Skip to main content
Fobia social

Fobia Social: Como se Livrar Desse Mal?

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Fobia Social

Fobia Social Podemos afirmar que não existe uma pessoa que não tenha algum tipo de receio, de timidez, de ansiedade, de insegurança em certas situações, normalmente públicas ou em ambiente estranho.

Embora seja normal nos sentirmos pouco à vontade nessas situações, após os instantes iniciais, acabamos por ficar menos inibidos e nos familiarizamos no ambiente e com as pessoas.

No entanto, há pessoas que sofrem muito quando precisam ter um contato com alguém que não conhecem, ou quando vão falar em público, apresentar um seminário, expor uma opinião e evitam a todo modo essas situações, ou seja, fogem da situação que sentem como ameaçadoras. Fobia Social

Esse comportamento de esquiva traz inúmeros transtornos e prejuízos à vida pessoal e profissional, pois essa pessoa não interage, não participa das reuniões familiares, daquele bate-papo com amigos e perde oportunidades de promoção no trabalho e muitas vezes nem consegue um trabalho, pois ao ter que se expor em uma entrevista, o mal-estar é tão grande que, ou não comparece à entrevista ou não tem um resultado satisfatório para conseguir a vaga pretendida.

Leia Também: As 7 Dicas Primordiais Para Ir Bem Em Uma Entrevista de Emprego!

O objeto do medo é estar sendo observado, avaliado pelo outro. Tudo tem início com os pensamentos inadequados e catastróficos, se sente incapaz de lidar com esse medo e evita as situações que causam desconforto. Fobia Social

Por exemplo, um medo muito comum é o de falar em público, a pessoa sofre antes, durante e depois da exposição social a que se submeteu.

Sempre seus pensamentos são negativos, é tudo ou nada, sempre está permeado pela baixa autoestima, pela incapacidade, pela comparação que faz de si mesmo com o outro e permeado por crenças distorcidas de que é incompetente, de que vai se dar mal, de que as pessoas vão perceber que está nervoso, de que vão rir de você, ou seja, a situação social é evitada ou suportada com intenso sofrimento. Fobia Social

Segundo o Dr. Márcio Bernik, o paciente com fobia social, se exposto subitamente a uma situação difícil, pode ter manifestações corporais como ansiedade, taquicardia, sudorese abundante, falta de ar, mãos geladas e úmidas, dor de barriga, diarreia, urgência miccional, ondas de calor, rosto ruborizado, tonturas que são manifestações chamadas de hiperatividade autonômica, ou seja, hiperatividade do sistema nervoso autônomo.

A ansiedade social está muito relacionada ao abuso de álcool e outras drogas, pois facilitam o entrosamento social, portanto, quanto mais cedo for diagnosticada e tratada, principalmente nos adolescentes, tanto melhor.

Outra doença que podemos associar ao Transtorno de Ansiedade Social é a depressão, pois a pessoa apresenta uma tristeza persistente, perda do interesse pela vida, o prazer de fazer as coisas, de estudar, de comer, de fazer sua higiene pessoal, de concentração, de memória e um sentimento de culpa pode tomar conta por não conseguir fazer amigos, por não se sentir uma pessoa normal, se vê como estranho e não pertencente a esse mundo, onde todo mundo parece tão feliz e com ela tudo dá errado e começa a pensar que seria melhor sumir ou morrer.

Como se livrar da fobia social?

Qual o tratamento para fobia social?
Qual o tratamento para fobia social?

O tratamento considerado mais eficaz é nas duas vertentes: o médico, com uso de medicação nos casos mais graves e a psicoterapia na Abordagem da Terapia Cognitivo-Comportamental que compreende a exposição gradativa e controlada às situações sociais no setting terapêutico e o treino de habilidades sociais.  

Primeiro, identificar junto ao paciente/cliente os pensamentos disfuncionais que são aqueles pensamentos autodepreciativos, preocupação excessiva com a imagem pessoal e de forma negativa que levam ao comportamento incoerente com a realidade, para logo em seguida conduzí-lo a questionar tais pensamentos, levando-o a mudar para pensamentos mais adequados e positivos.

À medida que treina essas habilidades, aumenta sua autoconfiança, sua autoestima e as sensações corporais de desequilíbrio, de luta e de fuga, ou seja, de ansiedade, antes sentidas, causando tamanho mal estar são substituídas automaticamente por sensações de calma e tranquilidade, ou seja, quanto mais você faz algo, mais habilidoso você se torna e com a autoconfiança retomada, não sentirá mais a malfadada ansiedade. Fobia Social

Leia Também: Meus tempos de ansiedade: Medo, esperança, terror e a busca da paz de espirito!

Portanto, a melhor dica que tenho para deixar aqui é: Enfrentar a situação seja ela qual for, é o melhor caminho!

E procure ajuda de um profissional especializado se achar necessário, para te ajudar a construir essas habilidades sociais.

Até o próximo artigo.

Psicóloga Rosânia Guimarães

RosâniaRosânia de Fátima Guimarães Coaracy Muniz, psicóloga CRP 01/11302. Atua na clínica atendendo crianças, adolescentes e adultos e faz avaliação neuropsicológica em Brasília/DF.

Contatos: email: rosania1.muniz@gmail.com

Fanpage: https://www.facebook.com/entendendoaansiedade [1]

 Livro: 50 coisas que você pode fazer para controlar a ansiedade!

Compartilhe esse artigo!

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.