A importância do acolhimento a indivíduos enlutados

Cada indivíduo vivencia o luto de forma individual, mas todos sofrem com a perda, seja ela repentina, seja ela esperada
Religion, death and dolor  - couple at funeral consoling each other in view of the loss

 Olá!

Mais uma vez estou aqui vindo falar sobre um tema sempre atual e difícil de lidar. Luto e os indivíduos enlutados.

Dessa vez em específico, vim salientar a importância do acolhimento ao indivíduo enlutado, seja por luto por morte ou perda de algo ou alguém que se ama.

Cada indivíduo vivencia o luto de forma individual, mas todos sofrem com a perda, seja ela repentina, seja ela esperada. Perder algo ou alguém que amamos, é complexo, por vezes traumático, mas sempre doloroso.

O acolhimento familiar e das pessoas próximas, é um dos principais aliados para que o luto seja vivenciado da melhor forma possível.

Quando digo vivenciar o luto de forma saudável, quero dizer que todos que vivenciam o luto passam pelo sofrimento emocional, mas quando não vivenciado de forma saudável acarreta diversas consequências, entre elas, transtornos mentais como depressão e ansiedade.

O acolhimento é fundamental, compreender que aquela pessoa está em sofrimento, com uma dor que dilacera a alma, entendendo que cada um tem seu tempo, permitindo que a mesma chore, grite, sofra…

Acolha e compreenda sua dor. O indivíduo enlutado precisa de  acolhimento, nunca de julgamento e dedos apontados. Banalizar, diminuir e ignorar o sofrimento desse individuo, só reforça e potencializa, o que ela sente.

Entenda que ela perdeu algo ou alguém que amava muito, e para resignificar é preciso tempo, lembrando que cada indivíduo tem seu próprio tempo.

   Palavras que reforçam o luto patológico:

– Nossa! Já tem tanto tempo, você ainda está assim!?

– Está na hora de sair dessa, ele(a) não gostaria de te ver assim!

– Nossa, mas eu perdi minha mãe a meses e só fiquei alguns dias assim.

– Até quando você vai ficar deitado nessa cama chorando? Vamos reagir !

 

 Essas são frases que NUNCA devem ser ditas a pessoas enlutadas. Falta de empatia e compreensão só dificulta todo esse processo difícil na vida, que todos passarão um dia.

Seja empático com a pessoa que está vivenciando a perda, caso não tenha nada pra falar, se faça presente, isso também é uma forma de dizer: – Estou aqui para o que você precisar.

  Deixe que ele (a) vivencia as fases do luto que lhe for necessária no tempo dele. Acolhimento, empatia e uma rede de apoio social e familiar fazem toda a diferença.

Diante de tudo que trouxe nesse artigo, se você observar que o individuo enlutado não tem dado conta de vivenciar o luto de forma natural e saudável, busque auxílio profissional. Um Psicólogo pode te ajudar!

Até nosso próximo encontro.  Forte abraço! 

Leia também: Ansiedade potencializada em decorrência do luto!

 

Camila Arruda – CRP: 05/50212
Psicóloga clínica e organizacional, palestrante.
Pós graduanda em Gestão de Pessoas
Experiência no atendimento clínico à crianças, adolescentes e adultos.
Atua na Cidade de Nova Iguaçu – RJ
Contato: Tel/WhatsApp (21) 97301-4983
e-mail: camilaarrudapsi@yahoo.com.br
Facebook: Camila Arruda – Psicóloga
Instagram: @psicologacamilaarruda
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn