Skip to main content
amizades na adolescência

Amizades na Adolescência: Como os Jovens se Sentem?

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Amizades na Adolescência

Provavelmente você já se deparou com pais reclamando sobre como seus filhos adolescentes valorizam em demasia suas amizades, de como eles colocam os amigos acima de tudo, muitas vezes até mesmo acima dos laços familiares.

Sim, esses pais não estão sendo exagerados, talvez até mesmo você que lê esse texto nesse momento já tenha se deparado com essa questão em sua vida particular e possa ter se aborrecido ou continuar se aborrecendo com isso.

Por esse motivo, hoje venho falar um pouco mais sobre esses laços de amizade aos quais o adolescente se agarra com tanto vigor. 

Nesse momento gostaria que fizesse um exercício de empatia e reflexão. 

Volte no tempo.  Amizades na Adolescência

Imagine-se com seus 15 ou 16 anos. 

Tente se lembrar de como se sentia nessa época. Se for difícil demais, procure imaginar as seguintes coisas. 

Você está na adolescência, o mundo não faz sentido algum para você, as pessoas são incoerentes, hora elas falam que você não tem responsabilidade alguma para tomar as próprias decisões, hora falam que já está crescido (a) demais para não ter responsabilidade.

Você está passando por mudanças, internas e externas, que definirão quem e como você será daqui pra frente. Amizades na Adolescência

Seus pais, esses você não sabe bem como lidar, pois se pegam constantemente em dilemas entre seus papeis na casa e na sua vida, oscilando entre as pessoas mais compreensivas que conhece e as pessoas que menos te entendem na vida. 

Imagine as escolhas que já lhe cobram que faça e as incertezas que insistem em se apegar a você.

Imagine o peso de saber que caso faça as escolhas erradas poderá decepcionar aqueles a quem mais ama na vida e, o pior de tudo, saber que essas pessoas farão questão de te mostrar o quanto você as decepcionou independente de todo o esforço que você possa ter feito para que isso não ocorresse. 

Amizades na Adolescência Conseguiu pelo menos por uma fração de segundo imaginar como se sente esse adolescente? 

amizades na adolescência
amizades na adolescência

Independente de sua resposta, pois sei que se for um adulto convicto terá um “Consegui, mas…”

Que todos nós que estamos voltados para nossas próprias experiências insistimos em colocar no que deveria ser o final de cada frase, para nós sempre tem um “Mas…”, para eles essa continuação não faz sentido algum. 

Nós vivemos experiências inúmeras que nos provaram que muito do que pensávamos na adolescência estava, no mínimo, equivocados.

Mas esquecemos quase que por completo que na época defendíamos nossos ideais com unhas e dentes, como se fosse nossa única opção na vida, o que era verdade já que a vida na adolescência apresenta apenas questões dissertativas. Amizades na Adolescência

Enquanto que nós possuímos múltiplas escolhas que sabemos ser possíveis de fazer, pra esses adolescentes a vida só apresenta uma resposta certa, o resto significa apenas repetir os feitos de alguém.

Eles não aprenderam ainda que nessa vida nada se inventa, tudo se copia e se adapta para nossa própria realidade e caberia a nós mostrarmos as inúmeras possibilidades, mas também permitir que eles aprendam assim como nós aprendemos que certas questões só se aprende com o tempo e que não há “achismo” que garanta o nosso sucesso. 

Renato Russo certa vez cantava o seguinte trecho de uma música que gosto de ouvir até hoje: 

“… você diz que seus pais não te entendem, mas você não entende seus pais, você culpa seus pais por tudo e isso é um absurdo, são crianças como você, o que você vai ser quando crescer.” 

Enquanto escrevia esse texto coloquei a música para tocar e, automaticamente, pensei no quanto ele estava certo ao escrever essas palavras, mas logo em seguida parei para lembrar-me se era essa a mesma impressão que eu tinha quando ouvia essa mesma música anos atrás. 

A resposta é obvia: Claro que não!  Amizades na Adolescência

Lembrei-me claramente do quanto julgava parte da música absurda, pois os meus pais não me entendiam mesmo.

Eles cobravam coisas que eu não achava que eu tinha obrigação de fazer e recriminavam injustamente aqueles amigos que me acolhiam e compreendiam o que eu pensava ou sentia, isso sim era um absurdo e não o que a letra sugeria. 

Nesse momento me questionei se ele escreveria essas mesmas palavras se estivesse em uma fase diferente da vida, questão para qual eu apenas posso especular uma resposta, pois acredito honestamente que não.  Amizades na Adolescência

Dessa forma me pergunto se existe mesmo a necessidade de travarmos uma grande batalha com figuras que representam nada mais do que a liberdade de pensamento e de expressão que os adolescentes tanto almejam.

Pois isso é o que as amizades representam pra eles, mas um dia todos irão se tornar adultos e, tal como nós mesmos, se pegarão criticando pessoas que estarão fazendo nada mais do que eles mesmos fizeram em algum momento de suas vidas.  .

Ter amigos é necessário em todas as etapas da vida, mas é na adolescência que geralmente esses laços assumem uma conotação diferente da que tínhamos na infância, pois imprimimos aos amigos dessa época a função de entendedores de nossas dores.

Principalmente porque em sua maioria estão passando pelas mesmas dores e amores que nós no momento. Amizades na Adolescência

Então para que tecer criticas a algo ou alguém que em certo momento pode até mesmo nem mais fazer parte da vida dos seus?

Amizades na Adolescência Com isso você entra numa queda de braço injusta, pois serão muitos braços contra os seus, o que não pode resultar em algo diferente a não ser um massacre emocional. 

Amizades na adolescência
Amizades na adolescência

Não se preocupe com as amizades de seus adolescentes, mesmo que acredite que elas não sejam verdadeiras ou mesmo que não sejam boas influências, o tempo se encarrega de mostrar quem é de verdade e quem está só de passagem em nossas vidas para nos ensinar algo de extrema importância, já que ao chegar aonde chegamos hoje já percebemos que no fim de tudo, só podemos mesmo contar com a família, mesmo que alguns amigos do passado façam parte da mesma. 

Trouxe hoje essa reflexão não para lhe impedir de dizer o que pensa, mas para lembrar que uma boa bússola indica o caminho correto, mas cabe ao manuseador da mesma escolher se é o caminho que ela indica que ele irá seguir naquele determinado momento. Amizades na Adolescência

Recomendo que você leia também: Desvendando a Adolescência: Você Esqueceu Que já Foi Adolescente ?

Até o próximo texto. 

Para atendimento online com Ellen Moraes clique aqui! 

Ellen de Oliveira Moraes Senra – CRP 05/42764

Psicóloga especialista em Terapia  Cognitivo Comportamental, autora do livro digital Adolescer sem Vacilo: Compreendendo o Universo Adolescente

Experiência no atendimento clínico a Crianças e Adolescentes individual ou em grupo.

Contatos: Tel/Whatsapp (21)97502-4033

Email: ellenmsenra@gmail.com

 

Compartilhe esse artigo!

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.