Skip to main content
crise de meia idade

Como a Crise de Meia Idade Afeta a Autoestima Masculina? Veja Aqui!

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Crise de Meia Idade

Há algum tempo Renato vinha se olhando no espelho e não se reconhecia.

Vinha repetindo um padrão de certa infelicidade, de certo desconforto, de certas inquietações, mas não conseguia perceber o que estava acontecendo e o porquê de tantos questionamentos e insatisfações virem ao encontro de um desconhecimento de si mesmo. Crise de Meia Idade

Renato era solteiro, morava sozinho, tinha por volta de 35 anos, uma carreira em crescimento em uma multinacional, um violão no quarto e talvez uma alma artista que estava sendo deixada de lado pelas circunstâncias da vida e necessidades de um desenvolvimento profissional que aparentemente não se aproximava a arte, definitivamente.

Na sua infância e adolescência, Renato aprendeu ouvindo e observando o pai, que um homem de verdade (!) devia ter responsabilidades, respeitar o próximo, construir uma família que fosse preferencialmente dentro dos padrões mais aceitos pela sociedade e crescer profissionalmente.

E isso incluía se desenvolver cada vez mais dentro da área que ele tivesse escolhido, sim, Renato pôde escolher sua área de atuação, felizmente não precisou seguir a carreira acadêmica do pai.

E dentro dessa visão de mundo, Renato formou-se em administração de empresas, e na segunda empresa que ele trabalha já ocupa um cargo que na geração de seu pai, demoraria mais uns 20 anos para chegar. Crise de Meia Idade

De alguma forma, ele sabia que tinha alcançado rapidamente um patamar profissional, mas sempre queria mais, achava que não era suficiente. Até que…

Renato não se reconhecia mais, não sentia alegria em ser quem ele era, não sentia estima por si mesmo e por suas conquistas profissionais.

Algo dentro dele havia mudado, ou estava adormecido e agora clamava por atenção. E após protelar bastante, resolveu procurar ajuda de um terapeuta.

Durante o processo de psicoterapia, Renato produziu insights importantes sobre sua vida pessoal e profissional.

Chegou à terapia acreditando em um diagnóstico de depressão ou ao menos um início, porém o que lhe foi devolvido pelo terapeuta é que ele estava tendo uma crise de meia-idade.

De acordo com Jung, a crise de meia idade seria um período de mudança em que o homem se confronta com o envelhecer e consequentemente com a ideia de ser finito.

Na crise de meia idade o homem se confronta consigo mesmo!
Na crise de meia idade o homem se confronta consigo mesmo!

Isso explicava porque seus múltiplos relacionamentos e sua ânsia por crescimento profissional não o realizavam mais. Crise de Meia Idade

Apesar de Renato ter um relacionamento razoavelmente bom com sua família, sempre preferiu estar casualmente com mulheres, pois relatava não desejar criar vínculos mais fortes, acreditando que isso atrapalharia seu desenvolvimento profissional.

Mas o que veio descobrir em seu processo terapêutico foi que essa recusa em criar vínculos, nada mais era que uma necessidade de satisfação egoica de poder, afinal ter muitas mulheres o tornava ou o fazia se sentir, mais másculo e poderoso.

Porém, neste momento de sua vida, Renato só conseguia perceber o declinar de sua autoestima e aumento de sua insegurança.

E foi então que ele resolveu se reaproximar de seu violão, ele precisava resgatar algum sonho, algum desejo, pois a vida que estava levando já não o satisfazia mais.

Essa aproximação não se deu sem muitos questionamentos.

Acostumado a ver a vida de forma lógica e cartesiana, o então conceituado administrador de empresas não entendia essa necessidade de se envolver mais de perto com a música, porém como uma tentativa de diminuir o sofrimento, se entregou.

E através da música se reencontrou com muitas memórias afetivas, ao tocar Beatles se deparou com seu grande amor de juventude e com seu rompimento quando decidiu fazer um intercâmbio no Canadá e acabou ficando mais que o tempo planejado.

