Skip to main content
Amor Romântico

Amor Romântico: A Verdade Que Não Te Contaram Sobre o Amor Ideal!

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Amor Romântico

Desde o início de nossas vidas o conceito de amor se faz presente. Amor Romântico

Nossa primeira vivência desse sentimento é a mãe, o primeiro objeto de amor e desejo.

Uma relação de necessidade e dependência, que muitas vezes vamos reproduzir na vida adulta.

Ao longo do nosso desenvolvimento vamos experimentando novas formas de amor, o amor fraternal, a amor de amigos, de familiares até chegarmos ao tão famoso amor romântico.

Esse dá inicio à nossa vida amorosa, e a forma como o entendemos e sentimos define muito dos nossos padrões de comportamento e da dinâmica de nossas relações.

Ou seja, sabe aquela famosa história de:

“sempre atraio os mesmos tipos de homens ou mulheres?”, ou ainda:

“eu não tenho sorte no amor”

“tenho o dedo podre”.

Amor Romântico Então, me desculpe se desaponto, mas tudo isso tem mais a ver com você do que com seus parceiros.

Tudo isso tem a ver com a forma que enxerga e vivencia o amor.

E por isso é tão importante falarmos sobre o assunto, para assumirmos essa responsabilidade, ao invés de a projetarmos no outro ou nos colocarmos como vítimas de um destino infeliz.

Leia Também: Amor Cego: A Verdade Que Ninguém Nunca Contou Sobre Amor e Idolatria!

Mesmo antes de iniciarmos nossas vidas amorosas já somos influenciados por esse conceito de amor romântico.

Qual de nós não ouviu as histórias de Branca de Neve, Bela Adormecida e outros contos de fadas onde somente o amor de um príncipe poderia salvá-las?

Qual de nós nunca foi dormir acreditando que eles foram felizes para sempre?

Nós nunca ouvimos que o príncipe e a princesa tinham diferenças.

Nunca nos contaram que eles discutiam e que o romance tinha altos e baixos.

Conforme vamos crescendo esses príncipes e princesas apenas mudam de forma.

Aparecem nos filmes, nos mocinhos da novela das oito, nas músicas e poesias, e contam sempre a mesma história: duas pessoas que se completam e somente assim são felizes.

Como já  disse Vinicius:

“Fundamental é mesmo o amor. É impossível ser feliz sozinho”.

Ou seja, o amor romântico é sempre nos colocado como uma condição para a felicidade, nunca como uma parte dela.

Agora vamos pensar: o quanto ainda hoje acreditamos nessas ideias fantasiosas sobre o amor?

Amor romântico: Esse ideal de amor existe mesmo?
Amor romântico: Esse ideal de amor existe mesmo?

O quanto ainda acreditamos que o outro é capaz de nos completar?

A famosa metade da laranja, a tampa da panela. Será que esse ideal não é exigente demais?

Será que essa procura não dificulta nossas relações?

Como o próprio nome diz ideal só existe no mundo das ideias.

Essa incessante busca por sensações de bem estar e felicidade no outro, talvez explique relacionamentos tão curtos e passageiros.

Eu busco no outro aquilo que não cabe a ele me oferecer, aquilo que somente eu posso me dar.

Recomendo que leia também: Como Ter Amor Próprio? Respeite a Ti Mesmo!

E quando não encontro, retomo minha busca em outras pessoas.

Isso se torna um ciclo vicioso, que tem muito mais a ver com incompletude do que com amor.

Jung nos diz que “quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta”.

Se deixarmos de olhar tanto para fora, sonhando com amores perfeitos, poderemos nos olhar e despertar para relacionamentos mais maduros e reais.

Portanto, sejamos mais leves nas exigências que fazemos à esse sentimento tão vital que chamamos amor.

Não espere que ele te complete ou seja perfeito, permita apenas que ele faça bem, com suas dificuldades e limitações.

Carolina GiacominiCarolina Giacomini –  Psicóloga CRP 06/99887.

Especialista em Psicologia Clínica,  atua em consultório com atendimentos de crianças e adultos.

Especialista em Psicologia Analítica.

Palestrante sobre relacionamentos  e apaixonada pela diversidade humana.

Contatos:

Site: www.carolinagiacomini.com.br

Email: contato@carolinagiacomini.com.br

Fanpage: 

 

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.