passam a perder seu predomínio.

Assim, surge o arquétipo do herói, que empurra o ego para se identificar e interagir com um grupo do mesmo sexo. 

Além das transformações corporais são ativados também os arquétipos da Anima na psique do menino e do Animus na menina, os quais são responsáveis pelo relacionamento e atração pelo sexo oposto.

A autoimagem e autoestima do adolescente passa por grandes desafios.

Autoestima na Adolescência A realidade é que muitos jovens têm dificuldades de serem aceitos por si mesmos e pelos outros.

Autoestima na Adolescência
Autoestima na Adolescência

A autoestima adolescente afeta a vida dos jovens e suas decisões, seus relacionamentos e o desempenho escolar.

Neste sentido, é importante destacar que uma autoestima baixa pode levar o adolescente a comportamentos de risco, como o uso abusivo de drogas, transtornos alimentares, comportamentos sexuais, etc.

Além disso, os adolescentes são muito vulneráveis diante da publicidade de seitas ou grupos violentos.

Recentemente pudemos acompanhar notícias de adolescentes envolvidos em um jogo, de origem virtual, que leva o jovem a cumprir desafios autodestrutivos, sendo o último, o suicídio.

O “jogo Baleia Azul” provavelmente atraía adolescentes procurando um pertencimento, e neste sentido, infelizmente, acabaram achando uma arma violenta que a cada desafio superado aparentava uma falsa sensação de conquista e consequentemente, melhora de sua autoestima, mas que por trás disso, traz dor e morte.

Sim, esses casos são extremos, mas o suicídio já se encontra como segunda principal causa de morte no mundo nessa faixa etária, perdendo apenas para acidentes, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).  Autoestima na Adolescência

Recomendo que leia também: Suicídio: O Que Leva Uma Pessoa a se Suicidar?

E neste período tão complicado, cabe ainda aos pais ajudá-los em sua autoestima.

Citarei aqui algumas maneiras para que a aproximação dos pais seja positiva e consequentemente estimuladora da autoestima dos jovens.

Estabelecer limites e expectativas alinhados a sua faixa etária.

É importante estabelecer regras e expectativas que se ajustem ao que eles desejam, de modo a contribuir para o seu desenvolvimento.

Aqui entra a capacidade dos pais de negociar para estabelecer regras que sejam aceitas pelo adolescente, sem que essas regras sejam muito permissivas.

Dentro de uma comunicação aberta, o que favorece uma relação flexível, onde os pais exerçam a sua autoridade sem serem autoritários.

As regras devem ser claras e comunicar valores específicos. Autoestima na Adolescência

Incentivar a formação de opiniões próprias.

Sem impor as suas opiniões ou de qualquer outra pessoa, oferecendo-lhes uma visão ampla do mundo e facilitando as experiências que lhes permitam pensar livremente.

Incentivar a tomada de decisões e consequentemente fortalecer sua autonomia. Autoestima na Adolescência

Os adolescentes devem aprender a tomar as suas próprias decisões, a ser responsáveis por elas e decidir de acordo com os seus valores pessoais.

Os pais podem ajudar o adolescente a agir de acordo com as suas escolhas, entendendo e lidando com as consequências das suas ações e decisões.

Devem oferecer apoio para solucionar os seus problemas, mas sem super protegê-los ou fazer por eles.

E como eu sempre reforço em atendimentos aos pais, quando não souberem o caminho a tomar, escute seu coração, sua intuição.

Todas as fases do desenvolvimento requerem cuidados, e alguns momentos são mais delicados.

Procure uma rede de apoio, peça ajuda.

Recomendo que você leia também: Autoestima Infantil: Como se Constrói a Autoestima na Infância? Veja Aqui!

Com carinho, Suzane. Autoestima na Adolescência

 

Suzane Guedes é Psicóloga (CRP 05/42766), Especialista em Psicologia e Desenvolvimento Humano e atualmente cursa formação clínica em Arteterapia.

Atua nas cidades do Rio de Janeiro e Três Rios-RJ com atendimento clínico à crianças, jovens, adultos e idosos; ministra grupos e oficinas terapêuticas. Também trabalha como orientação psicológica online.

Suzane acredita na psicoterapia como grande ferramenta de auxílio ao desenvolvimento pessoal e social.

Contatos profissionais: (21) 96985-4954

Atendimento online: http://www.atendimento.opsicologoonline.com.br/suzane-guedes

Email: suguedes@yahoo.com.br

Instagram: @olharparasi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.