Através de Rita Lee se encontrou com o amor e afeto dos pais. Crise de Meia Idade

Tocando Guns N’ Roses acessou seu desejo de cursar história e ensinar através da música.

E nesse processo de reencontro com a música e reencontro consigo mesmo através da psicoterapia, Renato foi recuperando sua autoestima e repensando novas formas de viver, de se relacionar e acessar seus desejos que fatalmente vinham mudando e já não mais condiziam com seu estilo de vida atual.

As mudanças agora cabiam a ele, pois a descoberta já havia sido realizada.

É importante ressaltar que através de estudos sobre a saúde mental do homem, a crise de meia idade é o ponto mais alto da angústia masculina. 

A crise de meia idade é o ponto mais alto da angustia masculina!
A crise de meia idade é o ponto mais alto da angustia masculina!

Alguns se sentem reféns do pânico, outros apresentam sintomas de leve a grave depressão, outros podem extravasar sua emoções não identificadas através do excesso de gastos e relações extraconjugais, algumas vezes se comportam como adolescentes na tentativa de recuperar o tempo perdido.

É nessa época também que a saúde física fica mais fragilizada, podemos perceber pelas campanhas de saúde do homem que se intensificam nesta fase, o Novembro Azul é um exemplo.

Nossa cultura sempre incentivou que o homem cuidasse e desenvolvesse o lado profissional.

Afinal muitas vezes era ele o único ou maior provedor da casa, a ideia do homem olhar para si mesmo, para sua autoestima, suas realizações pessoais e até mesmo sua saúde, é algo de uma esfera contemporânea, da mesma forma que a valorização e desenvolvimento profissional da mulher.

Contudo, um homem que não cuida de si mesmo, não estimula sua autoestima consequentemente perderá em sua qualidade de vida, pois não estará vivendo de acordo com o que se é de verdade, e com o que se acredita. Crise de Meia Idade

Um comportamento agressivo com seus pares, namorada ou no trabalho, os observáveis “valentões” retratam também um problema na autoestima masculina.

Se eu não consigo resolver uma questão através da comunicação, pois ou não se tem argumentos, ou não se aceita o que o outro me oferece, eu respondo com valentia e agressividade. Uau!

Sim, isso é um comportamento de quem se tem ou está com a autoestima baixa.

A autoestima masculina também está diretamente ligada à autoconfiança, ou no caso, à falta dela, que por sua vez está ligada a timidez e sentimentos de menos valia. Crise de Meia Idade

Fica aí então o convite ao auto amor, que gera autoestima e autoconfiança.

Se estiver difícil produzir esse amor sozinho ou a partir das relações estabelecidas no seu convívio atual, não deixe de procurar ajuda e se reconectar com você mesmo.

Homem que é homem cuida de si mesmo.

Recomendo que você leia também: Como Cuidar da Autoestima? Olhando Para Si Mesmo!

Com carinho, Suzane.

P.S Renato é um personagem fictício, utilizado para ilustrar o artigo.

Para atendimento online com Suzane clique aqui!

Suzane Guedes é Psicóloga (CRP 05/42766), Especialista em Psicologia e Desenvolvimento Humano e atualmente cursa formação clínica em Arteterapia.

Atua nas cidades do Rio de Janeiro e Três Rios-RJ com atendimento clínico à crianças, jovens, adultos e idosos; ministra grupos e oficinas terapêuticas. Também trabalha como orientação psicológica online.

Suzane acredita na psicoterapia como grande ferramenta de auxílio ao desenvolvimento pessoal e social.

Contatos profissionais: (21) 96985-4954

Atendimento online: http://www.atendimento.opsicologoonline.com.br/suzane-guedes

Email: suguedes@yahoo.com.br

Facebook:

Instagram: @olharparasi

 
Compartilhe esse artigo!

Carlos Costa

Psicólogo (CRP 06/122657), Coach, Empreendedor, Músico e Poeta. Idealizador do projeto O Psicólogo Online que tem por objetivo produzir conteúdo informativo e educativo sobre psicologia, saúde mental e assuntos relacionados, além de prestar serviços de orientação psicológica online.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.