Skip to main content
Dia do Psicólogo ou da Psicóloga

27 de Agosto: Dia do Psicólogo ou da Psicóloga?

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Dia do Psicólogo ou da Psicóloga

Olá caro leitor! O texto de hoje é dedicado às profissionais de Psicologia. Dia do Psicólogo ou da Psicóloga

Afinal, dia 27 de agosto é comemorado o dia do Psicólogo.

Mas por que você vai falar somente sobre as psicólogas? Fica aqui comigo que eu vou te explicar os motivos.

De acordo com a publicação Quem é a Psicóloga Brasileira? Dia do Psicólogo ou da Psicóloga

Mulher, Psicologia e Trabalho, documento elaborado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) e lançado em 2013, 89% dos profissionais de Psicologia são mulheres.

Ao longo do texto, são apresentados aspectos sociais, econômicos, educacionais e de outras ordens que não são diferentes da realidade vivenciada por muitas mulheres em nosso país.

Antes de mais nada: por que a Psicologia é uma área eminentemente exercida por mulheres? Pois é.

Existe um processo de naturalização na escolha das profissões, ou seja, atividades masculinas como a Engenharia e atividades femininas como a Enfermagem e o Serviço Social.

Este tipo de processo é sustentado pelos valores tradicionais de divisão sexual do trabalho e por ideologias essencialistas, maternalistas e sexistas.

Dia do Psicólogo ou da Psicóloga Isto quer dizer que a mulher é “ naturalmente” dotada de habilidades e características que a levam eleger atividades relacionadas ao cuidado, contato humano, empatia, paciência e intuição.

Assim, de acordos com os valores citados anteriormente, não é natural que os homens escolham estas atividades femininas.

Em suma, o marcador de gênero está presente de antemão em caráter naturalizante e essencialista.

Ainda de acordo com a publicação, as condições de trabalho das mulheres são alvo de valoração desigual quando comparado com os homens.

E isto não é diferente para Psicologia. Dia do Psicólogo ou da Psicóloga

Dentro da própria história desta profissão, podemos verificar como as mulheres eram claramente discriminadas quando muitas delas eram retiradas do corpo docente ou tinham seu acesso impedido aos programas de pós-graduação.

Esta situação era justificada pelo velho argumento, presente ainda hoje mesmo que de forma velada, da falta de capacidade da mulher de administrar a vida doméstica e a carreira docente.

Também cabe destacar que as psicólogas dedicam mais horas com os cuidados na família quando comparados com os psicólogos.

Isto é traduzido em números: cerca de 46% das psicólogas dedicam 4 horas ou mais com o cuidado diário enquanto apenas 24% dos psicólogos tem esta jornada.

Além disso, cerca de 38% das psicólogas afirmaram ter perdido alguma oportunidade profissional, enquanto 22% dos psicólogos declararam este tipo de situação.

Diante de tais constatações, observa-se que a inserção profissional das psicólogas é perpassada pela tradicional dupla jornada de trabalho.

Além disso, cabe chamar atenção que cerca de 27% das psicólogas declararam ter sido vítimas de violência em algum momento de suas vidas o que não é diferente da proporção de uma em cada quatro mulheres vítimas de violência doméstica conforme dados do Anuário das Mulheres Brasileiras em 2011.

Dia do Psicólogo ou da Psicóloga A agressão verbal, a agressão física e o assédio moral foram os tipos predominantes de violência vivenciadas pelas vítimas.

Ainda dentro do quadro, foi constatado que 11% destas vítimas foram alvo de violência sexual.

Os autores dos atos agressivos são constituídos em boa parte por parentes ou familiares do sexo masculino seguidos por superiores hierárquicos e ex-companheiros.

Em linhas gerais, as psicólogas brasileiras enfrentam problemas semelhantes aos encontrados em diferentes estudos referentes à desigualdade entre os sexos em questões relacionados ao trabalho, cuidado com os filhos e com o ambiente doméstico e suporte de outras mulheres para fazer frente a este tipo de demanda e à violência.

Um dos questionamentos levantados pelo documento é qual é a repercussão desta realidade na prática profissional das psicólogas perante homens e mulheres que entram em contato com elas.

Para além deste documento, gostaria de pontuar algumas dificuldades encontradas em falas e grupos de discussão de profissionais da Psicologia por esta profissional.

Uma delas se refere as dificuldades em precificar e/ou receber uma remuneração justa na prestação de seus serviços.

Também não é difícil encontrar relatos de situações eminentemente marcados pelo machismo e pelo marcador de gênero tais como: vivência profissional marcada pela truculência de gestores e gestoras principalmente na área da saúde pública e assistência social, desvalorização ou mesmo descaso com as atividades exercidas pelo(a) profissional de Psicologia, dificuldades em transmitir seus anseios e dificuldades para os seus superiores ou mesmo para os clientes e até mesmo psicólogas que optaram em não atender homens, negaram ou descontinuaram o trabalho principalmente dentro do contexto clínico em razão de terem sido vítimas de assédio de alguma forma.

Estas são as mais marcantes e/ou frequentes no discurso dos profissionais da Psicologia. 

Dia do Psicólogo ou da Psicóloga Com isso, a luta pelo fim da desigualdade entre os sexos nas diferentes áreas é um movimento que certamente poderá contribuir para a valorização desta profissão eminentemente feminina.

Por fim, deixo aqui minhas felicitações às psicólogas e psicólogos que lutam e enfrentam toda sorte de desigualdade e dificuldades relatados neste texto.

Estamos juntos lado a lado na construção de uma realidade mais justa para a Psicologia! Gratidão!

Até mais!

Karine

karineKarine David Andrade Santos – Psicóloga CRP-19/2460 realiza atendimentos individuais para adultos e adolescentes em Aracaju/SE e orientação psicológica via Skype (http://www.karineandradepsi.com.br/). 

Membro da Cativare (https://www.facebook.com/cativarepsi/). 

Idealizadora do Projeto De Bem com Você em parceria com a psicóloga Eanes Moreira. (Informações via whatsapp (79)99922-8130)

Contatos: E-mail: psimulti@gmail.com; 

Facebook – https://www.facebook.com/KarineAndradepsi/

Instagram –https://www.instagram.com/karine.andrade_psiaju/

YouTube – Psicologia Aracaju

 

Compartilhe esse artigo!

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.