Antidepressivos mudam esses dois traços de personalidade

Antidepressivos

Antidepressivos

Dois aspectos da personalidade ligados à depressão são alterados pelos antidepressivos.

Os antidepressivos podem mudar dois aspectos da personalidade que estão ligados à depressão, aponta pesquisa.

O neuroticismo – que é caracterizado pelo pensamento negativo em diversas áreas – foi reduzido em pessoas que tomam antidepressivos comuns.

Ao mesmo tempo, a extroversão das pessoas aumentou, fazendo com que elas se sentissem mais extrovertidas e sociáveis.

Extroversão também está ligada a sentir emoções mais positivas. Antidepressivos 

O antidepressivo testado no estudo é chamado paroxetina, que é conhecido comercialmente como Paxil e Seroxat, entre outros nomes.

Antidepressivos  Os autores dos estudos escrevem:

“Os pacientes que tomaram a paroxetina relataram 6,8 vezes mais mudanças no neuroticismo e 3,5 vezes mais mudanças na extroversão do que os pacientes do placebo pareados para a melhora da depressão”.

Para o estudo, 120 pacientes deprimidos tomaram paroxetina e foram comparados com pessoas que receberam terapia cognitiva e um placebo durante 12 meses.

Todos os três grupos viram melhorias, até mesmo o grupo placebo.

No entanto, apenas aqueles que tomam o antidepressivo experimentaram mudanças em sua personalidade.

Os autores explicam:

“Neuroticismo e extroversão são duas das cinco dimensões primárias da personalidade no Modelo de Cinco Fatores da Personalidade.

Neuroticismo refere-se a uma tendência para experimentar emoções negativas e instabilidade emocional; a extroversão abrange extroversão social, dominância e uma tendência a experimentar emoções positivas ”.

Antidepressivos  Embora os antidepressivos possam ser eficazes, ainda relativamente pouco se sabe sobre como eles funcionam.

Antidepressivos

 Os autores do estudo escrevem:

“Uma possibilidade é que as propriedades bioquímicas dos ISRSs produzam diretamente uma mudança real de personalidade.

Além disso, como o neuroticismo é um importante fator de risco que captura grande parte da vulnerabilidade genética para o transtorno depressivo maior, a mudança no neuroticismo (e nos fatores neurobiológicos subjacentes ao neuroticismo) pode ter contribuído para a melhora da depressão ”.

Leia também os 5 tratamentos para depressão: https://opsicologoonline.com.br/tratamentos-para-depressao/

[captura]

O estudo foi publicado na revista Archives of General Psychiatry ( Tang et al., 2009 ).

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Carlos Costa

Carlos Costa

Psicólogo há 3 anos (CRP-06/122657), coach, empreendedor, músico, poeta e escritor. CEO e fundador do portal e plataforma “O Psicólogo Online”. Através de seus cursos e materias vem contribuindo com a psicologia e com os profissionais psicólogos para uma melhor prática da psicologia online no Brasil e com a valorização da profissão. É criador da plataforma de atendimento online “O Psicólogo Online” que auxilia psicólogos a agendarem e receberem por suas sessões de forma simples e segura.

Artigos recentes