Ansiedade potencializada em decorrência do luto!

O indivíduo que passa pelo processo do luto, principalmente o luto mal elaborado, na maioria das vezes, mesmo que não perceba faz episódios de ansiedade.

Olá pessoal!

É sempre um enorme prazer poder contribuir com mais um artigo para vocês. Hoje, vim falar de um transtorno que afeta muitas pessoas no Brasil e no mundo, a ansiedade.

Segundo a OMS, o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) convivem com o transtorno de ansiedade. 

Vamos esclarecer algumas questões à respeito da ansiedade

A ansiedade é um sentimento que todos nós temos, faz parte do nosso desenvolvimento enquanto indivíduo, assim como o sentimento de tristeza, alegria, raiva…

Ela tem por objetivo nos motivar em direção à nossas metas e objetivos, ou seja, um sentimento normal e saudável (até certo ponto).

Está tudo bem, enquanto a ansiedade te movimenta, mas se a sua ansiedade lhe causa medo, desconforto e te paralisa diante de suas atividades rotineiras, CUIDADO. Isso é um sinal alerta.

E mais difícil do que todos os sinais e sintomas citados acima é quando o transtorno de ansiedade se manifesta em decorrência do luto… É possível? A resposta é SIM.

O indivíduo que passa pelo processo do luto, principalmente o luto mal elaborado, na maioria das vezes, mesmo que não perceba faz episódios de ansiedade.

Ansiedade pela perda da pessoa que partiu, quando ainda não compreendeu como elaborar esse luto, a ansiedade se manifesta.

Sintomas da ansiedade em decorrência do luto

– Insônia ( o indivíduo pode passar dias sem ter um sono de qualidade, pensando na pessoa que partiu)

– Taquicardia

– Sudorese

– Enjôos e vômitos

– Dificuldade de concentração e assimilação

– Aumento do apetite (Compulsão alimentar).

Uma das características gerais da ansiedade é a fuga da realidade. O indivíduo ansioso usa algo, muita das vezes inconsciente, como mecanismo de defesa para fugir da situação que lhe gera desconforto.

No processo de ansiedade em decorrência do luto, na maioria dos casos o individuo enlutado usa o excesso de comida, como fuga, o que pode acarretar em uma compulsão alimentar.

Essa fuga é um mecanismo de defesa do organismo para “driblar” a dor que o indivíduo sente pela pessoa que partiu.

É muito importante o apoio e acolhimento familiar, a atenção redobrada para esses sinais e sintomas que muitas vezes passam despercebidos por uma falsa ressignificação do indivíduo enlutado.

O acompanhamento psicológico é o principal aliado no combate ao transtorno de ansiedade e também ao processo de luto mal elaborado.

É sempre muito importante ter um profissional especializado.  Busque auxílio profissional. Um psicólogo pode te ajudar.

Até o nosso próximo encontro. Grande beijo!!!

Leia também: Luto materno por um filho natimorto

 

Camila Arruda – CRP: 05/50212
Psicóloga clínica e organizacional, palestrante.
Pós graduanda em Gestão de Pessoas
Experiência no atendimento clínico à crianças, adolescentes e adultos.
Atua na Cidade de Nova Iguaçu – RJ
Contato: Tel/WhatsApp (21) 97301-4983
e-mail: camilaarrudapsi@yahoo.com.br
Facebook: Camila Arruda – Psicóloga
Instagram: @psicologacamilaarruda

 

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn