Skip to main content
primeiro filho

O Primeiro Filho do Casal: Como Não Desgastar a Relação?

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Primeiro Filho

A chegada do primeiro filho é sem dúvida uma das maiores realizações na vida do casal.

Muitos são os preparativos e as perspectivas, desde os cuidados com a gestação, sexo do bebê, enxoval, construção do espaço físico para mais um membro na casa ( bem como o espaço emocional dentro da família).

A mudança na rotina e hábitos do casal, parto, amamentação, fortalecimento dos laços familiares, busca de recursos para auxilio, entre tantas outras questões envolvidas.

É um momento complexo, que envolve encantos, desafios e mudanças. Primeiro Filho

As mudanças são diversas e inevitáveis, entre as mais desafiadoras estão a criação e educação de um novo ser,  as de ordem financeira, mudança na rotina do casal e no desempenho de papéis por parte de cada cônjuge.

Não é raro observar o desequilíbrio do relacionamento após o nascimento de um filho. Muitos casais se afastam, entram em crise ou separam ao longo da primeira infância de seus filhos.

Até mesmo para os casais mais felizes, estáveis, seguros e amadurecidos que planejaram a gravidez e fizeram mil planos para a chegada do bebê, não estão livres dos tropeços que esta fase implica.

Recomendo ler também: Casamento Feliz: Saiba o Que Fazer Para o Seu Casamento dar Certo!

Primeiro Filho

Quanto mais preparados do ponto de vista emocional e cientes deste entendimento que envolve as transformações do casal, maior será a resiliência conjugal, ou seja, a capacidade para enfrentar, lidar e se ajustar de forma positiva aos estressores.

Muitas vezes por falta de informação e experiência, o casal não se dá conta do quanto contribui para o afastamento e desequilíbrio da relação.

Primeiro Filho Existem os estressores externos em virtude das mudanças e os internos que tem relação com o modo que cada um lida com a situação.

Um exemplo é a tendência por parte da mulher em dedicar-se exclusivamente à maternidade, anulando espaços para a vida conjugal.

Por parte do homem, existe a tendência em buscar refúgios, seja no trabalho ou alguma outra atividade que sinta prazer ou que ocupe seu tempo,  por sentir-se rejeitado pela mulher ou excluído da relação mãe e filho. 

Primeiro Filho

O pai que participa da relação de forma ativa, que se envolve nos cuidados e na divisão das tarefas.

Automaticamente está contribuindo para que o espaço do casal seja preservado, não sobrecarregando a mãe em suas atividades.

Primeiro Filho Cabe salientar que não é uma regra e sim tendências, mas absolutamente manejáveis.

Com tantas demandas, realmente é difícil o casal prestar atenção na relação para que a mesma não fique de lado.

Infelizmente as chances do casamento ficar em segundo plano são grandes!

Por esta razão é de extrema importância a conscientização por parte do casal acerca do cuidado e atenção que o relacionamento exige nesta fase para que possa ser preservado e fortalecido ao invés de deteriorado, fragilizado e rompido.

Uma relação a dois fortalecida é a base na construção familiar e o que de fato irá contribuir de forma positiva no preenchimento das necessidades emocionais do bebê.

É importante que os cônjuges sintam-se realizados e felizes tanto do ponto de vista paterno e materno como na vida a dois. Primeiro Filho

É claro que com as mudanças a vida a dois sofre alterações até mesmo porque os papéis dos cônjuges são modificados. Ser pai e mãe envolvem responsabilidades , exigências, compromissos e limitações.

primeiro filho
Primeiro filho: Envolve responsabiliades e compromissos!

Primeiro Filho

Um filho exige muito tanto do ponto de vista físico , financeiro como emocional.

Da noite para o dia o casal torna-se pai e mãe, sem existir um manual que ensine a como desempenhar esta função.

São levadas para a maternidade e paternidade, além dos aspectos de personalidade de cada um, as crenças, construções da família de origem e internalização dos próprios pais.

Primeiro Filho Do ponto de vista inconsciente, os pais revivem muito da sua história infantil, deparando-se com os ganhos e as faltas.

O idealizado se desidealiza, pois o tempo mostra que o ideal não existe. Não é possível ser um pai e uma mãe 100% e também não existe filho perfeito!

Amar, educar e criar um filho implica em viver uma turbulência de sentimentos  que envolvem alegria, satisfação, gratificação, prazer, preocupação, ansiedade, medo, frustração, angústia e até mesmo raiva em alguns momentos.

Por todas estas questões e mais um pouco, pois poderíamos continuar aprofundando a complexidade do assunto, o nascimento de um filho , seja o primeiro , segundo ou terceiro ( e assim por diante ) é período que requer adaptação para acomodação de tudo aquilo que se desacomoda.  

O que não deve acontecer é o casal  usar o filho como desculpa para o distanciamento e insatisfações conjugais. Primeiro Filho

A crise que acomete o casamento neste período é absolutamente normal e deve ser pensada como uma etapa importante para a evolução da relação que requer ajustes, comunicação, flexibilidade, tolerância, entendimento mútuo, cumplicidade e união por parte do casal.

Vanessa

Para falar com um psicólogo online clique aqui!

vanessaVanessa Ebeling, Psicóloga – CRP 07/19327. Especialista em Psicoterapia Clínica – Técnicas Integradas. Especialista em Terapia de Casal e Sexualidade ( em formação). Atua como psicóloga clínica, consultora e supervisora em consultório particular.

Contato: psicóloga@vanessaebeling.com.br

www.vanessaebeling.com.br

Compartilhe esse artigo!

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.