Autismo: Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre o Autismo!

Autismo.x45540_mini

Autismo

O autismo é um Transtorno Global do Desenvolvimento – TGD (conjunto de síndromes que interferem nas interações sociais reciprocas a partir dos primeiros anos de vida).

Também conhecido como Transtorno do Espectro Autista – TEA, o autismo é marcado por alterações expressivas na comunicação, na interação social e no comportamento, geralmente tem início na infância e persiste durante a adolescência e vida adulta.

Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde – OMS, o autismo afeta uma em cada 160 crianças no mundo.

Os primeiros sinais do transtorno podem ser melhor identificados por volta dos 2 a 3 anos de idade, fase onde começa a ser notado os possíveis problemas na comunicação, na socialização e no comportamento da criança.

O autismo tem uma maior prevalência no sexo masculino, chegando a ser quatro vezes maior em meninos do que em meninas.

Porém, os quadros mais graves geralmente acometem o sexo feminino.

Há ainda um risco maior de ocorrência desse transtorno entre irmãos de pessoas afetadas.

Não se sabe ainda as causas do autismo, mas acredita-se que sua origem esteja ligada a anormalidades em alguma parte do cérebro com provável origem genética.

Outro fator apontado como possível causa, está relacionado a problemas durante o período gestacional ou no momento do parto.  

É importante desmistificar a visão que muitos têm sobre a criança autista, já que ela é vista por muitos, apenas como uma criança isolada em seu próprio mundo, que brinca de forma estranha, apresenta habilidades limitadas e balança seu corpo para lá e para cá, num verdadeiro ritual de movimentos estereotipados.

Quando falamos de autismo estamos falando de pessoas que podem ter também habilidades reveladoras.

Autismo
O autismo também pode revelar habilidades reveladoras!

O Transtorno do Espectro Autista – TEA, recebe o nome de espectro, porque envolve situações e apresentações muito diferentes umas das outras, numa gradação que vai da mais leve à mais grave.

São elas:

  • Traços do autismo, com características muito leves;
  • Síndrome de Asperger;
  • Autismo em pessoas com alto funcionamento;
  • Autismo clássico, grave, com retardo mental associado.

Cada pessoa autista vai apresentar características próprias, no entanto é possível notar que determinados sinais são mais comuns, sendo que alguns podem ser mais intensos em algumas pessoas do que em outras.

Autismo Quais são os principais sinais que podem indicar a presença de traços autistas?

 Autismo Na Comunicação

  • Age como se não escutasse (ex. não responde ao chamado do próprio nome);
  • A fala é usada com dificuldade, ou ausência de fala;
  • Tem dificuldade em compreender o que lhe é dito e também de se fazer compreender;
  • Palavras ou frases podem ser repetidas no lugar da linguagem comum (ecolalia);
  • Costuma se expressar fazendo gestos e apontando, muitas vezes não fazendo uso da fala;
  • As pessoas podem ser utilizadas como meio para alcançar o que quer.  

Autismo Na Interação social

  • O relacionamento com outras pessoas pode não despertar seu interesse;
  • O contato visual com outras pessoas é ausente ou pouco frequente;
  • Colo, afagos ou outros tipos de contato físico podem ser evitados, pois muitas crianças sofrem com o contato físico;
  • O que acontece a sua volta pode não despertar seu interesse;
  • Pode não demonstrar envolvimento afetivo com outras pessoas;
  • Dificuldade em se relacionar com crianças da mesma idade;
  • Parece preferir ficar sozinho.

Autismo No Comportamento

  • Hiperatividade ou muita passividade;
  • Movimentos repetitivos (estereotipias) podem aparecer;
  • Dificuldade em lidar com alteração de rotina;
  • Choro ou risadas inadequadas;
  • Pode se apegar a determinados objetos;
  • Hipersensibilidade a alguns sons, algumas crianças tapam os ouvidos, gritam ou choram, pois o barulho para ela é algo extremamente desagradável;
  • Crises de agressividade ou autoagressividade podem acontecer.
  • Falta de consciência do perigo;
  • Brincar ou usar brinquedos de formas incomuns.
  • Durante a fase do aleitamento, os bebês podem apresentar dificuldade de sucção e não aceitar mamar;
  • Hábitos alimentares restritos, com recusa de certos tipos de comida, algumas crianças têm dificuldades com texturas e sabores diferentes, outras podem apresentar alergia ou intolerância a alguns alimentos;
  • Alterações do sono: tanto podem dormir por muitas horas e ser muito quietos, quanto ficar acordados por longos períodos com choros intermináveis;
  • Podem não apresentar movimentos antecipatórios, como levantar os braços quando vão ser pegas no colo;
  • Quando começam a andar, podem fazê-lo nas pontas dos pés;
  • Podem ter interesses restritos por um único tema, como super-heróis, carros, dinossauros, entre outros.
Autismo
O diagnóstico de autismo deve ser feito por equipe especializada!

O diagnóstico deve ser realizado apenas por profissionais especializados!

Porém os sinais citados devem ser observados pelos pais/cuidadores nas fases inicias do desenvolvimento da criança, uma vez que, serão estes indicativos que conduzirão a um diagnóstico precoce que fará toda a diferença no tratamento.

Chegar ao diagnóstico do autismo não é nada fácil, já que, o TEA não é muito conhecido e ainda não há exames para identificá-lo.

Por esse motivo uma equipe especializada composta por médicos, psicólogos entre outros, deverá realizar uma avaliação completa para se chegar ao diagnóstico.

Essa avaliação diagnostica precisa de tempo, pois neste caso é necessário um acompanhamento contínuo, onde se possa observar o comportamento da criança, analisar sua história de vida através de informações coletadas por meio de relatos de seus cuidadores, bem como o desenvolvimento de suas relações sociais, até que se preencham os critérios necessários para confirmar ou descartar o diagnóstico.

O autismo não tem cura e nem medicações especificas para seu tratamento, muitas vezes a pessoas autista necessitará de alguma medicação de acordo com a prescrição medica para tratar um outro quadro associado ao mesmo, como epilepsia, hiperatividade, etc.

Existem hoje, várias maneiras para se tratar as funções cognitivas e funcionais afetadas pelo autismo.

Neste sentido, a multidisciplinar exercerá um papel muito importante, haja visto que, cada especialista irá trabalhar em um certo tipo de desenvolvimento.

As intervenções precoces são de extrema importância, pois são fundamentais para auxiliar à criança e a família em suas dificuldades.

Alguns tratamentos podem levar a criança a um excelente desenvolvimento e a uma melhor qualidade de vida.

Rosyane Lemos Moreira

Para atendimento online com a psicóloga Rosyane clique aqui!

[thrive_leads id=’498′]

Psicóloga (CRP-03/12105), especialista em Terapia Cognitiva Comportamental, professora licenciada em Letras. Atua com atendimento clínico presencial, orientação psicológica online e palestras.

Contatos: Fone: (77) 99938-1453 – WhatsApp

E-mail: rosyanemoreira@hotmail.com

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes